Futebol

13 outubro 2017, 19h44

Numa Liga atípica, em que os chamados “grandes” perderam mais pontos do que é habitual, quis o sorteio que um dérbi fosse decisivo para a definição do Campeão.

Do ponto de visto teórico, o Benfica teria um leve favoritismo por jogar perante o seu público; do outro lado estava um Sporting  comandado por Peseiro e amplamente elogiado pela qualidade do seu futebol.

Estádio da Luz cheio, País parado para ver o dérbi dos dérbis em Portugal. O árbitro, Paulo Paraty, deu o apito para o pontapé de saída às 19h45 e os corações aceleraram ansiosos por um golo que trouxesse aquela tranquilidade.

 

Nada disso! O resultado teimava em permanecer intacto e até parecia que as oportunidades de golo estavam de folga nesse 14 de maio de 2005. O valor por metro quadrado no meio-campo estava caro, as equipas não se libertavam das amarras…

Experiente, Trapattoni montou um onze com astúcia, com um miolo povoado; Peseiro tentava dar profundidade à equipa com Douala e jogo entrelinhas com Sá Pinto. Nada resultava. O intervalo chegou e o nulo era lei.

A segunda parte arrancou, os nós não se desatavam e os treinadores mexiam nas equipas recorrendo ao banco de suplentes. O jogo caminhava para o fim até que…

Luisão teve cabeça para o golo

Minuto 83: Petit marca um livre descaído para a esquerda. O esférico pinga na área, na zona em que manda o guarda-redes. Ricardo não foi lesto na saída e Luisão antecipou-se. Chegou mais alto e primeiro, e fez a bola beijar as redes. O júbilo era total nas bancadas da Luz.

A travessia de 11 anos sem o título estava perto do fim. Os jogadores do Sporting reclamaram, mas sem razão. Paulo Paraty fez sinalética de validação do golo. O resultado era de 1-0 para os da Luz. Assim ficaria, para a história!

Festa é festa!

O Estádio da Luz foi a antecâmara de uma festa que teria repercussões no Bessa. Boavista-Benfica encerravam um longo Campeonato. Às águias bastava o empate e assim foi. 1-1 para a posteridade. Simão marcou de grande penalidade, mas ainda antes do intervalo, Éder empatou de cabeça.

Assustou, mas não mais do que isso. O “caneco” já não fugiria ao Benfica. A festa do título teve ponte aérea do Porto para Lisboa. Começou no Bessa, terminou no Estádio da Luz e estendeu-se a todo o território nacional e um pouco por todo o mundo onde há emigrantes portugueses.

Este é o segundo momento do novo Estádio da Luz dos 14 prometidos. Continue a viajar connosco nos momentos mais marcantes da Catedral.

FICHA DE JOGO

Benfica-Sporting, 1-0

33.ª jornada do Campeonato Nacional

14 de maio de 2005

Estádio da Luz – 64 000 espectadores

BENFICA

Onze inicial: Quim; Miguel (78’ Mantorras), Luisão, Ricardo Rocha, Manuel dos Santos; Petit, Manuel Fernandes, Nuno Assis (86’ João Pereira); Geovanni, Simão e Nuno Gomes (88’ Alcides)

Não utilizados: Moreira, Fyssas, Bruno Aguiar e Delibasic

Disciplina: Amarelo a Ricardo Rocha (65’)

Golo: Luisão (83’)

Treinador: Giovanni Trapattoni

SPORTING

Onze inicial: Ricardo; Miguel Garcia, Polga, Beto, Rui Jorge (66’ Tello); Custódio, Rochemback (73’ Hugo Viana), João Moutinho, Pedro Barbosa; Sá Pinto e Douala (70’ Pinilla)

Não utilizados: Nélson, Hugo, Rogério e Niculae

Disciplina: Amarelo a Rui Jorge (52’), Rochemback (69’), Beto (81’) e Polga (90’); vermelho a Beto (86’)

Golo: -

Treinador: José Peseiro

Árbitro: Paulo Paraty

FICHA DE JOGO

Boavista-Benfica, 1-1

34.ª jornada do Campeonato Nacional

22 de maio de 2005

Estádio do Bessa – 30 000 espectadores

BOAVISTA

Onze inicial: Khadim; Éder, Carlos Fernandes, Cadú, Hélder Rosário; André Barreto, Lucas, Guga (61’ Diogo Valente), José Manuel (86’ Nélson); Toñito e Cafú (58’ Hugo Almeida)

Não utilizados: William, Ambassa, João Pedro e Tiago

Disciplina: Amarelo a Cadú (37’), Lucas (76’) e Éder (80’)

Golo: Éder (42’)

Treinador: Pedro Barny

BENFICA

Onze inicial: Quim; Miguel, Luisão, Ricardo Rocha, Manuel dos Santos; Petit, Manuel Fernandes, Nuno Assis (78’ Mantorras); Geovanni (68’ João Pereira), Simão e Nuno Gomes (90’ Alcides)

Não utilizados: Moreira, Fyssas, Bruno Aguiar e Delibasic

Disciplina: Amarelo a João Pereira (90’)

Golo: Simão (38’ gp)

Treinador: Giovanni Trapattoni

Árbitro: Pedro Henriques

Texto: Marco Rebelo

Última atualização: 2 de janeiro de 2018

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar