3 de novembro de 2017, 20h04

Rui Vitória: “Visão do presidente faz com que o Benfica seja uma referência”

Clube

Treinador da equipa de futebol benfiquista analisa os 14 anos de liderança de Luís Filipe Vieira.

Rui Vitória, um dos sete treinadores do Benfica nos 14 anos de presidência de Luís Filipe Vieira, foi contratado no verão de 2015. Já conhecia bem o líder do Clube antes de iniciar funções, mas o trabalho em conjunto deu-lhe diferentes perspetivas sobre o comandante das águias.

“Quando estamos de fora temos uma visão do Benfica, mas depois quando estamos dentro temos uma visão mais aprofundada. Enquanto observador, via de facto um Clube com uma estrutura que era já digna de realce; havia uma organização e uma capacidade de fazer crescer um Clube que era marcante. Entrando aqui, percebe-se que as coisas são feitas com muito sentido”, disse Rui Vitória.

“Manter o clube com este nível e com uma marca tão vincada tem de ter um rosto, e esse rosto acaba por ser o presidente Luís Filipe Vieira”, assinalou o treinador do Benfica.

Se perguntarmos a qualquer treinador, jogador, colaborador que tenha passado por aqui, pensará da mesma forma que eu, que a presença do presidente é muito vincada, sempre muito ligada ao Clube, fazendo com que o Benfica seja uma referência”, afirmou o técnico que ganhou os últimos dois campeonatos e selou o Tetra.

“Quando cá entrei, não só comprovei isto tudo como vivi esta forma de trabalhar e de estar do presidente; vivi toda essa organização e de certa forma também ajudei, com a minha quota parte, a que tudo também pudesse continuar a funcionar”, assumiu Rui Vitória.

Identificar as características que melhor definem Luís Filipe Vieira é uma missão fácil para o treinador.

“Tem várias, a primeira delas, que é a mais importante, é a visão, porque é uma pessoa que a todo o momento está a perspetivar o que poderá ser o futuro do Benfica e isso dá-nos uma capacidade de trabalhamos com tranquilidade, com segurança. Nada é feito em cima do acontecimento, é tudo pensado com antecedência e isto parte muito da visão que o presidente tem, que é sempre pensar no futuro do Benfica, e não é um futuro imediato, é um futuro a médio prazo”, descreveu.

“É um trunfo que no futebol atual me parece fundamental e que muitas das pessoas que estão ligadas aos Clubes, e fundamentalmente quem está à frente, às vezes não tem”, sublinhou Rui Vitória.

Luís Filipe Vieira

“A segunda, que é tão pessoal e tão característica, é aquilo a que chamamos sensibilidade, o feeling, a tomada de decisão, que muitas vezes, aos olhos da maioria das pessoas, é algo ilógico, mas passado uns tempos constata-se que afinal o presidente tinha razão, o presidente já tinha pensado nisto. Isto é uma astúcia que ele acaba por ter, que tem a ver muito com as características da pessoa e que há quem tenha e quem não tenha”, complementou.

“O presidente tem esta sensibilidade e este feeling para perceber muito daquilo que é o futebol, uma equipa, um jogador, o próprio negócio em si. Nesse sentido, destaco estas duas grandes características: a visão e a sensibilidade”, vincou.

“É um líder muito presente, uma pessoa sempre ligada, com a capacidade de estar em quase todos os departamentos e dominar as valências de cada departamento. Está muito presente, domina todos os assuntos e isso também é uma característica que o distingue”, considerou o treinador.

José Mourinho e Rui Vitória

A respeito de uma obra de 14 anos, Rui Vitória decompõe a avaliação em três áreas. “Uma delas é a das infraestruturas. Quem viu este clube há 10, 14 anos e quem vê hoje, vê uma obra física enorme. Houve a capacidade de reestruturar o Benfica do ponto de vista físico e de o apetrechar com as melhores condições que existem na Europa”, ressaltou.

“Depois, os títulos. Há 14 anos teve de fazer um trabalho de sapa, como se costuma dizer. Sabia que iria dar frutos mais à frente e agora, nos últimos anos, começa a ter esses títulos. Foi uma mudança no que era o habitual do Benfica e esta mudança também tem muito a ver com uma Direção, uma visão do presidente, o trabalho de toda a gente que trabalha com o presidente. Estas duas grandes áreas são aquelas que mais se destacam nestes 14 anos”, apontou o treinador.

Ainda há, no entanto, um terceiro domínio que merece um sublinhado de Rui Vitória: “A possibilidade de ter a marca Benfica a um nível cada vez mais elevado, do ponto de vista nacional ter a hegemonia nos últimos anos e do ponto de vista internacional ser uma referência em várias áreas; na área da organização e da própria capacidade de com menos valor conseguir ter maior rendimento. Não é fácil fazer o que ele fez.”

Texto: João Sanches e Márcia Dores

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar