Futebol

29 janeiro 2018, 16h17

Hélder Cristóvão

O campo n.º 1 do Caixa Futebol Campus acolhe o regresso do Benfica B à ação na II Liga (Ledman LigaPro). Às 18h00 de terça-feira, as jovens águias, guiadas tecnicamente por Hélder Cristóvão, batem-se com o Famalicão, na 22.ª jornada da competição.

Na antevisão do embate com os famalicenses, Hélder Cristóvão lembrou que os resultados do adversário não foram os melhores nas rondas mais recentes, mas disse estar à espera de um oponente revigorado em consequência da mudança de treinador ocorrida há cerca de uma semana (saiu Dito, entrou Vasco Seabra).

"O Famalicão está a viver um pouco as dores da II Liga, uma competição muito complicada e difícil. Por vezes as expectativas vão por água abaixo num jogo e depois nem sempre é fácil voltar a ter uma continuidade de vitórias. Vejo esta equipa do Famalicão muito bem montada e estruturada. Teve um período muito bom, agora atravessa uma série negra, com cinco derrotas seguidas. Com a mudança de treinador, os fatores anímicos são diferentes", assinalou Hélder Cristóvão em declarações à BTV no lançamento do desafio.

"O Vasco [Seabra] é um treinador jovem, que vem da I Liga. Estou ciente de que vai trazer uma forma de jogar diferente. Vamos ver uma equipa mais próxima daquilo que o Vasco fazia no Paços de Ferreira, uma equipa que quer ter posse, jogar o jogo pelo jogo, com um futebol apoiado e bonito, mas também sabendo que vem de cinco derrotas e é imperativo pontuar. Creio que vai tentar entrar forte e depois, consoante aquilo que o jogo lhe for dando, vai-se ajustando, sabendo que não perder será sempre um bom resultado", antecipou o técnico do Benfica B.

"Pela nossa parte, estamos a oscilar um pouco, fruto de tantas mexidas. Não conseguimos fazer três/quatro jogos com a mesma equipa e isso tira-nos alguma regularidade e consistência no que queremos fazer. Isto não serve como desculpa, apenas como atenuante para o facto de as coisas nem sempre correrem tão bem em todos os jogos. Temos uma equipa diferente por diante, com jogadores experientes, mas a minha mensagem para os jogadores agora é no sentido de esquecer tudo o que foi feito e de projetarmos a nossa capacidade, a nossa energia naquilo que pode acontecer e vai acontecer no futuro. E o futuro passa já por este jogo", destacou Hélder Cristóvão.

Benfica B-Oliveirense

O treinador explicou, em traços gerais, o que os seus comandados têm para exibir dentro das quatro linhas, ressaltando que o encerramento do período de transferências é um fator que, no seu entendimento, vai favorecer a estabilidade dos jogadores e do seu rendimento.

"Queremos uma equipa com jogo alegre, dinâmicas, a querer ter posse e a instalar-se no meio campo contrário. Tivemos tempo para treinar a equipa, para melhorar alguns processos. O mercado fecha no dia 31 de janeiro e as coisas vão estabilizar. Até fechar, temos sempre oscilações, não conseguimos fugir a isso, pois sabemos que os nossos jogadores são apetecíveis para muitas equipas", indicou o treinador.

"Queremos fazer tudo, superar-nos a cada momento; queremos ter ainda uma palavra a dizer na II Liga, dar muitas alegrias às pessoas que vêm aqui ao Caixa Futebol Campus. Estamos no momento de o conseguir fazer. Estável, contem com um Benfica B muito diferente", afirmou Hélder Cristóvão.

Os números expõem que o Benfica B se sente muito mais confortável a jogar na condição de visitado: dos 28 pontos amealhados em 21 jornadas na II Liga, apenas cinco foram conquistados longe do Seixal. O treinador dos jovens encarnados tem explicações para tamanho diferencial, que pretende ver alterado no segundo turno do campeonato.

"A forma mais fácil de analisar esse aspeto seria falar na juventude. Jogos fora, maior adversidade e contextos um bocadinho mais duros em que temos sempre uma ou duas oportunidades para fazer o golo, mas não conseguimos. Alguma ansiedade, alguma inexperiência... e depois de alguma maneira o jogo vira, e quando isso sucede não temos tido capacidade de transformar o jogo e recolocá-lo outra vez a nosso favor. É um processo de crescimento, temos falado e analisado. Certamente na segunda metade do Campeonato as coisas vão ser diferentes, porque os jogadores já conseguem encarar essas situações muito mais de frente, não se desviam e isso a mim deixa-me sossegado e tranquilo", valorizou Hélder Cristóvão.

Texto: João Sanches

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Última atualização: 7 de fevereiro de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar