21 de maio de 2018, 13h55

O dia em que Shéu guardou as chuteiras

História

Despediu-se dos relvados enquanto jogador há quase três décadas, mas nunca disse adeus ao Benfica, clube que o acolheu aos 17 anos. É um dos rostos da mística.

Foi há precisamente 29 anos que Shéu Han realizou o último jogo pelo Benfica, o clube que o recebeu quando ainda era Júnior e onde fez todo o percurso profissional. Pendurou as chuteiras a 21 de maio de 1989, mas não se despediu daquela que toda a vida foi a sua casa.

Shéu Han

São, ao todo, 48 anos ao serviço do Benfica, 19 deles como jogador. Entrou na Luz em 1970 e não voltou a sair. É hoje membro da estrutura técnica encarnada e entra num restrito lote de jogadores que alinharam num só clube durante toda a sua carreira enquanto profissional de futebol. 

No dia em que arrumou as chuteiras, a 21 de maio de 1989, despediu-se dos relvados como um autêntico campeão. Com a braçadeira de capitão no braço esquerdo, e a atenção no público que o aclamava das bancadas do velhinho Estádio da Luz – com 80 mil espectadores –, Shéu Han manteve o olhar sereno e reconhecido por tantos anos de êxitos e alegrias.

Shéu Han

Nesse dia de despedida, o Benfica – na altura ao comando do técnico Toni, que viria a ser substituído no cargo por Eriksson – festejava o título, frente ao Boavista, com um empate (2-2) com dois golos de Vata (4’ e 86’), que conquistou a Bola de Prata. Shéu jogou até ao intervalo, tendo sido substituído por Mariano. Disse adeus aos relvados, mas nunca ao Benfica.

Ficou, até aos dias de hoje, presente quase sem se dar por ele em todos os jogos dos encarnados. Aliás, a discrição é a sua característica mais visível, mas poucos se esquecem da maneira como, ano após ano, tem festejado com os jogadores.

Luisão e Shéu Han

Apesar de se ter estreado na equipa principal em 1972, só alcançou o estatuto de titular indiscutível em 1975/76 com Mário Wilson no comando técnico, mantendo-o até 1988/89, na sua última época como jogador, quando foi desafiado a aceitar um novo cargo na Luz.

Nesses 19 anos de carreira como jogador profissional venceu 9 Campeonatos Nacionais, 6 Taças de Portugal, 2 Supertaças, e a presença em 62 partidas das competições europeias completam um currículo cheio, que inclui ainda 24 internacionalizações pela principal Seleção Nacional. Jogou, de águia ao peito, 513 jogos e marcou 46 golos.

Texto: Filipa Fernandes Garcia

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar