martes, 24 de octubre de 2017, 18h55

El maestro colgó las botas

Fútbol

11 de mayo de 2008: el día en que Rui Costa se despedía de los estadios... un momento de la historia del Estádio da Luz recordado por el Sitio Oficial.  

No âmbito da comemoração de mais um aniversário do Estádio da Luz, o Site Oficial do SL Benfica recua até maio de 2008 e reconta-lhe a história que dá corpo ao 13.º e penúltimo momento que marca estes 14 anos de existência do recinto.

Há quem diga que um futebolista começa e acaba a sua carreira no mesmo clube. E assim aconteceu com Rui Costa, um dos maiores símbolos do Sport Lisboa e Benfica que a 11 de maio de 2008 arrumou as chuteiras, após um jogo que ficou marcado pelas inúmeras homenagens de que foi alvo o Maestro.

Os números talvez não consigam explicar o amor mútuo entre o Benfica e os benfiquistas e o médio. Olhando para as 178 vezes que Rui Costa vestiu a camisola do Clube, os 29 golos que apontou de águia ao peito e os dois troféus conquistados na Luz, talvez poucos consigam perceber a dimensão que o camisola 10 tem na história do clube e o lugar de que é dono e senhor no coração dos adeptos.

É talvez uma das maiores referências dos produtos de formação do Benfica. Foi em 1980 que deu os primeiros toques na bola de águia ao peito. A partir daí, Rui Costa cumpriu todas as etapas da sua formação no Benfica. A Fiorentina interessou-se e ali esteve ao longo de sete épocas. Seguiu-se o AC Milan, onde permaneceu durante cinco temporadas.

Também conquistou os portugueses com o símbolo das quinas ao peito e foi em 2004, pela altura do Euro 2004, que fez o seu último jogo ao serviço da seleção portuguesa, frente à Grécia e, por ironia do destino ou não, no Estádio da Luz.

No dia 25 de maio de 2006 foi apresentado como novo jogador do Benfica, regressando a uma casa que sempre foi a sua. 

Quase dois anos depois, na noite de 11 de maio de 2008, com um Estádio da Luz cheio e vestido de vermelho e branco (54 222 espectadores), na 30.ª e última jornada da I Liga, os encarnados despediam-se da temporada 2007/08 com a obrigação cumprida frente aos sadinos (3-0)... e Rui Costa despedia-se da carreira de futebolista.

Katsoraunis, aos 25 minutos, colocou os encarnados em vantagem com um bom remate de cabeça, após centro de Rui Costa na direita.

Aos 39 minutos, numa jogada iniciada pelo Maestro, Cardozo teve espaço à entrada da área sadina para executar um disparo com o pé esquerdo e colocou o Benfica a vencer por 2-0.

No reatar do encontro, o guarda-redes do Vitória de Setúbal, com uma excelente saída aos pés de Nuno Gomes, impediu o terceiro golo das águias e Rui Costa não conseguiu, na recarga, assinalar o último tento da sua carreira.

Aos 86 minutos, Rui Costa, com os olhos marejados, foi substituído por Binya: aos 36 anos, despediu-se definitivamente dos relvados, perante os aplausos, cânticos e algumas vénias dos adeptos no Estádio da Luz.

"Obrigado, Maestro! Por ontem, por hoje e amanhã!", lia-se numa faixa colocada num dos topos das bancadas do Estádio da Luz, que mostrava várias mensagens centradas, sobretudo, na gratidão dos adeptos encarnados para com o número 10 do Benfica.

Antes do último jogo da carreira, Rui Costa foi contemplado com a Medalha de Ouro da cidade de Lisboa, entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, na altura António Costa. Das mãos de Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, recebeu uma peça alusiva à carreira de jogador. Mas as homenagens e os agradecimentos não ficariam por aqui…

À entrada da equipa do Benfica para o aquecimento, foi estendida uma tarja gigante sobre uma das bancadas centrais com uma fotografia de Rui Costa e a mensagem "Obrigado Rui 10". Emocionado, o Maestro fez questão de retribuir os aplausos do público, interrompendo constantemente os exercícios de aquecimento que antecederam a partida.

Penduradas as botas, o Maestro continuou a pautar a sua vida ao serviço do Benfica, agora na qualidade de dirigente. Em 2008 assumiu o cargo de diretor desportivo, tendo consequentemente passado para administrador da SAD, cargo que ocupa até hoje.

FICHA DE JOGO

Estádio da Luz

11 de maio de 2008

30.ª jornada da Bwin LIGA 2007/08        

54 222 espectadores

Benfica-V. Setúbal, 3-0

Ao intervalo: 2-0

Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto)

SL Benfica: Quim, Nélson (46’ Maxi Pereira), Edcarlos, Luisão, Léo, Rui Costa (86’ Gilles Binya), Cristián Rodríguez, Kostas Katsouranis, Nuno Assis (64’ Ángel Di Maria), Óscar Cardozo e Nuno Gomes.

Treinador: Fernando Chalana.

Suplentes não utilizados: Hans-Jörg Butt, László Sepsi, Mantorras e Ariza Makukula.

Golos: Kostas Katsouranis (26’), Óscar Cardozo (40’) e Nuno Gomes (88’).

Cartões amarelos: nada a assinalar.

Cartões vermelhos: nada a assinalar.

Vitória de Setúbal: Eduardo, Hugo, Robson, Janício, Léo Bonfim, Ricardo Chaves (85’ Bruno Severino), Bruno Gama (75’ Paulinho), Sandro, Elias, Filipe Gonçalves (46’ Bruno Ribeiro) e Cláudio Pitbull.

Suplentes não utilizados: Marco Tábuas, Adalto, Kim Byung-Suk e Leandro Branco.

Treinador: Carlos Carvalhal.

Cartões amarelos: Cláudio Pitbull (29’) e Sandro (67’).

Cartões vermelhos: nada a assinalar.

Texto: Filipa Fernandes Garcia

Fotos: Arquivo / SL Benfica 

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceptar