31 de março de 2018, 20h53

A oitava com uma maravilha

Futebol

O Benfica superou o V. Guimarães por 2-0 na 28.ª ronda da Liga NOS e já vai em oito vitórias seguidas, a melhor série absoluta desta edição da prova.

O Benfica teve de arregaçar as mangas para contornar o V. Guimarães na 28.ª jornada da Liga NOS. Triunfo por 2-0 no Estádio da Luz, com dois golos assinados por Jonas, um em cada período do encontro.

A equipa de Rui Vitória ascendeu assim à liderança (o FC Porto visita o Belenenses na segunda-feira) e alcançou a oitava vitória seguida, a maior sequência absoluta neste campeonato.

Bem arrumado taticamente, o V. Guimarães foi um obstáculo duro na primeira parte. O Benfica encontrou dificuldades de penetração na quase sempre bem preenchida zona defensiva vimaranense, que, com linhas muito próximas nas imediações da sua área, barrou caminhos, congestionou espaços e impediu a equipa benfiquista de explorar a profundidade, sobretudo pelos flancos.

Aos 23’, numa fase em que o V. Guimarães lançou alguns contragolpes e ataques rápidos, mormente pelo corredor esquerdo, Raphinha chegou a tocar a bola para as redes encarnadas, mas o passe para o atacante vimaranense fora feito por Jubal em posição irregular. Infração detetada e livre corretamente assinalado.

Acelerando a circulação de bola na última fase antes de se esgotarem os 45 minutos iniciais, o Benfica também conseguiu acercar-se mais vezes da baliza defendida por Miguel Silva. Numa dessas investidas, conquistou um canto à direita. Na cobrança, Pizzi levantou o esférico para o coração da área e a bola acabou por ser desviada pelo braço esquerdo (no ar) de João Aurélio. Depois de consultar o videoárbitro e de o próprio ver as imagens do lance, Carlos Xistra não teve dúvidas e apontou para a marca dos 11 metros. Na execução do penálti, Jonas foi competente e enganou Miguel Silva: bola para a esquerda, guarda-redes adversário para a direita. 1-0 para o Benfica aos 45’.

A segunda parte do encontro começou com duas ameaças de Grimaldo, em lances em que o Benfica procurou a profundidade com passes para as costas da linha defensiva visitante. No primeiro desses momentos, Miguel Silva largou os postes e antecipou-se ao lateral espanhol; no segundo, o camisola 3 das águias enquadrou-se e visou a baliza, mas o guarda-redes vimaranense negou o 2-0 ao Tetracampeão.

Por volta da hora de jogo, o Benfica tinha o comando da partida, mas sentia que lhe faltava um golo. Rui Vitória decidiu então mexer nas suas peças, trocando Cervi por Raúl (69’). O objetivo era alongar a equipa nos últimos metros, aproveitando as características do avançado mexicano.

Raul

Os encarnados vincaram a supremacia no terreno de jogo e esburacaram em busca de mais um golo, que surgiria ao minuto 78. E que belo golo foi! Zivkovic assumiu a condução por zonas interiores nos últimos metros e entregou a Raúl na esquerda da área. Já perto da linha de fundo, o camisola 9 cruzou… de letra, com o pé direito, aparecendo Jonas a saltar na pequena área e a cabecear para o fundo das redes. Com uma pequena maravilha (de envolvimento coletivo e recorte técnico) o Benfica lacrava o oitavo triunfo consecutivo na Liga NOS, sendo esta também a melhor sequência absoluta de vitórias de qualquer equipa nesta edição da prova.

Jonas, com os dois golos apontados, chegou às 33 finalizações certeiras nesta Liga NOS e bateu o seu recorde no Benfica (32). Com este número, tornou-se também no jogador mais produtivo dos últimos 28 anos, com os mesmos 33 golos rubricados por Mats Magnusson em 1989/90.

Texto: João Sanches

Fotos: Isabel Cutileiro, João Paulo Trindade e Tânia Paulo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar