11 de novembro de 2017, 00h01

Varandas Fernandes: “Não nos vão fazer desistir daquilo que queremos”

Clube

Vice-presidente do Benfica promete “luta” dentro de campo. “Trabalhamos para sermos Pentacampeões”, disse no discurso na Casa da Moita e Marinha Grande, identificando quem ataca o Clube: “O nome desta campanha é FC Porto. E tem um cúmplice chamado Sporting.”

Discurso duro e incisivo de Varandas Fernandes no jantar do 10.º aniversário da Casa do Benfica da Moita e Marinha Grande, na sexta-feira. O vice-presidente do Benfica promete “luta” dentro de campo.

“Temos uma estratégia, um caminho, objetivos e é disso que não nos vamos desviar. Ainda ontem [quinta-feira] o presidente Luís Filipe Vieira o dizia. Não nos deixamos levar por quem nos quer levar. Vamos para onde nós queremos. E é o que entendermos de melhor para o nosso Clube, para os nossos adeptos, para o desporto nacional e para Portugal que vamos continuar a fazer, cada vez com mais força e com mais empenho”, destacou Varandas Fernandes.

Sabemos que a inveja é grande, mas convivemos bem com ela. Porque nós não somos um clube unicamente de Portugal, somos do mundo e é para o mundo que estamos virados. Estamos a entrar em culturas de países onde não era hábito clubes portugueses entrarem. Isso deixa-nos satisfeitos e com uma esperança grande que a nossa internacionalização da nossa marca vá criando raízes – como vocês vão brevemente saber – e vá conseguindo fazer um intercâmbio desportivo e cultural com outros países”, acentuou o vice benfiquista.

Varandas Fernandes

“O futuro vai certamente dar-nos razão. Posso garantir-vos que quanto mais fizermos, mais vitórias alcançarmos, mais ataques vamos ter. Esperamos que eles se cansem, mas se não se cansarem, também não nos vamos cansar. Estes ataques vão ser persistentes porque visam manchar a honra, o prestígio e a mística do Benfica. Isso não vamos permitir em situação alguma. Custe o que custar. Temos um caminho bem traçado, bem delineado. Estamos preparados para nos defendermos, para contra-atacar, para intervir e fazer tudo o que for necessário no respeito pela lei e na respeitabilidade pelas instituições de participar nesta luta, que, já percebemos, é uma luta sem quartel”, enfatizou Varandas Fernandes.

“O que temos assistido nos últimos tempos, na nossa opinião, são ataques odiosos, provocatórios. Vamos até às últimas consequências. Desde a primeira hora que mostrámos total abertura para que tudo fosse investigado. Tudo. Abrimos as portas. Investiguem tudo o que quiserem. Estamos de portas abertas e disponíveis para tudo o que queiram analisar e investigar. Mas rapidamente digam se há mais coisas para investigar ou se não há mais nada. Investiguem até à exaustão”, disse o responsável a propósito do caso dos emails.

“Estamos disponíveis para que, se existem suspeitas sobre a conduta da direção do Benfica ou da SAD do Benfica, se investigue e se apure a verdade. O Benfica é um clube transparente. Não nos conseguem destruir, nem abalar, nem nos metem medo. Não nos vão fazer desistir daquilo que queremos”, frisou.

“Temos de dar os nomes às coisas. E o nome desta campanha é FC Porto. E tem um cúmplice chamado Sporting. Temos perfeitamente identificados quem nos está a atacar. Nós, numa primeira fase, ficámos indignados. Nunca vi nem assisti a um ataque com este ódio. Admira-nos que, até hoje, não haja responsáveis por estes ataques. Os crimes que têm sido praticados estão à vista. Todas as semanas vemos o que está a acontecer e se pensam que estamos distraídos, enganam-se. Não estamos distraídos”, vincou. “Podemos não falar quando eles querem que nós falemos, mas estamos atentos ao que eles fazem e ao que dizem de nós. Entendemos que o País tem instituições que têm as suas funções e temos de respeitá-las. Sempre colaborámos; é altura dessas instituições colaborarem também”, desafiou.

Varandas Fernandes

“Os árbitros e o futebol em geral estão a ser vítimas destes ataques. O Benfica acredita que os árbitros estão hoje condicionados quando apitam alguns jogos com alguns clubes. Reparem nisto: viram o centro de treino dos árbitros ser invadido, são ameaçados semanalmente nas redes sociais e nos locais de trabalho, são confrontados com inscrições nas paredes das suas casas. Já viram acontecer alguma coisa? Eu nunca vi. Isto é que se deve investigar. Investigar com muita urgência. Investigue-se quem está a provocar e quem está a difamar”, rogou Varandas Fernandes.

“Foram excedidos todos os limites e, se nos contemos, é porque somos diferentes. Não dizemos coisas só por dizer. Quando não temos a certeza de uma coisa, não podemos dizer. O Benfica, a direção, os órgãos sociais estão unidos. Têm uma estratégia, um rumo, um caminho, e pode vir quem quiser e de onde quiser, que não vão conseguir beliscar em nada a nossa honra e o nosso prestígio”, assinalou.

“Estas posições que têm vindo a assumir contra nós parece virulenta, parece que vem por contágio. Acho que isto é insuportável para os agentes desportivos, condiciona. Sabemos que o videoárbitro [VAR] não é uma solução perfeita. Aliás, sabem quem foi o grande impulsionador do VAR. Pelos vistos, agora, está calado. Dizia-se na altura que o VAR ia trazer verdade ao futebol, que ia ser milagroso. Decorridas 11 jornadas, todas as semanas há confusão com o VAR. Obviamente que o VAR é uma ferramenta que pode vir a ajudar na análise dos lances, mas toda a gente já percebeu que é falível, que os protocolos têm de ser alterados, que tem de ir evoluindo a comunicação com o VAR”, apontou.

“Num Benfica-Portimonense toda a gente soube do diálogo do VAR; nos outros jogos, ninguém soube. Se não fosse o VAR, hoje não estaríamos a cinco pontos do FC Porto e a um do Sporting. Provavelmente, a nossa classificação seria outra, mas nunca ninguém nos ouviu queixar de o VAR ser uma boa ou má ferramenta. Que traga um tratamento igual para todos os clubes. Há esforço a fazer, mas tem de ser feito. Eles esquecem-se que nós também conhecemos as regras do jogo e nós não vamos lá com ameaças. Se nos ameaçam, não recuamos”, garantiu o vice benfiquista.

“O que pedimos é que a FPF e a Liga encontrem formas de travar esta campanha insultuosa. Se não a travarem, eu temo que a dignidade dos árbitros seja posta em causa e possa trazer prejuízos para o futebol. Ou arrepiam caminho e começam a perceber muito bem o que está em jogo ou então a reação de quem se sente ofendido é capaz de não ser a melhor”, salientou.

“Estamos disponíveis para colaborar com quem temos que colaborar, mas não estamos disponíveis para ganhar a qualquer preço. Queremos ganhar no campo por sermos melhores. Não queremos ganhar sem ser no campo. É esse o nosso lema e o que nos motiva”, realçou.

Varandas Fernandes

“Apesar de estarmos em terceiro lugar, eu acredito que vamos ser Pentacampeões. É uma fezada que eu tenho. E acredito que nas modalidades vamos ter campeões. A união é de tal maneira grande que estamos a 11 jornadas e o Penta não é só uma esperança, é uma convicção. É isso que eles não querem, porque eles não sabem o que é isso há muitos anos.

Os benfiquistas têm de acreditar que estamos a trabalhar para sermos Pentacampeões e para dar luta onde ela deve ser dada: dentro de campo”, assinalou.

Varandas Fernandes endereçou uma palavra particular à judoca do Benfica que também se deslocou à Casa do Benfica da Moita e Marinha Grande.

“Agradecer a presença da Telma Monteiro, que nos faz sentir muito em casa. A Telma foi, é e será sempre uma grande atleta. É do Benfica, é uma pessoa estimada dentro do Clube e que vive o Benfica por dentro e por fora. A Telma dizia uma frase há uns tempos: ‘Nunca tenho medo de falhar.’ Ela não tem medo de falhar porque é do Benfica, porque se fosse de outro clube qualquer, o risco de falhar era muito grande”, fez notar o vice-presidente do Benfica.

“Queria dar os parabéns a esta Casa pelo 10.º aniversário. Chegar ao ponto a que esta casa chegou, com todos os desafios que tem tido – desafios que estimulam a vitalidade, não só do Benfica nesta região, como também da sociedade desportista e não desportista que esta região abrange. Eu sei que um dos vossos objetivos é criar novas dinâmicas e nós, no Benfica, estamos disponíveis para vos ajudar. Sabemos que são um polo de união dos Benfiquistas nesta região e isso deixa-nos muito felizes”, disse Varandas Fernandes, dirigindo-se ao anfitrião.

“As nossas Casas já são centenas, muito bem organizadas – coisa de que os outros clubes não se podem orgulhar; são, de facto, a semente do que é ser do Benfica. O nosso lema e o vosso, como o de todas as Casas, é trabalho. Para quê? Para desenvolver um Benfica cada vez maior, mais moderno, mais inovador, mais bem organizado. É isso que ambicionamos. Queremos um Benfica sustentado, organizado, firme. Não queremos um Benfica ao sabor do vento nem um Benfica a reboque daquilo que possam dizer”, assinalou. 

Texto: Filipa Fernandes Garcia

Fotos: João Paulo Trindade/ SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar