16 de março de 2018, 17h16

Rui Vitória: “Somos animais de competição”

Futebol

Na véspera da visita ao CD Feirense (sábado, às 18h15), o técnico desvalorizou o eventual mau estado do relvado do Estádio Marcolino Castro, lembrando que “a postura competitiva tem de ser adaptada ao que o jogo pedir.”

É com “raça, querer e determinação” que o Benfica encontra este sábado (18h15) o CD Feirense, em jogo da 27.ª jornada da Liga NOS. A garantia foi dada por Rui Vitória na conferência de Imprensa desta tarde, onde o técnico assumiu que não espera facilidades.

"O que caracteriza quem defende o Benfica é a raça, o querer, a determinação e a convicção. Isso é inegociável. Esses atributos têm de estar sempre presentes, umas vezes corre bem, outras vezes não. Vai ser um jogo exigente, difícil. Vamos encontrar uma equipa que se vai bater de forma determinada. É uma equipa de quem eu particularmente gosto, pela forma como se entrega ao jogo. Jogar contra o Benfica é um foco de grande motivação e vamos encontrar um adversário difícil. Temos e vamos ter a capacidade de colocar em campo as nossas valências, juntamente com esses atributos e a nossa qualidade individual e coletiva, para conseguir resolver. Prevejo um jogo de grau de dificuldade elevada”, disse o treinador aos jornalistas.

“Nós amanhã vamos ter um jogo competitivo e exigente para as duas equipas. Temos de pôr os nossos argumentos e o Feirense vai pôr os deles. Isto é como os atores. Ensaiar muitas vezes não tem graça nenhuma, estar na peça é que tem. É como nós. Não tenho medo de competir, aliás nós queremos é jogar. Nisso do antijogo eu não tenho medo. Não tenho medo da competição”, afirmou.

O técnico encarnado não receia o eventual mau estado do relvado do Estádio Marcolino Castro, lembrando que “a postura competitiva tem de ser adaptada ao que o jogo pedir.”

“Não gosto de falar de 'ses'. Amanhã logo se verá. Há algo que nos caracteriza e guia: somos animais de competição. Quer dizer que, em função do que encontramos pela frente, vamo-nos adaptando. Não há outra forma de pensar, os nossos jogadores e a nossa equipa têm feito isso, perceber a nossa forma de estar. Questões climatéricas pode ser neste campo, no nosso, no Algarve, de repente há para ali um tornado... Estamos preparados para a competição”, garantiu.

Rui Vitória assegurou que o deslize do FC Porto não influencia em nada a postura em campo dos jogadores do Benfica, respondendo ainda aos elogios do treinador dos dragões, Sérgio Conceição.

“De todo. Há três ou quatro semanas que tenho vindo a dizer, não é pelos outros perderem que vamos alterar a nossa forma de estar. Não altera em nada. Apareceram com a mesma cara e a segurança com que temos vindo a trabalhar. Não havia razão para outra abordagem. Sempre dissemos, o nosso grande foco somos nós. Temos de continuar a fazer o nosso trabalho”, referiu.

“Estou de bem com a vida que nada mexe comigo. Nem elogios, nem críticas. Tenho uma competição pela frente, oito finais, não me preocupa o que é dito, nem o bom, nem o mau. O que me guia é o nosso trabalho, o resto é acessório”, prosseguiu o treinador dos encarnados 

Em vésperas de uma paragem no Campeonato para os compromissos das seleções, o treinador do Benfica falou sobre a estreia de Rúben Dias na convocatória de Fernando Santos, acreditando que o central vai voltar “muito mais motivado”.

“Uma chamada à seleção que vai acelerar aquela cabeça, organismo e pernas. A motivação é imensa. Um jovem que cresceu no Benfica e que de repente está na seleção. Que me lembre, os últimos centrais do Benfica na seleção foram o Paulo Madeira e o Hélder. O Rúben vai trabalhar com grandes jogadores e ao pé dos bons ganhamos a capacidade para melhorar. Mas cansado, não. Vem muito mais motivado”, considerou.

Texto: Filipa Fernandes Garcia

Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar