21 de maio de 2018, 11h38

Talento que também se mede aos palmos

Basquetebol

Gonçalo Delgado, de 20 anos, é basquetebolista a equipa B e, depois de uma temporada a bom nível onde incluiu estreia na equipa principal, concedeu uma entrevista ao jornal O Benfica a quem se deu a conhecer um pouco mais aos Benfiquistas.

No alto dos seus 2,04m de altura, Gonçalo Delgado representou a equipa B do Benfica esta época. Numa entrevista ao jornal O Benfica, o jovem diz que encara a dedicação ao trabalho como solução única para vingar na modalidade de águia ao peito.

Fez a formação no Almada Basket Clube. Como se deu a mudança para o Benfica no início desta temporada?

Contactaram-me a perguntar se eu estaria interessado em vir para o Benfica, pareceu-me uma proposta interessante e acabei por aceitar.

Foi fácil tomar a decisão de aceitar a proposta?

Sim, a proposta foi bastante interessante, mesmo em termos desportivos, porque jogava numa divisão inferior. É um nível diferente e ter a oportunidade de treinar com a equipa principal ainda me fez decidir mais rápido.

Quais são as principais diferenças na realidade que encontrou aqui?

A intensidade de jogo. Na Proliga já existe uma grande intensidade e com a equipa principal a diferença ainda é mais notória. A intensidade e o jogo mais físico foi o que notei mais.

Terminou a Proliga como o 6.º jogador mais valioso e já se estreou pela equipa principal. Era difícil imaginar uma época de estreia melhor…

Não estava à espera, claramente. Nunca pensei que conseguisse alcançar o que consegui até agora.

Gonçalo Delgado

“É essencial dedicarmo-nos e entregarmo-nos na totalidade ao jogo”

Qual é o sentimento de terminar uma Liga com vários jogadores com muita experiência os jogadores entre os mais valiosos?

É algo especial, algo que nunca tinha vivido antes. Aqui é totalmente diferente, mesmo a maneira de conviver com as pessoas e toda a envolvência. Estou muito feliz.

Nos 12 primeiros do ranking MVP, só o Rafael Lisboa e o Neemias são mais novos do que o Gonçalo. Como é que analisa este dado?

Eu pessoalmente não acho assim tão importante. É essencial dedicarmo-nos e entregarmo-nos na totalidade ao jogo. As idades não são assim tão importantes. Por exemplo, há um jogador do Real Madrid [Luka Doncic], que nasceu em 1999, ainda mais novo do que eu, e já joga na Euroliga, que é uma das melhores competições de basquetebol.

Integrar os trabalhos da equipa principal tem sido um fator decisivo para o rendimento que apresentou na Proliga?

Sim, é superimportante. Aqui criam-nos mais dificuldades do que aquelas a que estamos habituados. Saímos muito da nossa zona de conforto. Isso prepara-nos de outra forma para depois jogar na Proliga, onde o nível é um bocado menos exigente.

Gonçalo Delgado

“Foi muito bom para começar a sentir o que é jogar na equipa principal”

As boas exibições ao serviço da equipa B levaram-no a estrear-se pela equipa principal, num jogo com o Eléctrico. Como foi vestir essa camisola?

É algo diferente, nunca tinha experienciado isso. Foi muito bom para começar a sentir o que é jogar na equipa principal porque os jogadores são diferentes, é tudo diferente. Mas vejo isso como um passo natural na minha carreira.

Faz parte da equipa B do Benfica mais jovem de sempre a chegar às meias-finais da Proliga. É a prova de que aqui se trabalha bem na formação, tanto ao nível do treino como do scouting, como acabou por ser o caso do Gonçalo?

Aqui faz-se um bom trabalho. Tanto a nível dos treinadores como dos atletas. Somos novos, mas como disse, a idade não importa: se queremos muito, nós vamos conseguir. Só temos de trabalhar arduamente.

Gonçalo Delgado

“Aqui faz-se um bom trabalho. Tanto a nível dos treinadores como dos atletas”

Como se descreveria enquanto basquetebolista?

Jogo a extremo/poste e sou um jogador agressivo, no bom sentido.

Quais são os seus objetivos de carreira a longo prazo?

Primeiro quero chegar à equipa principal de forma efetiva, conseguir ter algum tempo de jogo e encontrar o meu espaço. Depois ver o que acontece, nunca se sabe o dia de amanhã.

Já é internacional pelas camadas jovens da seleção e é uma das maiores promessas portuguesas. Sente que a chamada à seleção principal está próxima?

Nunca se sabe, são escolhas do treinador, não posso dizer que sim ou que não. Cada um tem a sua filosofia e a partir daí é que fazem as suas escolhas.

Texto e entrevista: Luís Afonso Guerreiro

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar