15 de abril de 2020, 11h21

Jorge Jacinto: "Dimensão global do Clube sai reforçada"

Clube

Projeto Casa Benfica 2.0 passa a constar no plano curricular na licenciatura em Gestão da Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica Portuguesa. Apresentação, na terça-feira, foi "um sucesso".

REPORTAGEM BTV

A Casa do Benfica 2.0, que terá o seu piloto em Santarém, é um caso de estudo no âmbito do plano curricular (licenciatura em Gestão) da Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica Portuguesa. A aula de apresentação online aconteceu na terça-feira, e Jorge Jacinto, diretor do Departamento de Casas do Benfica, foi convidado.

Sempre na vanguarda, e depois de levado a cabo o projeto de Uniformização, uma verdadeira revolução nos braços-armados do Clube, isto em 2009, o Benfica decidiu ir mais longe, e é assim que surge o Projeto Casa Benfica 2.0.

Em 10 de fevereiro de 2019 o projeto foi explicado, com os olhos postos no futuro, dividido em três áreas de atuação: o Benfica Ativo (atividades dos 6 aos 100 anos), o espaço Snack-Bar e Restaurante e a Store Benfica. Tudo isto com o objetivo de dotar os braços-armados do Clube de um associativismo ainda mais forte, acrescendo a capacidade de realização de eventos.

Casa Benfica Projeto 2.0

"Tema suscitou forte interesse na Faculdade, dada a sua dimensão inovadora"

"No ano passado tivemos a estagiar connosco o Miguel Abilheira, aluno de Mestrado da Universidade Católica, sendo que a tese dele passava precisamente pelo estudo do projeto Casa Benfica 2.0. Para nós, Benfica, isto foi muito importante, pois ajudou-nos também a afinar, na altura, toda a máquina relativa ao projeto", contextualizou Jorge Jacinto, em declarações exclusivas ao Site Oficial.

"Aquando da apresentação da tese, o tema começou a suscitar um forte interesse na Faculdade, por parte de professores e alunos, dada a dimensão inovadora do mesmo. Havia muita expectativa e também muita vontade de perceber como tudo iria funcionar. Aliás, há muito tempo que não havia tanta discussão por parte de um júri relativamente a uma tese, e a partir daí foi a própria Universidade Católica quem pediu autorização ao Benfica para colocar este projeto, este caso de estudo, na sua cadeira de Gestão. Hoje foi a primeira vez, correu muito bem, mas para o ano vai repetir-se", acrescentou, orgulhoso, o diretor do Departamento das Casas do Clube.

Jorge Jacinto

"Experiência muito boa, enriquecedora e de grande orgulho para o Benfica!"

A primeira aula aconteceu nesta terça-feira (14 de abril), via plataformas online. Nuno Guedes é o professor responsável pela cadeira, e do outro lado dos ecrãs estiveram 40 alunos das mais diversas nacionalidades. Um "orgulho" muito grande!

"Foi uma experiência muito boa, enriquecedora e de grande orgulho para o Benfica! Segundo o professor, este caso suscitou um interesse muito grande e os alunos também gostaram muito. Estiveram online alunos de várias nacionalidades, mostraram-se muito preparados para o caso e colocaram questões muito pertinentes acerca da sustentabilidade do mesmo e da forma como, sendo um Clube, se transforma toda esta vertente lúdica em algo profissional. A marca Benfica, a própria dimensão global do Clube sai reforçada. É um reconhecimento muito grande para as Casas. E a partir de agora, todos os anos, isto vai acontecer", revelou, satisfeito, Jorge Jacinto, minutos após a aula ter terminado, à conversa com o Site Oficial.

Casa Benfica Projeto 2.0

"Pensar em outras soluções, adaptando-nos a esta nova realidade, para regressarmos mais fortes"

A Casa-piloto para este inovador projeto é a de Santarém, e tudo apontava para que a inauguração acontecesse "entre 10 e 12 de junho, para que coincidisse com as festas da cidade e a Feira Agrícola". "Infelizmente, devido à pandemia, foi tudo adiado", adiantou Jorge Jacinto.

Este projeto, como todos os anteriores desde a criação da primeira delegação… (e é preciso viajar até 1911 para encontrar o Sport Lisboa e Portalegre), é sintomático do papel inovador e sempre na vanguarda do Clube.

Mais uma vez, este projeto único – e daí ser caso de estudo! – irá alterar o paradigma das Casas do Benfica, com dotação de mais-valias em vários domínios (onde se destacam o desportivo e académico). O importante modelo de gestão associado irá contribuir para a economia local, com, por exemplo, a criação de emprego e mais riqueza.

Agora, a COVID-19 mudou o mundo e as Casas do Benfica também estão a mudar e a adaptar-se, sendo o primeiro passo "o reforço de toda a área tecnológica para responder mais e melhor a desafios deste género".

Jorge Jacinto Diretor Casas do Benfica

"O mundo mudou, as Casas do Benfica vão ter de se adaptar, e mudar também"

"Queremos que as Casas do Benfica, os Benfica Ativos, sejam ainda mais polos aglutinadores de conteúdos, tudo ligado em rede, através das diversas plataformas online. Por exemplo, ter as crianças e jovens da localidade a terem aulas nas Casas, com os professores online", revela Jorge Jacinto, e acrescenta algo muito curioso e com o que todos estamos a ser confrontados…

"Antes, o desafio era como retirar as nossas crianças e jovens da frente dos ecrãs, dos computadores, dos iPad... Agora, há que pensar em outras soluções, adaptando-nos a esta nova realidade. Não nos vamos desviar dos nossos objetivos, há que perceber como fazê-lo, convivendo com a tecnologia e a vontade de as pessoas estarem juntas… No fundo, continuar a reforçar laços existentes e criar outros com as novas gerações", vincou.

Tal como todos, as Casas, Filiais e Delegações estão a mudar, de forma resiliente e solidária, mostrando uma capacidade e paixão enormes. O SL Benfica está atento, como está como todos os que vestem e honram o Manto Sagrado dentro e fora das quatro linhas, e Jorge Jacinto explica a situação atual e traça cenários para o futuro.

"Existe um acompanhamento intenso, a 100 por cento, com contactos permanentes. Existem cerca de 300 Casas, portanto, não é fácil chegar a todas e a todo o lado, mas estamos a conseguir fazê-lo com um número muito alargado", assinalou.

Jorge Jacinto

"Conviver com a tecnologia e a vontade de as pessoas estarem juntas, reforçar laços e criar outros"

"O primeiro ponto é o acompanhamento, o segundo a recolha de dados para perceber as dificuldades financeiras existentes, e não só, para depois agirmos em conformidade. Na quinta-feira teremos a terceira reunião com a presença, ainda que virtual, de todos os delegados de cada região. Reunimos todas as semanas para analisar e encontrar soluções. A primeira foi colocar cada Casa do Clube em consonância com as medidas levadas a cabo por cada País… E o Benfica tem Casas em praticamente todo o mundo. Não foi fácil, mas conseguimos. Depois, muitas tiveram de recorrer ao layoff, isso não chega, e o Benfica aqui tomou medidas, por exemplo, no que toca aos valores das comissões e do merchandising/bilhética, que foram antecipados ou retidos…", explicou.

Olhando em frente, para o futuro, a estratégia está bem delineada e tudo é planeado com rigor e noção da realidade.

"Nós, Benfica, estamos a criar um plano para que, quando se puder arrancar, estarmos preparados para a realidade imediata, mas também futura. O mundo mudou, as Casas do Benfica vão ter de se adaptar, e temos de acelerar a digitalização e oferecer muito mais do que as Casas ofereciam… Felizmente existe um conjunto alargado de Casas do Benfica que à data de hoje estão muito bem e descansadas no que toca às questões financeiras, mas também há outras, que estavam em fase de investimento e modernização, que precisam de apoio, e estamos, de forma coordenada, a fazê-lo. Uma ou outra, que já antes desta pandemia estavam com dificuldades, essas não vamos conseguir salvar, há que dizê-lo também. Mas queremos regressar ainda mais fortes", concluiu Jorge Jacinto.

Texto: Sónia Antunes

Fotos: SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar