Atletismo

Uma mão cheia de boas prestações

Nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, o atletismo “encarnado” obteve bons resultados. Na maratona, Dulce Félix foi a única portuguesa a concluir a prova. Terminou em 16.º lugar, melhorando em cinco posições a marca de Londres 2012, um resultado que a deixou orgulhosa e que comemorou efusivamente: “acabar uma maratona olímpica no 16.º lugar e ser umas das melhores do mundo é um grande orgulho. […] o calor começou a apertar muito, mas a minha vontade de acabar a maratona fez com que chegasse satisfeita”.

Dulce Félix

Nos masculinos, Rui Pedro Silva terminou a maratona em 123.º lugar e foi o melhor português da prova. O resultado foi condicionado por uma lesão que o deixou vários meses sem competir, mas terminou satisfeito: “Tenho a consciência tranquila. Estar aqui presente entre os melhores do mundo já é positivo”. Na sua segunda participação olímpica, Pedro Isidro foi o melhor português na prova de 50km marcha, terminando na 32.ª posição.

Susana Costa foi a primeira atleta do Benfica a participar numa final olímpica de triplo salto feminino, alcançando o 9.º lugar. Foi também a primeira vez nos Jogos Olímpicos que Portugal esteve numa final desta prova, contando, para além de Susana Costa, com Patrícia Mamona.

Susana Costa

O velocista brasileiro Bruno Lins Barros participou em duas provas, nos 200m e nos 4x100m. Na primeira especialidade, foi eliminado na ronda inaugural, mas ajudou a equipa de estafeta do Brasil a atingir a final, onde foi 6.º classificado, com 38,41s.

Bruno Lins Barros


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar