7 de fevereiro de 2018, 13h32

Laboratório já rendeu 12 golos na Liga NOS

Futebol

A equipa do Benfica tem sabido aproveitar os lances de bola parada no campeonato.

O laboratório do Benfica já rendeu 12 golos (mais cinco de grande penalidade) na época 2017/18 na Liga NOS: nove na sequência de cantos, três no aproveitamento de livres.

Os lances de bola parada ganham cada vez mais protagonismo num jogo de futebol. Rui Vitória, treinador do Benfica, sabe-o e, juntamente com a sua equipa técnica, vai aprimorando o trabalho nessa vertente.

No último sábado, diante do Rio Ave, três dos cinco golos resultaram de lances de bola parada, mais concretamente pontapé de canto. Jardel, Jonas e Rúben Dias foram os nomes que deram expressão na baliza adversária ao trabalho de casa, fazendo do Benfica a primeira equipa desta edição da Liga NOS a apontar três golos dessa forma.

Benfica viu os vila-condenses surpreenderem com um golo aos 9’, por Guedes, no primeiro remate à baliza. “O intervalo foi um momento muito importante, onde todos sentimos que havia um desafio e os desafios são para ser superados. Parece que nos estavam a colocar ainda mais à prova, no sentido de ‘vamos pôr mais uma dificuldade a esta equipa para ver se ela tem capacidade para a superar’”, referiu Rui Vitória no final do encontro.

No segundo tempo, a equipa benfiquista reforçou a determinação e, aos 48’, Jardel desbloqueou com um golpe de cabeça após canto apontado por Cervi (1-1); Pizzi consumou a reviravolta pouco depois (2-1) e a equipa libertou-se até à goleada. O 3-1, nascido de um canto batido à esquerda, teve assistência de Jardel e finalização de Jonas. Já o 4-1 derivou de um canto executado à direita por Pizzi e concluído de cabeça por Rúben Dias (ver vídeo com resumo do jogo).

Os três tentos obtidos na sequência de cantos permitiram ao Benfica subir ao lugar mais alto das equipas com mais golos através de pontapés de canto: 9 contra os 6 contabilizados por FC Porto e SC Braga. Para além destes, realce para os 3 apontados através de livres.

As águias, que no sábado visitam o Portimonense na 22.ª ronda da Liga NOS, têm o ataque mais concretizador da prova, com 52 remates certeiros. 12 deles, ou seja, mais de 20% apareceram através de lances de laboratório. A estes somam-se as cinco grandes penalidades concretizadas por Jonas.

GOLOS DE LABORATÓRIO EM 2017/18

Jogo Marcador Tipo de lance
Benfica-Belenenses Jonas (2’) livre
Benfica-Belenenses Salvio (28’) pontapé de canto
Benfica-P. Ferreira Jonas (61’) pontapé de canto
Benfica-Feirense Jonas (11’) pontapé de canto
Benfica-V. Setúbal Luisão (7’) livre
Benfica-V. Setúbal Jonas (39’) pontapé de canto
Tondela-Benfica Jonas (60’) pontapé de canto
Tondela-Benfica Jonas (78’) pontapé de canto
Belenenses-Benfica Jonas (90’+6’) livre
Benfica-Rio Ave Jardel (48’) pontapé de canto
Benfica-Rio Ave Jonas (71’) pontapé de canto
Benfica-Rio Ave Rúben Dias (83’) pontapé de canto

 

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar