António Nunes de Almeida Guimarães

26/03/1911 – 09/07/1911

Gerência relâmpago

Uma Direção deficientemente composta resultou na sua desagregação e consequente necessidade de eleições intercalares.
O seu mandato foi o mais curto da história do Benfica, tendo durado menos de quatro meses (105 dias), período após o qual solicitou a realização de novas eleições. As razões para essa decisão prenderam-se, principalmente, com a impossibilidade de quatro dos sete elementos da Direção corresponderem às necessidades do Clube e também pelo facto de o próprio presidente, por afazeres profissionais, ter de se ausentar de Lisboa com muita frequência. Neste conturbado período, Cosme Damião, eleito vogal da Direção, foi quem mais se destacou, revelando-se como um verdadeiro pilar do Clube.

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar