9 de outubro de 2020, 18h39

Olhar em frente com viagem à Madeira

Basquetebol

Nuno Ferreira analisou o primeiro adversário na Liga Placard de basquetebol e Rui Lança reforçou a posição de Carlos Lisboa após o clássico da Taça de Portugal.

A equipa de basquetebol do Benfica arranca a edição 2020/21 da Liga Placard no Pavilhão do CAB Madeira. O jogo está agendado para as 16h00 de domingo, e Nuno Ferreira, treinador adjunto, perspetivou-o e deixou alertas.

"O Benfica que se vai apresentar é o que queremos apresentar sempre, mesmo no jogo que tivemos com o FC Porto [meia-final da Taça de Portugal]: o melhor possível. Sabemos que não estamos nas condições ideais devido ao tempo que estivemos parados [por causa da COVID-19], mas a cada dia que passa temos de estar melhores, e acho que vamos estar a um bom nível. Esperamos um jogo difícil, pois o CAB Madeira, principalmente em casa, cria dificuldades e vai-nos obrigar a uma concentração constante", observou, em palavras dirigidas à BTV.

Nuno Ferreira

O regresso do Campeonato Nacional de basquetebol vai fazer-se sem público nas bancadas, algo que Nuno Ferreira lamenta.

"É uma coisa a que, infelizmente, temos de nos habituar. O importante é podermos continuar a fazer a atividade que mais gostamos. Espero que seja o mais breve possível. O público gosta de ver jogos, e nós gostamos de ter público nos jogos. É uma união", frisou.

Rui Lança

"Não se defendeu o espetáculo nem a integridade física dos atletas"

Rui lança, diretor das modalidades de pavilhão do Sport Lisboa e Benfica, reiterou as críticas do treinador Carlos Lisboa após a derrota na meia-final da Taça de Portugal com o FC Porto e partilhou o pedido feito pelo Clube junto da Federação Portuguesa de Basquetebol.

"A decisão do Benfica, hoje, é a mesmo que foi antes da Taça de Portugal e que depois se traduziu na insatisfação do treinador Carlos Lisboa. Palavras, afirmações e ideias que já tínhamos transmitido à Federação [Portuguesa de Basquetebol], que eram não considerarmos que a nossa equipa estivesse apta fisicamente após 15 dias de um surto em que vários atletas acusaram positivo, alguns mais do que uma vez. Apesar de estarem aptos, no sentido de os 15 dias terem terminado, eram atletas que tinham treinado duas ou três vezes nos últimos 21 dias. Ou seja, até podíamos ter 10, 15 ou 20 atletas aptos do ponto de vista clínico, mas não foram ao encontro do que é a defesa do espetáculo e da integridade física dos atletas", referiu ao canal de televisão do Clube.

"A nossa posição já tinha sido comunicada à Federação através de mim e do vice-presidente das modalidades [Domingos Almeida Lima], e o que pedimos foi o adiamento da prova por mais uns dias, que possibilitasse que as quatro equipas chegassem à competição nas melhores condições. E não uma das equipas – hoje o Benfica, amanhã outra – não estar à altura dos pergaminhos da competição", acrescentou Rui Lança.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: David Martins / SL Benfica

PATROCINADORES MODALIDADES


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar