Futebol

22 julho 2020, 00h01

Jogadores do Benfica comemoram um dos golos apontados por Gonçalo Ramos

RESUMO DO JOGO

O Benfica, que manteve as suas redes intocadas pelo segundo jogo seguido, apontou quatro golos sem resposta em casa do Aves e venceu na 33.ª e penúltima jornada da Liga NOS. Jovem formado no Clube, Gonçalo Ramos entrou perto do fim (estreia absoluta na equipa principal!) e faturou a dobrar.

A tempestade que se abateu furiosamente sobre a equipa avense nos últimos tempos (com SAD e clube desavindos), e que colocou em dúvida, quase até à última, a realização deste encontro, motivou um minuto de protesto dos nortenhos. Após o apito inicial do árbitro António Nobre, durante 60 segundos a bola circulou apenas entre os elementos do onze titular das águias, com os jogadores do Aves estáticos, paralisados no relvado como forma de contestação pelo que têm vivido nesta época.

O jogo começou a valer quando se entrou no segundo minuto... e o primeiro golo surgiu aos quatro. Rúben, na linha defensiva do Benfica (que teve Svilar na baliza), abriu para o flanco direito, servindo a ação de Pizzi, que rapidamente procurou explorar a desmarcação de Rafa, isolando o camisola 27 com um passe comprido. No cara a cara com Sheytanov, o internacional português, de volta à titularidade, puxou a bola para o lado direito e acertou nas redes (0-1). Foi o 7.º golo de Rafa e a 13.ª assistência de Pizzi na Liga NOS 2019/20!

Aves-Benfica

Pizzi esteve na génese de novo lance perigoso no ataque das águias. Pela direita, o camisola 21 cruzou para o cabeceamento de Vinícius, que levou a melhor no duelo com os centrais, mas errou a baliza (15'). Rafa também se fez protagonista ao minuto 19, rasgando pela esquerda e entregando o esférico a Chiquinho, que, no interior da grande área, rematou com o pé canhoto para defesa de Sheytanov.

Uma iniciativa de Banjaqui pelo lado direito do Aves terminou com um remate ameaçador, mas o guarda-redes Svilar, muito atento, mergulhou e sacudiu o esférico junto ao poste mais próximo, afastando para canto (33').

Com o aviso avense, o Benfica voltou a esticar o seu jogo e aproximou-se das redes do anfitrião. Florentino (outro regresso à titularidade) ensaiou um remate de meia distância, mas à figura de Sheytanov (36'). O guarda-redes do conjunto nortenho brilhou de novo aos 39', voando para suster a bola rematada por Pizzi "do meio da rua". O resultado da primeira parte estava feito.

Aves-Benfica

O Benfica arrancou com pressa na segunda metade do desafio. Pressa de criar ataques, de chegar à área do Aves, de rematar, de gerar oportunidades de golo.

Vinícius desaproveitou a hipótese de faturar o 0-2 aos 47' (num passe de bandeja de Chiquinho, forte na recuperação de bola na área avense); André Almeida quase desfeiteava o guardião Sheytanov aos 48', no culminar de uma jogada bem recortada no relvado; e Pizzi, aos 50', chutou dentro da área e viu a trajetória da bola ser alterada pelo braço esquerdo de Bruno Morais. Penálti!

O castigo máximo, assinalado pelo árbitro António Nobre, teve validação por parte do videoárbitro Tiago Martins. Da marca dos 11 metros (52'), Pizzi foi gélido na execução e bateu o guarda-redes (0-2). O internacional português alcançava assim o seu 18.º golo neste Campeonato, igualando o seu companheiro Vinícius como melhor marcador da competição!

Aves-Benfica

Mais intenso e desenvolto na explanação do seu futebol, o Benfica foi carregando sobre a área do Aves. Com uma bela execução técnica, Vinícius armou um remate de fora da área e Sheytanov respondeu com uma estirada a negar o terceiro golo às águias (62'). 

Nos encarnados, o livro das substituições foi aberto ao minuto 64. Nélson Veríssimo reformulou o ataque, trocando Vinícius e Chiquinho por Seferovic e Dyego Sousa.

Uma combinação bem desenhada na frente, aos 71', permitiu a Rafa infiltrar-se na esquerda e cruzar para o amortecimento de Seferovic na direção de Pizzi, que, em ótima posição para visar a baliza, não conseguiu concluir como queria e bisar na partida.

Nova modificação foi introduzida na equipa do Benfica ao minuto 78: saiu Rafa, entrou Jota. E, já depois de uma tentativa de Dyego Sousa para ampliar o score (82'), Nélson Veríssimo mudou mais duas peças (85'): Gabriel e Pizzi foram rendidos por Samaris e Gonçalo Ramos, jovem atacante formado no Clube em estreia absoluta pela equipa principal.

Goncalo Ramos Benfica

E que história tem Gonçalo Ramos para contar: aos 87', na primeira movimentação na área, soltou-se para atacar o primeiro poste na sequência um livre lateral cobrado à esquerda por Nuno Tavares e, com um toque habilidoso, anotou o 0-3. Um sonho para este jovem de 19 anos, que voltaria a gritar "golo" antes que o pano caísse. Aos 90'+3', surgindo um pouco descaído para a direita no ataque, Gonçalo Ramos recebeu um passe de Dyego Sousa, entrou na área e rematou para o 0-4.

A Liga NOS 2019/20 termina no fim de semana que vem. O Benfica, com o segundo lugar já garantido como classificação final, despede-se desta edição do Campeonato no sábado com a receção ao rival Sporting. O pontapé de saída do dérbi no Estádio da Luz está agendado para as 21h15 de sábado (25 de julho).

Camisola Benfica Pizzi

Texto: João Sanches

Fotos: David Martins / SL Benfica

Última atualização: 22 de julho de 2020

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar