22 de junho de 2018, 21h07

Perfil de Lema

Futebol

O defesa-central nasceu em Puerto Madryn, na Argentina, a 24 de março de 1990. Deu os primeiros passos no futebol no Guillermo Brown, mas estreou-se na Superliga Argentina pelo Newell’s Old Boys. Reforça o Benfica depois de se ter transformado num ídolo no Belgrano.

Cristian Franco Lema, defesa-central de 28 anos (24.03.1990), é reforço do Benfica para a temporada 2018/19. Argentino, nascido em Puerto Madryn, começou a dar os primeiros passos no Guillermo Brown, clube da cidade natal onde fez toda a formação. Saiu já sénior para ingressar no Newell’s Old Boys.

Até chegar ao Belgrano – onde jogou entre 2014 e 2018 –, teve um trajeto sempre ascendente e com os pés assentes no chão.

O facto de ter perdido o pai muito novo, em 2012, e de pertencer a uma família tradicional e de profunda ligação ao sector da camionagem, fê-lo crescer precocemente e tornar-se um lutador, característica que lhe é apontada na Argentina.

Lema

TOTAIS DA CARREIRA DE LEMA

Jogos Golos Assistências
186 19 7

Sempre quis ser jogador de futebol, como admitiu numa entrevista ao diário de Córdoba "Dia a Dia": "Pedia uma bola aos meus pais em todos os Natais e aniversários." Para Lema, jogar futebol foi "o que sempre quis fazer". Podiam-lhe tirar tudo menos a bola.

Com apenas oito anos, o avô levou-o às escolinhas do Guillermo Brown para prestar provas. Convenceu e ficou – até 2009! Com 17 anos estreou-se na principal equipa do clube, mas faltava-lhe o sonho. Faltava a estreia na primeira divisão argentina.

Lema, central de uma estampa física impressionante, com 1,90 m de altura, estava longe de imaginar que com 20 anos ia alcançar o que ambicionava. O empresário Jorge Cyterszpiler viu Lema num jogo entre Guillermo Brown e Rivadavia de Lincoln, levou-o uma semana para treinos com outros jogadores livres e pouco tempo depois o central estreou-se na primeira divisão no Newell’s pela mão de Roberto Sensini, antigo internacional pela seleção das Pampas que, curiosamente, também treinou outro reforço do Benfica para esta época: Conti.

Lema

Começava a aventura

A estreia aconteceu em novembro de 2010 frente ao Godoy Cruz (0-0) na 13.ª jornada da Superliga Argentina.

Um jogo memorável e que mais tarde foi recordado pelo reforço do Benfica em entrevista.

"Comecei nos escalões mais baixos no Guillermo Brown de Puerto Madryn. Depois fui para o Newell's. Comecei nas reservas para ganhar o ritmo da AFA. A minha estreia foi com o Sensini na primeira divisão e acabei por ganhar o lugar", recordou Lema.

Lema

NÚMEROS DE LEMA POR CLUBE

Equipa Jogos Golos
Belgrano 123 16
Quilmes 40 2
Tigre 11 1
Newell’s Old Boys 12 -

 

Agora era preciso solidificar a posição no centro da defesa… Depois da formação de Rosário, onde atuou em 12 partidas, Lema representou o Tigre em 2011, emblema em que jogou 11 encontros.

Com 22 anos, o central transferiu-se para o Quilmes, equipa onde se assumiu como titular no eixo defensivo. Somou 40 jogos e mais de 3000 minutos disputados. Era hora de dar o salto.

Lema

Um exemplo de entrega e temperamento

Em 2014 chegou ao Belgrano e consolidou-se como um dos mais promissores defesas-centrais do futebol argentino, estreando-se, inclusive, nas competições internacionais (Copa Sul-Americana, em 2015).

Lema ainda não somou internacionalizações pelo seu país, mas tem colecionado elogios pelas suas exibições, nomeadamente após a época que findou recentemente, que foi a melhor da sua carreira, destacando-se também no apoio ao ataque com oito golos e duas assistências em 28 jogos pelo Belgrano em todas as competições.

Algumas das palavras elogiosas vieram de Pablo Lavallén, treinador do defesa no Belgrano. "Lema é daqueles jogadores que transmitem união à equipa através da sua entrega e temperamento", reconheceu.

Antes de 2017/18, nunca marcara mais do que três golos numa temporada. Apesar de ter "revelado" uma faceta mais ofensiva, Lema recordou que a sua prioridade "é sempre defender". "Estou aqui para isso", completou.

Lema com adepta do Belgrano

Ídolo no Belgrano

No Club Atlético Belgrano tornou-se ídolo para os "hinchas". Um dos casos mais paradigmáticos da paixão que os adeptos nutrem pelo defesa é o caso de Graciela Miranda.

A adepta do Belgrano é fã de Lema e tatuou mesmo o seu nome no braço como sinal de reconhecimento à qualidade e entrega sempre evidenciada pelo ídolo.

Os números ajudam a explicar por que razão os adeptos do Belgrano gostam tanto de Lema. Contabilizando os jogos na primeira divisão, estamos a falar do defesa mais goleador da história do Belgrano, com 16 tentos.

Fica a apenas um de Rubén Dionisio Coletti, defesa que apontou 17 golos em 323 jogos pelo clube de Córdoba entre a AFA e a Liga Cordobesa.

Lema

Fora de campo, a prioridade é a família

Adora futebol, mas tem outros motivos de alegria na sua vida. Lema tem mulher e uma filha, Victoria, com quem gosta de estar quando não se encontra dentro das quatro linhas.

"Fora do futebol sou uma pessoa tranquila. Gosto de estar com a família e desfrutar do tempo que passo com ela. Também gosto de passear", disse numa entrevista.

Depois de Conti, Lema é o segundo defesa-central que chega da Argentina para os encarnados em 2018/19. Curioso o facto de terem estado frente a frente na temporada transata, um em representação do Colón, outro pelo Belgrano.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica / Arquivo

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar