9 de outubro de 2020, 10h55

As linhas do andebol de formação do SL Benfica

Andebol

Coordenador Luís Cruz, entrevistado pela BTV no programa "Sport Lisboa e Modalidades",  explicou o processo e sublinhou um aspeto intrínseco do Clube: "A pressão de ganhar faz crescer o rendimento."

Luís Cruz, coordenador do andebol de formação do Benfica, explicou no programa da BTV "Sport Lisboa e Modalidades" o processo de criação de uma equipa de raiz dos escalões jovens até ao patamar sénior.

"Se pensarmos na construção da equipa sénior atual, estamos a falar numa construção em que procuramos essencialmente jogadores de qualidade, que acrescentem qualidade no momento, mas que, ao mesmo tempo, estejam aptos e capazes de entrar numa dinâmica de projeto, ou seja, jovens jogadores com margem evolutiva bastante grande e que consigam dar uma resposta àquilo que são as nossas ideias", enquadrou Luís Cruz, que também é treinador ajunto da equipa sénior, em declarações à BTV.

Filipe Cruz Coordenador da Formação de Andebol do Benfica

"Pressão de ganhar faz crescer o rendimento"

"Já do ponto de vista da formação, também é preciso haver uma mudança drástica de mentalidade, porque se alguns deles podiam estar habituados a contextos ou a clubes em que o objetivo é tentar fazer uma boa época, desde que entram num clube como o Benfica, o objetivo é só um: ganhar", prosseguiu.

Luís Cruz referiu que o contexto de competição é muito importante para a evolução dos jogadores.

"Pela experiência de quem trabalha na formação, e depois da ponte entre a formação e a competição, percebe-se que há muitos miúdos que conseguem ter o sucesso real e efetivo em determinados contextos, contextos esses que não têm a pressão da competição e de ganhar. A partir do momento em que se veem confrontados com essa pressão inerente à vitória, o seu rendimento cresce substancialmente", referiu.

Filipe Cruz Coordenador da Formação de Andebol do Benfica

"Equipa B vai atenuar a lacuna que havia entre os juniores e os seniores"

Quanto ao jogador ideal procurado pelo Benfica, o coordenador do andebol de formação referiu quais os objetivos do Clube.

"Quando pensamos em plantéis e em jogadores que possam ser potenciais contratações para o Benfica, pensamos sempre na perspetiva de atletas com qualidade técnico-tática e que depois terão também, a nível da formação, de trabalhar neste contexto da vitória e semanalmente de defrontar gente que ambiciona ganhar a um clube grande, e que ambiciona eventualmente ocupar a vaga que outros atletas estão a ocupar, o que acarreta outra preparação emocional para conseguir dar resposta ao que é representar um clube como o Benfica", considerou.

Luís Cruz explicou ainda o porquê de a criação da Equipa B de andebol ser uma mais-valia para a modalidade.

"Houve uma alteração das idades dos escalões e deparámo-nos com uma dificuldade que era fazer a ponte do escalão júnior para o escalão sénior. A existência desta Equipa B vai atenuar um pouco esta lacuna enorme que existe entre estes dois escalões e vai possibilitar que a nossa equipa júnior comece já a deparar-se com as exigências de uma competição sénior", detalhou.

Texto: Márcia Dores

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

PATROCINADORES MODALIDADES


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar