7 de setembro de 2017, 16h57

Benfica repudia ambiente de coação no futebol português

Clube

Declaração do director de comunicação do Benfica ao site oficial do clube.

Tags

Clube

No dia em que se conheceu um novo efeito colateral do ambiente de coação sobre os árbitros, com a revelação dos actos de vandalismo sobre o prédio onde reside o árbitro Vasco Santos, o director de comunicação do Benfica reagiu, em exclusivo, com uma declaração ao site oficial do clube:

“O Sport Lisboa e Benfica lamenta e repudia o ambiente de coação e intimidação sobre os árbitros e agentes desportivos que, desde o ano passado, persiste no futebol português. Este novo caso de vandalismo sobre o local de residência do árbitro Vasco Santos só surgiu como resultado das graves e constantes acusações e insinuações feitas por responsáveis do FCP e SCP. As entidades responsáveis têm que actuar”.

Luís Bernardo relembra, a propósito, que ainda não foram conhecidos os resultados das investigações a anteriores actos de vandalismo e ameaças a árbitros e outros agentes do futebol.

“Desconhece-se o resultado das investigações à invasão do Centro de Treinos dos árbitros, na Maia, no ano passado e dos restantes casos de de ameaças e vandalização de propriedade que, desde então, ocorreram”.

De acordo com o director de comunicação do Benfica, está na hora de assumir responsabilidades e, sobretudo, dar a cara.

“O presidente da Liga, como responsável máximo da entidade organizadora da principal competição de clubes, em Portugal, não pode continuar em silêncio. E mais ainda, a grave campanha de acusações e insinuações continua a ser protagonizada por pessoas que deviam estar a cumprir castigos aplicados pela justiça desportiva”.

“O futebol português, que ainda esta semana foi notícia por mais uma importante vitória da nossa selecção e pela nomeação de Domingos Soares de Oliveira, CEO do Benfica, para a Comissão Executiva da Associção Europeia de Clubes, infelizmente também é notícia sempre pelos piores motivos e protagonistas habituais, que renovam queixas, ameaças e polémicas que ultrapassam todos os limites”.

 

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar