Futebol

09 junho 2020, 18h41

Bruno Lage

ANTEVISÃO

Bruno Lage sabe que vai encontrar [quarta-feira, às 19h15] um Portimonense com "muita qualidade", mas a estratégia do treinador do Benfica está bem definida. Perante um adversário que luta pela permanência, do lado dos encarnados mantém-se o objetivo de "vencer o Campeonato".

No Benfica Campus, na conferência de Imprensa de antevisão à 26.ª jornada da Liga NOS, o técnico reagiu ao ataque ao autocarro do Benfica, frisando que é preciso distinguir quem cometeu o ato dos adeptos que apoiam a equipa nos bons e nos maus momentos.

Bruno Lage

O que espera do jogo de quarta-feira depois do empate na receção ao Tondela?

Não foi o resultado que esperávamos, mas foi um jogo em que a equipa produziu seis oportunidades de golo, tendo apenas o guarda-redes pela frente: duas que batem no poste, três ou quatro que saem rente ao poste com remates cruzados, muitos cruzamentos a surgir na pequena área e duas claríssimas oportunidades com o guarda-redes batido e a defesa adversária a tirar a bola em cima da linha de golo. Espero que a equipa dê uma resposta e consiga marcar golos, porque é o que precisamos neste momento. Temos 27 pontos para disputar e a nossa mentalidade é sair deste jogo, em que criámos este conjunto de oportunidades e que nos podiam ter dado os três pontos que nós pretendíamos… É seguir em frente, criar o mesmo volume de oportunidades, marcar golos e vencer diante de um adversário muito competente, em particular desde este reinício, mas também da entrada do míster Paulo Sérgio. Tem um plantel com muita qualidade, em particular nos jogadores da frente. Estão numa situação muito complicada, e conquistaram três pontos [na última jornada] com o objetivo de alcançar a permanência. Eles lutam pela permanência e nós para vencer o Campeonato.

Bruno Lage

"SINTO A EQUIPA CONFIANTE, UNIDA E A TRABALHAR DE FORMA FANTÁSTICA"

Depois do jogo com o Tondela [25.ª jornada da Liga NOS] soube-se do ataque ao autocarro do Benfica e houve também um ataque a algumas das casas dos atletas. Como é que o plantel está? Há medo que isto volte a acontecer se o resultado em Portimão não for favorável?

Há que separar os assuntos e falar apenas de futebol. Medo não há. A situação aconteceu, tivemos de vivenciá-la e sinto que está completamente ultrapassada. Não temos medo nenhum e há uma vontade enorme de que o jogo aconteça o mais rapidamente possível para marcarmos os golos que não marcámos no último jogo. Sinto a equipa confiante, unida e a trabalhar de uma forma fantástica para dar alegrias aos nossos adeptos.

Como é que viveu o momento em que o autocarro foi apedrejado?

Foi tudo tão rápido... Não sei o que hei de dizer. Sei é que não confundo isto que se passou com os adeptos que fizeram o corredor na época passada em Vila do Conde e que nos apoiam nos bons e nos maus momentos. Não interessa a forma como vivi o momento. Interessa é que todos os jogadores, nomeadamente o Zivko e o Julian, estão bem e treinaram bem, sem qualquer problema.

Luís Filipe Vieira confirmou que conversou com os jogadores no balneário após o jogo com o Tondela. Sentiu-se desautorizado?

Desautorizado? Porquê? O Presidente vai ao balneário quando entender e, neste caso, foi uma conversa de pai para filhos.

Bruno Lage

"QUEREMOS FAZER MAIS E MELHOR"

O Benfica vem de quatro empates consecutivos. Este plantel é praticamente o mesmo da primeira volta do Campeonato. O que aconteceu com o Benfica? Há desgaste? Falta de confiança dos jogadores?

Tivemos um período de três meses em que não jogámos. Se fizer a análise que fizemos do último jogo em que tivemos o registo que tivemos ao nível ofensivo, era a bola entrar e hoje não era feita esta pergunta. Isto não implica que nós não temos a noção de que tínhamos de vencer este jogo e que queremos fazer mais e melhor. Depois de três meses sem competir, ter este número de oportunidades com o guarda-redes pela frente, e duas ou três oportunidades em que a bola vai ao poste... Há que fazer os golos.

Bruno Lage

Continua confiante, pese a ineficácia revelada na finalização no último jogo?

O caminho é este. Há sempre que repensar, refletir e tentar evoluir. Pensar, treinar e jogar levam-nos a um caminho de dia a dia, de treino a treino e de jogo a jogo.

A medida, já aprovada, das cinco substituições, ajuda na estratégia para o jogo de quarta-feira?

Há prós e contras. Concordo muito com esta medida e até prevejo que possa continuar no futuro, desde que se mantenham as três paragens.

Bruno Lage

"Vontade enorme de marcar os golos que não marcámos no último jogo"

Apenas um dos primeiros sete classificados venceu na última jornada [Famalicão]. Sente que as outras equipas menos favoritas estão mais próximas daquelas que estão acima do meio da tabela?

O tempo de preparação condiciona. O facto de não haver adeptos no estádio é algo que estamos a viver pela primeira vez, mas isso acontece a todos. Estas condicionantes de estarmos três meses sem competir, ter apenas poucas semanas para trabalhar em termos coletivos, não haver os habituais jogos de treino antes de começar a competição e o facto de não haver público nas bancadas são pontos que temos de ter em consideração. Já aconteceu na Alemanha, aconteceu em Portugal e tem acontecido um pouco por todo o lado, contudo, uma coisa é essa reflexão, outra é a situação que estamos a viver. Todavia, volto a repetir: há a obrigação de vencer, marcar golos, fazer mais, melhor e temos de estar confiantes e unidos para o jogo de Portimão.

Bruno Lage

"TODOS OS JOGADORES ESTÃO BEM E TREINARAM SEM QUALQUER PROBLEMA"

É justa a crítica de que a equipa continua com pouca dinâmica?

A palavra dinâmica quer dizer muita coisa... Poderá querer dizer a dinâmica e as movimentações dos jogadores da frente; a dinâmica entre a ocupação de espaços, saber aguentar para depois a bola poder entrar noutros espaços; a dinâmica na circulação para, quando atrairmos o adversário a um lado, a bola entrar num espaço ofensivo e sermos mais agressivos para retirar jogadores do caminho... A dinâmica vem com a continuidade e com a prática, está sempre na minha ideia e em todas as minhas equipas, na procura do golo, em ser ofensivo, atrevido... A nossa forma de pensar o jogo é de ir para a frente e de atacar; colocamos e decidimos quem vai para o banco de maneira a termos jogadores ofensivos para estarmos sempre à procura do golo. Estamos cientes e conscientes de que temos de ganhar jogos, temos de marcar golos, e isso só se faz com muito trabalho, muita confiança e união, e foi isso que verifiquei desde o final do jogo com o Tondela.

Texto: Diogo Nascimento, Filipa Fernandes Garcia e João Sanches

Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica

EQUIPAMENTOS ATÉ 50%

Última atualização: 9 de junho de 2020

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar