25 de março de 2018, 17h21

Germano: o defesa de sonho do Bicampeão Europeu

Futebol

Um dos melhores futebolistas do Benfica na década de 1960, jogou de águia ao peito durante sete temporadas e conquistou oito títulos.

Germano Figueiredo, nascido em 23 de dezembro de 1932 e falecido em 14 de julho de 2004, foi considerado um dos melhores futebolistas do Benfica na década de 1960. O plantel encarnado tinha um ataque de sonho e Germano comandava a retaguarda de uma equipa que fez história em Portugal e na Europa.

Esteve ao serviço das águias durante sete temporadas (1960/61 a 1966/67) onde realizou 161 jogos, marcou seis golos e ainda conquistou oito títulos: duas Taças dos Campeões Europeus, quatro Campeonatos Nacionais e duas Taças de Portugal.

Foi no Benfica que atingiu o pico da fama. Era um verdadeiro comandante da equipa, com uma visão exata da melhor estratégia a seguir. Defesa-central com excelente domínio de bola, distribuía-a aos médios e avançados com admirável rapidez e precisão de quem sabe o que faz e o que deve fazer.

Germano estreou-se com o Manto Sagrado a 30 de setembro de 1960, em Budapeste, na 2.ª mão (jogo disputado a duas eliminatórias) da Taça dos Campeões Europeus, frente ao Újpest FC. As águias tinham ganhado na 1.ª mão por 0-1, mas a 2.ª mão valeu uma vitória da equipa húngara por duas bolas a uma. O único golo encarnado da partida foi apontado por Joaquim Santana, aos 5’.

Nascido e criado no bairro de Alcântara, Germano Figueiredo representou o Atlético Clube de Portugal antes de defender o Benfica e tornou-se mesmo num dos porta-estandartes do emblema da Tapadinha, onde, na tarde de 25 de março, se disputou a primeira edição do torneio com o nome daquela grande figura do futebol português.

Texto: Márcia Dores

Fotos: Arquivo

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar