14 de novembro de 2017, 19h19

Sucessos reforçam confiança do judo do Benfica

Judo

O treinador Jorge Gonçalves elogia e parabeniza os atletas João Martinho e Fábio Borges pelos títulos conquistados, mas avisa que ainda é preciso muito trabalho.

Jorge Gonçalves, treinador do Judo do Benfica, regozija-se por João Martinho ter conquistado uma medalha de bronze no Campeonato Europeu Sub-23 e por Fábio Borges se ter sagrado Campeão Nacional de Seniores.

“É sempre mais um incentivo para encarar as próximas provas, com mais confiança ainda, tendo em conta que depois o objetivo máximo é o apuramento para os Jogos Olímpicos. Mas sem dúvida que esta prova veio dar confiança ao atleta [João Martinho] e também é um sinal para os nossos atletas mais novos, para singrarem aqui na modalidade”, assinalou Jorge Gonçalves em declarações à BTV.

Sobre o judoca Fábio Borges, o técnico indicou as coordenadas para que o progresso tenha tradução em êxitos.

“O caminho ainda é longo. Ele fez agora uma grande conquista. Ficou a marca de um cadete ser Campeão Nacional de Seniores, o que nunca tinha acontecido. Humildade, pés assentes no chão e continuar a trabalhar. Há potencial, mas o caminho ainda é longo, tem de haver ainda muito trabalho”, afirmou Jorge Gonçalves.

Questionado sobre as condições e a formação do Benfica, o treinador é muito específico.

“O Benfica dá muitas condições. Estamos bem servidos em termos de treinadores, toda a equipa multidisciplinar que existe aqui no Benfica – nutricionista, fisioterapia, psicóloga. São mais-valias que permitem sonhar”, sublinhou Jorge Gonçalves.

“A formação do Benfica é uma aposta. É uma aposta nossa, da modalidade. A preocupação essencial é educar a pessoa, para que seja disciplinada, principalmente fora do tapete. Depois é trabalhar muito, ter gosto pelo trabalho, para futuramente os resultados aparecerem”, considerou o técnico.

Jorge Gonçalves ainda teceu elogios a Telma Monteiro, que é uma grande referência para os judocas mais novos.

“Ter uma referência como a Telma é fundamental, é um guia, é uma motivação; não é para ser copiado, mas é um incentivo. Aqui, a Telma é um incentivo ainda maior não só pela medalha, mas também por tudo o que conquistou fora do tapete. Esteve sempre a estudar, tirou a sua licenciatura e no ano passado fez a sua pós-graduação. Por tudo isto, fora do tapete e dentro do tapete é uma grande referência”, frisou.

Texto: Márcia Dores

Fotos: Arquivo SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar