11 de outubro de 2018, 12h00

Superar islandeses na Luz

Andebol

O FH Hafnarfjordur é o adversário do Sport Lisboa e Benfica na 2.ª Ronda de Qualificação da Taça EHF. Por acordo das equipas, as duas mãos serão disputadas no Pavilhão n.º 2 da Luz.

Um ano depois de ter sido eliminada pelos polacos do Gwardia Opole na mesma ronda de qualificação, a turma orientada por Carlos Resende volta a lutar pela passagem à 3.ª Ronda de qualificação e, posteriormente, pela presença na fase de grupos da Taça EHF.

Antes de voos mais ambiciosos, as águias defrontam, neste fim de semana, o vice-campeão islandês e noutras 16 ocasiões vencedor da mesma prova, o FH Hafnarfjordur. Na 1.ª Ronda de Qualificação, o conjunto islandês sentiu dificuldades em ultrapassar os croatas do RK Dubrava. Na partida da primeira mão, em Zagreb, o Hafnarfjordur triunfou por 29-33 e obteve uma vantagem de quatro golos determinante para seguir em frente na prova, apesar da derrota caseira, por 30-32. Contas feitas, o adversário do Benfica garantiu a passagem à 2.ª Ronda de Qualificação com um somatório de 61-63, deixando a equipa croata pelo caminho.

Em ambas as partidas, o ponta direita Birgir Mar Birgisson – camisola 2 – foi a seta mais afiada apontada à baliza do Dubrava, celebrando sete golos no desafio fora de portas e nove foram no Ithrottamidstod Kaplakrika, casa do Hafnarfjordur. Destaque também para o lateral-direito Einar Rafn Eidisson, que apontou sete golos no jogo em Zagreb.

Benfica-Maia/ISMAI

A nível interno, o Hafnarfjordur segue na segunda posição, em igualdade pontual com o Valur, campeão em título. Com sete pontos em quatro desafios – três vitórias e uma derrota – a formação nórdica já contabiliza 114 golos marcados, sendo mesmo, a par do Haukar, o ataque mais profícuo da Olís Deildin – assim se chama o Campeonato Islandês.

A cerca de 20 quilómetros da capital Reykjavik, Hafnarfjordur é a terceira maior cidade do país, e a sua população não ultrapassa os 26 000 habitantes. Apesar disso, o plantel do FC Hafnarfjordur é composto quase exclusivamente por atletas formados localmente. O guardião sérvio Lazar Minic é a única exceção num conjunto que, como não poderia deixar de ser, é orientado por um islandês: Halldor Johann Sigfusson.

 No dia 18 de setembro, aquando da antevisão do jogo de apresentação da equipa de voleibol diante do Lycurgus, o treinador da equipa holandesa, Arjan Taaij, salientou o “sistema desportivo completamente diferente”, elogiando a “combinação dos diferentes desportos” que se observa no SL Benfica. A realidade holandesa é um pouco transversal por toda a Europa, com os clubes dos países latinos a serem as exceções do Velho Continente na polarização das suas modalidades. Porém, nota para o modelo idêntico aplicado pelo Hafnarfjordur. Além do andebol, o emblema também conta com uma equipa de futebol no principal escalão do futebol islandês, atletismo e esgrima. As semelhanças continuam com a sensibilidade por um desporto mais igualitário entre géneros, sendo exemplos as equipas femininas de futebol e andebol.

Sábado, dia 13, às 15h00, e domingo, à mesma hora, as duas formações medem forças no Pavilhão n.º 2 da Luz num duelo que se prevê equilibrado e onde o apoio dos adeptos encarnados pode ser determinante para quebrar o gelo dos islandeses.

Texto: Luís Afonso Guerreiro

Fotos: SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar