26 de fevereiro de 2019, 00h44

Bruno Lage: “Adeptos têm sido fantásticos e nós respondemos no jogo”

Futebol

O Benfica chegou às oito vitórias consecutivas na Liga NOS, mas o treinador obreiro deste registo preferiu reconhecer o papel preponderante de quem está sempre ao lado da equipa.

O Benfica recebeu e venceu o GD Chaves por 4-0 e, no final do desafio, Bruno Lage elogiou os jogadores que lidera, considerou o resultado justo, explicou algumas decisões que tomou na partida e levantou um pouco o véu sobre que águia pode aparecer no Estádio do Dragão.

Vitória justa frente a um GD Chaves organizado

“Fizemos uma boa exibição, com uma entrada forte e determinada da nossa parte. Tivemos uma 1.ª parte muito boa, soubemos fazer bem o que tínhamos de fazer. Circulámos a bola bem e com paciência, acertámos naquilo que seria a estratégia do Chaves. Tivemos a capacidade de circular, circular, circular, com paciência, e quando tivéssemos espaço era para fazer golo. Foi o que fizemos nos 1.º e 2.º golos, e depois sentimos que a equipa do Chaves podia dar-nos espaço nas costas e foi isso que fizemos no 3.º golo. Uma primeira parte muito boa, com enorme qualidade. Quero dar os parabéns aos jogadores, a todos eles pelo trabalho no jogo e no treino. Quando se treina com qualidade, com determinação e para evoluir, acontecem bons jogos, que é o que temos vindo a fazer.”

“O resultado é justo, numa primeira parte com golos, na segunda também marcámos. Tivemos várias oportunidades, recordo-me de duas do Pizzi com boas defesas do guarda-redes adversário. A estratégia correu bem. É sempre um jogo de forças. O Tiago [Fernandes] preparou muito bem, e de acordo com a estratégia, este jogo. Tentou controlar o nosso jogo interior e tiveram uma oportunidade em que saíram rápido e nós não estávamos bem posicionados. O 4-0 é um resultado justo, podíamos ter feito mais golos, mas é preciso ter calma. Temos sempre vontade de fazer mais e melhor porque treinamos para isso, mas temos de perceber que estamos a jogar frente a adversários competentes, organizados.”

Benfica-Chaves

Prova de fogo superada antes do clássico

“Prova de fogo são todos os jogos. As coisas parecem fáceis, mas não são. Dão muito trabalho. Cada jogo tem a sua história e hoje [segunda-feira] foi mais um jogo com uma equipa que nos ia criar dificuldades, conforme o que vimos nos jogos com o Marítimo, SC Braga e FC Porto. Controlaram muito bem o espaço interior, como aconteceu nos primeiros 15 minutos. Quando a equipa adversária estivesse em bloco baixo tínhamos de ter paciência, circular a bola de um corredor ao outro para criar superioridade numérica. No próximo sábado há um jogo muito importante e nós vamos manter a nossa mentalidade. Amanhã [terça-feira] é dia de folga para os jogadores, que não respiram há quase três semanas, com jogos e viagens, e depois estaremos prontos para trabalhar de forma determinada.”

Benfica-Chaves

A explicação de Samaris a central e de Florentino a 6

“Corresponderam. Trabalhamos um determinado posicionamento desde o primeiro dia. Vamos testando essas situações. Para o Florentino foi um pouco mais fácil porque conhece a nossa forma de trabalhar; o Samaris, no passado, já tinha jogado a defesa-central. As coisas foram ajustadas e penso que estivemos sólidos nesse capítulo e também na circulação com os dois médios e os dois centrais. Estivemos equilibrados e seguros quando perdemos a bola.”

“Isto é o que se constrói em treino. O Samaris já havia jogado a central, tínhamos de perceber o que seria melhor, se à direita ou à esquerda, e tomámos a decisão de manter o Rúben Dias à direita.”

Benfica-Chaves

Mérito dos jogadores

“É o trabalho dos jogadores. Nós temos as nossas ideias, mas sem o trabalho deles, sem determinação não se consegue nada. Estou muito satisfeito por ser o treinador deles, pela forma como têm treinado e mostrado ao público a qualidade individual e coletiva. Os jogadores é que ficam na história. São oito vitórias, mas o pensamento está no jogo seguinte. É essa a nossa mentalidade e nada me tira desse foco.”

Benfica-Chaves

Agradecimento aos Benfiquistas

“Que continuem a apoiar como até aqui. Têm sido uma ajuda enorme. Recordo-me que, aos 20’, diante do Rio Ave, estávamos a perder por 0-2 e antes de reconquistarmos os adeptos, foram eles que nos conquistaram com o apoio. Os adeptos têm sido fantásticos e temos de responder nos jogos.”

Benfica-Chaves

Jonas, Seferovic e João Félix em simultâneo a titular

“Sim, porque também o vejo no treino. O que vi hoje [segunda-feira] no jogo vi ontem [domingo] no treino, mas ao contrário. No treino, o Jonas deu um golo ao João Félix, no jogo vi o João Félix a dar o golo e o Jonas a marcar. Tudo o que se passar no jogo, passa-se no treino. Treinamos bem, jogamos bem, ligamos muito bem uns com os outros, percebendo que tipo de espaço os jogadores gostam de ocupar. Criar as dinâmicas coletivas e de duplas.”

Benfica-Chaves

Um Benfica igual a si próprio no Estádio do Dragão

“Vai ser um Benfica igual a si próprio. Já jogámos com o FC Porto e temos de olhar para esse Benfica. É um Benfica que, quando tem bola, constrói a partir do seu guarda-redes, é o primeiro avançado; quando não tem, os dois defesas que começam esse processo [recuperação de bola] são os dois avançados. É o que temos vindo a fazer e não vamos mudar. Queremos ser equipa com e sem bola, com uma transição defensiva muito alta, a recuperar a bola no meio-campo ofensivo. É isto que treinamos e que temos de colocar em campo.”

Texto: Marco Rebelo

Fotos: João Paulo Trindade e Isabel Cutileiro / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar