11 de maio de 2018, 18h19

Hélder Cristóvão: “Focadíssimos em fazer um excelente jogo”

Futebol

Sábado, às 11h15, há clássico entre equipas B. O palco desta partida, referente à 38.ª e derradeira jornada da II Liga (Ledman LigaPro), será o Caixa Futebol Campus.

SL Benfica B e FC Porto B medem forças na manhã deste sábado no Caixa Futebol Campus. A partida da última jornada da II Liga está marcada para as 11h15 e Hélder Cristóvão já anteviu o clássico.

Um clássico é sempre um clássico, independentemente de ser o último jogo do Campeonato e de haver coisas em jogo. É sempre um desafio que tem um estímulo diferente, com características muito próprias, sabendo que temos nós mais em jogo do que o FC Porto, portanto, cabe-nos a nós levar as despesas do jogo e julgo que a equipa está preparada para isso. Sabemos da importância do mesmo, temos jogadores muito capacitados para viver estes momentos. Não são momentos únicos, já os vivemos - infelizmente - em outras situações, mas nós nem sequer estamos preocupados com a matemática”, começou por dizer à BTV.

Olhando para a partida, os dados estão lançados e perspectiva-se um grande desafio de Futebol.

Queremos fazer um bom jogo, entrar fortes, ter uma dinâmica de conquista e obrigar o FC Porto a jogar na 1.ª zona. Sabemos que eles aí jogam bem, têm uma boa circulação de bola, e nós estamos preparados para que isso aconteça. Sabemos como condicionar essa 1.ª fase e temos também um trabalho bem feito para anular a progressão deles no terreno, já numa 2.ª zona”, analisou.

Temos de ser práticos, objetivos, queremos muito ganhar, queremos muito fechar esta temporada como uma vitória, perante um bom opositor, que fez um Campeonato muito bom e conseguiu uma boa conquista em Inglaterra, num torneio em que nós também participámos. Os níveis motivacionais do FC Porto estão em alta e também temos de saber aproveitar isso e mostrar que queremos ser dominadores e estar por cima no jogo”, acrescentou, em jeito de análise ao adversário.

Hélder Cristóvão

Mais uma vez, Hélder Cristóvão reiterou os propósitos da estrutura…

“Fui-me apercebendo que a minha missão como treinador, de escalar posições nesta Liga, não seria prioridade, seria sim a continuação de formar jogadores, de lhes dar minutos de tempo de jogo, de os tentar integrar… e  foi isso que fui fazendo, sabendo que os objetivos propostos por mim e pela estrutura, de início, iriam ficar longe porque utilizámos cerca de 41 jogadores. A dinâmica de treino foi-se perdendo com a saída e entrada de jogadores, foi sempre condicionada e, aí sim, o papel do treinador começa a perder algum relevo e é mais um papel de educador/formador, e isso condicionou muito aquilo que iámos fazendo em termos de tabela classificativa”, explicou o técnico das águias.

À entrada para a derradeira jornada o Benfica soma 46 pontos e ocupa o 14.º lugar da classificação. Contas feitas, está tudo em aberto e a manutenção ainda não está assegurada.

É importantíssimo para o projeto, para o Benfica, para mim, para todos, continuar nesta II Liga, continuar a dar esperança para quem vem para fazer um trabalho bom. O nosso trabalho tem sido bom, no sentido de fazer evoluir os jogadores e não tanto ao nível da tabela classificativa, e aí sim, estou muito satisfeito pelo que conseguimos e vamos deixar uma marca no Clube, tendo contribuído para que muitos jovens da Equipa B estejam hoje num patamar de excelência, não só em Portugal, mas também no estrangeiro”, analisou.

Sábado, às 11h15, é dado o pontapé de saída do clássico e Hélder Cristóvão apela à presença dos adeptos, naquele que será também o seu último jogo no comando técnico das águias.

Espero muita gente no Caixa Futebol Campus. Vai ser um jogo de máxima importância para nós e merece que venha muita gente. Por ser a minha despedida, não estou à espera de nada especial. Foi especial estar aqui cinco anos, foi especial ter voltado a uma casa que já representei duas vezes como jogador… Tive a oportunidade de ser convidado uma terceira vez com uma função diferente, neste caso como treinador, tive um prazer enorme, tudo o que o Clube tinha para fazer por mim já fez, portanto, não estou à espera de nada mais”, disse.

Hélder Cristóvão

A fechar, agradecimentos emocionados a todos aqueles que contribuíram para os cinco anos de Hélder Cristóvão na Equipa B.

“Quero agradecer a todas as pessoas que foram trabalhando connosco ao longo destes cinco anos, que muito nos deram, que muito permitiram que as coisas corressem bem, e não posso deixar de agradecer ao presidente, que foi a pessoa que sempre acreditou em mim, que sempre me deu uma palavra de incentivo e que permitiu que eu ficasse cinco anos, duzentos e muitos jogos… é um número muito bonito, difícil de igualar ou superar nos dias de hoje. Quero agradecer também a todos os funcionários que, dia a dia, permitiram que as coisas corressem bem… Não tenho muito jeito para despedidas, é sempre emocionante, mas isto é uma antevisão. A despedida será amanhã e espero que seja uma despedida em grande e estamos focadíssmos em fazer um excelente jogo. Os jogadores merecem e, de preferência, com um bom resultado e que os objetivos sejam alcançados”, concluiu.

Texto: Sónia Antunes

Fotos: SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar