30 de junho de 2020, 19h18

"Luís Filipe Vieira não é homem de virar a cara à luta"

Clube

Fernando Tavares, vice-presidente do Benfica, reconhece o "momento delicado" da equipa de futebol, mas, em entrevista à BTV, avisa que este não pode ser confundido com "sustentabilidade financeira, institucional, desportiva e competitiva".

Fernando Tavares saiu, nesta terça-feira, em defesa de Luís Filipe Vieira, depois das palavras "de grande coragem e humildade" proferidas pelo Presidente do Benfica após o jogo na Madeira.

Em entrevista à BTV, o vice-presidente encarnado reconhece o "momento delicado" que a equipa de futebol profissional atravessa, mas avisa que este não pode ser confundido com "sustentabilidade financeira, institucional, desportiva e competitiva".

"São palavras de grande coragem, de grande humildade, que dignificam o Presidente do Benfica e o Clube quando publicamente assume a culpa pelo momento menos simpático, mais delicado, que o Benfica está a atravessar com a sua equipa de futebol. Não digo um momento difícil, porque difíceis foram os tempos em que tivemos de resgatar o Benfica de uma situação extremamente complicada. Eu lembro-me, como vice-presidente das modalidades, quando cheguei ao Benfica em 2003, o Clube tinha 10 meses de salários em atraso em relação a atletas, a treinadores, a colaboradores... Esses, sim, foram momentos muito difíceis. Foram tempos que não esqueço e que nos obrigam, na gestão do dia a dia, a ter muito sentido de responsabilidade", lembrou Fernando Tavares.

Luís Filipe Vieira Benfica Cerimónia entrega de emblemas

"Difíceis foram os tempos em que tivemos de resgatar o Benfica de uma situação de 10 meses de salários em atraso..."

"Entendo perfeitamente as palavras do PresidenteLuís Filipe Vieira não é homem para virar a cara a uma boa luta, a um bom desafio. É uma pessoa extremamente resiliente, batalhadora e trabalhadora, e de certeza que vai encontrar formas para resgatar a equipa de futebol do momento em que se encontra. Costuma dizer-se que o futebol é o momento, mas este momento menos positivo não se pode, de forma alguma, confundir com sustentabilidade financeira, institucional, desportiva e competitiva, que são coisas que demoraram anos a conquistar. Não nos podemos esquecer disso. Luís Filipe Vieira vai ser capaz, na liderança da SAD e como principal responsável do futebol, de dar uma resposta à altura do Benfica e daquilo que são os desejos dos Benfiquistas", prosseguiu o vice-presidente.

Fernando Tavares admite que o futebol do Benfica vive uma "crise de resultados", mas reforça a coesão vivida no seio do Clube.

"Há uma crise de resultados no futebol do Benfica, mas não há uma crise no Benfica, de maneira nenhuma. Há coesão nos Órgãos Sociais, há coesão na Direção. Exercemos, cada um de nós – falo por mim, mas podia falar também dos outros vice-presidentes –, as nossas funções com normalidade, serenidade e responsabilidade, tentando no dia a dia levar o Benfica para os patamares que todos nós desejamos", explicou. 

Fernando Tavares

"HÁ COESÃO NO BENFICA"

"Esta crise de resultados não pode de maneira alguma tirar a força, o entusiasmo e o ânimo que todos temos de ter para levar o Benfica para a frente. No caso particular, com um grau de autonomia significativo, dado pelo próprio Presidente do Benfica, mas também de acordo e com total alinhamento com Luís Filipe Vieira. Nós, vice-presidentes, não precisamos de andar de braço dado com o Presidente do Benfica... Eu, pessoalmente, e falo também pelos meus colegas de Direção, estou mais interessado naquilo que é fotografado do que na propriamente na fotografia. E o que é fotografado é o trabalho e a forma como nos organizamos no dia a dia. É isso que para mim conta enquanto estiver ao serviço do Benfica", rematou.

Texto: Filipa Fernandes Garcia

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica e Arquivo

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar