12 de janeiro de 2018, 14h46

Aniversário: Valdo, o mágico para quem o Benfica é uma "febre"

Futebol

Um dos melhores jogadores brasileiros da história do Clube comemora 54 anos de vida.

Valdo Filho, ex-glória do Benfica, tem um cantinho especial na história do Clube. Nascido a 12 de janeiro de 1964, o antigo internacional brasileiro comemora 54 anos de vida e, pelo que fez de águia ao peito, conquistou o direito a ser recordado como um dos melhores jogadores dos encarnados nas décadas de 1980 e 1990.

Na última Gala do Benfica, em março de 2017, Valdo falou de forma apaixonada sobre o Clube: "O Benfica tem uma tendência para crescer cada vez mais. Em cada português que nasce, um é do Benfica. O Benfica é uma febre."

O "mágico", cognome que lhe era atribuído na altura, esteve ao serviço do Clube da Luz em dois períodos: 1988-1991 e 1995-97. Pelo meio, representou o PSG. Fenómeno de longevidade, Valdo espalhou magia até 2004, altura em que, com 40 anos, decidiu encerrar a sua carreira de jogador.

No Benfica, Valdo estreou-se pela mão de Toni, em 1988. Jogou 184 partidas pelas águias, marcou 29 golos e conquistou 4 troféus (2 Campeonatos Nacionais, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça Cândido de Oliveira).

Natural de Siderópolis, do Estado de Santa Catarina, o antigo camisola 10 fez o primeiro jogo pelo Glorioso a 28 de agosto de 1988, frente ao Espinho, partida que acabou empatada a duas bolas, no Campeonato Nacional.

Logo no terceiro jogo de águia ao peito, a contar para a 1º mão da Taça UEFA (atual Liga Europa), Valdo marcou, aos 82’, o seu primeiro golo com o Manto Sagrado, numa partida favorável ao Benfica (0-3), que defrontou o Montpellier, em França.

A 24 de Maio de 1997, o "mágico" marcou o vigésimo nono e último golo ao serviço do Benfica, num clássico referente à 32.ª jornada do Campeonato Nacional, frente ao FC porto.

A ex-glória despediu-se do Clube a 10 de junho de 1997, dia em que se realizou a final da Taça de Portugal. Os encarnados defrontaram o Boavista, mas não conseguiram levar a melhor (3-2).

Ao longo da sua carreira de jogador de futebol, o ex-criativo passou ainda por emblemas como Grémio, Nagoya Grampus, Cruzeiro, Santos, Atlético Mineiro e Botafogo, entre outros.

Texto: Márcia Dores

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar