4 de janeiro de 2018, 03h04

Quatro penáltis não assinalados

Futebol

A análise de António Rola, especialista de arbitragem da BTV, aos lances mais polémicos do dérbi.

Após o jogo entre SL Benfica e Sporting CP, que culminou com um empate (1-1) no Estádio da Luz, António Rola, especialista de arbitragem, analisou na BTV os lances mais polémicos do dérbi da 16.ª jornada da Liga NOS.

18’ Fora de jogo de Acuña precede o golo de Gelson. Lance irregular.

O videoárbitro tinha a obrigação de intervir. No momento em que Acuña recebe a bola, o seu pé direito está mais adiantado que o penúltimo defesa do Benfica. Aqui havia matéria de facto para que o VAR dissesse ao árbitro principal que a jogada que vai dar origem ao golo do Sporting nasce de uma infração cometida pelo jogador do Sporting. O VAR deve analisar toda a jogada, mesmo que seja na fase preliminar como é o caso. Através das linhas verifica-se que Acuña está em fora de jogo. Erro com influência no resultado. O golo deveria ter sido invalidado porque é obtido de forma irregular. Serve ainda como jurisprudência o lance com o Portimonense, também aqui no Estádio da Luz, onde, num lance muito idêntico, o VAR anulou o golo ao Portimonense.”

27’ Jardel impedido de jogar a bola por Fábio Coentrão. Penálti não assinalado.

“Deixemos aqui de lado as questões de intensidade e vamos aos factos! Objetivamente, Jardel é impedido de jogar a bola por Fábio Coentrão na pequena área. Grande penalidade indiscutível por assinalar. Aliás, é mais claro e evidente do que o lance do Bas Dost frente ao V. Setúbal e aí é marcado penálti, um penálti que deu a vitória ao Sporting. Qual é o critério? Tem de ser igual, seja em que estádio for!

34’ Braço de Fábio Coentrão na bola. Penálti não assinalado.

A posição que Fábio Coentrão cria é de aumentar o volume para a sua baliza. Eventualmente, acredito que poderá ter ficado neste lance mais uma grande penalidade por assinalar contra o Sporting. Olhando para a fotografia do lance, o jogo teria de ser interrompido e exibido cartão vermelho a Fábio Coentrão, porque a bola ia para a baliza e assinalar penálti contra o Sporting.”

60’ Braço de Piccini na bola, desviando o remate de Jonas. Penálti não assinalado.

Já vi lances idênticos sancionados com grande penalidade. Sempre que existiram dúvidas, nunca se assinalou nada de forma favorável ao Benfica.”

74’ Braço de William Carvalho na bola. Penálti não assinalado.

“Aquela não é a posição correta de William Carvalho abordar o lance. William Carvalho leva o braço perfeitamente aberto, cujo objetivo é que a bola não vá para o jogador do Benfica. Ficou aqui mais uma grande penalidade claríssima por marcar. Erro grave.”

89’ Battaglia corta a bola com a mão. Penálti assinalado.

“Battaglia, de uma forma objetiva, joga a bola com o braço esquerdo e evita que ela vá para a baliza. Aceita-se o cartão amarelo. Grande penalidade indiscutível.”

Análise global

"Tenham a coragem de colocar em prática as leis do jogo, sejam justos! Hugo Miguel, árbitro principal, e Tiago Martins, o VAR, mostraram como não se deve arbitrar, não dando cumprimento às leis do jogo. Hugo Miguel não teve pulso no jogo no aspeto técnico e disciplinar, e o VAR, tendo acesso às imagens, não foi justo, não esteve correto e não cumpriu a sua missão. Vários erros graves com influência no resultado do jogo!"

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar