Futebol

16 janeiro 2019, 17h31

Benny, Florentino, Willock e Zé Gomes festejam primeiro golo

Na tarde em que Renato Paiva se estreou no comando técnico da equipa, o Benfica B recebeu o Ac. Viseu no Caixa Futebol Campus em jogo de acerto do calendário da II Liga, ainda referente à 14.ª jornada, e venceu sem margem para discussão: 4-0. Com estes três pontos, subiu ao terceiro lugar.

RESUMO DO JOGO

Um remate de Jota ao minuto 5 levou a bola a passar muito perto do poste direito da baliza dos viseenses e configurou o primeiro aviso da equipa benfiquista, um sinal que seria reforçado por uma entrada de Benny pela direita da área (8'), seguida de cruzamento para uma emenda que, no entanto, não aconteceu.

Num contra-ataque, o Ac. Viseu teve uma bola de golo nos pés de Luisinho, que, isolado perante o guarda-redes das águias, perdeu o duelo com Fábio Duarte (23').

[GOLO: 1-0] Aos 30', uma saída rápida do Benfica revelou-se mortífera: Nuno Tavares, pela esquerda, fez um passe comprido, a explorar as costas da defensiva do Ac. Viseu, onde surgiu, veloz, Willock a aproveitar a deixa para se destacar com um chapéu ao guarda-redes Jonas, inaugurando o marcador.

A bola tornou a entrar na baliza viseense aos 39', numa conclusão de Florentino ao segundo poste no seguimento de canto batido por Jota na direita, mas a equipa de arbitragem assinalou uma falta a Zé Gomes no interior da grande área e anulou o lance. Ao intervalo, as águias, apesar de terem consentido algumas chances aos visitantes, estavam na frente: 1-0.

RESUMO DA 1.ª PARTE

O primeiro momento quente da etapa complementar aconteceu aos 54'. Num ataque rápido, Jota, lendo bem o posicionamento dos colegas, simplificou a jogada e desmarcou Willock sobre o lado direito do ataque; com Zé Gomes a fugir na faixa central, o internacional Sub-20 inglês optou pelo remate e Jonas defendeu por instinto, negando o 2-0.

O segundo golo das águias podia ter sido uma realidade pouco depois, aos 57', num lance em que Kalaica, depois do canto cobrado na direita, rematou e acertou na trave da baliza do Ac. Viseu.

[GOLO: 2-0] Insistindo, o Benfica B foi premiado aos 62': Zé Gomes levou a melhor na zona central do ataque, desembaraçou-se da marcação, provocou um desequilíbrio e soltou a bola para a entrada de Benny à sua direita, com o médio-ofensivo a disparar, rasteiro e cruzado, para o interior da baliza de Jonas.

Gonçalo Ramos e Nuno Santos renderam Willock e Benny aos 67'; Saponjic substituiu Zé Gomes aos 77'. O Benfica B retemperava assim as linhas média e atacante.

[GOLO: 3-0] Tiago Dantas e Jota combinaram na zona ofensiva, com o segundo a ficar cara a cara com o guarda-redes Jonas e a não ter contemplações, chutando para as redes (78').

Aos 88', num tiro em zona exterior, Jota quase bisava, mas a bola saiu rente ao poste direito.

[GOLO: 4-0] Jota não fez o segundo da conta pessoal, mas pertenceu-lhe a assistência, aos 88', para o desvio certeiro de Saponjic na pequena área.

Subindo a qualidade do desempenho coletivo no segundo tempo, o Benfica B construiu um resultado dilatado e venceu por 4-0 (o melhor score da temporada), subindo ao terceiro lugar da II Liga.

Onze do Benfica: Fábio Duarte; Alex Pinto, Kalaica, Ferro e Nuno Tavares; Florentino Luís, Tiago Dantas e Benny; Willock, Jota e Zé Gomes.

Suplentes: Daniel Azevedo, Tomás Tavares, Pedro Álvaro, Nuno Santos, Gonçalo Ramos, Rodrigo Conceição e Saponjic.

Boletim clínico: David Tavares (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho esquerdo); Ricardo Araújo "Jorginho" (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho esquerdo); Vitalii Lystcov (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho esquerdo); Diogo Mendes (lesão muscular na face anterior da coxa esquerda); Daniel dos Anjos (status pós-cirúrgico ligamentoplastia no joelho direito); Ivan Zlobin (traumatismo da anca e da parede abdominal).

Renato Paiva

"Não há palavras mágicas, há trabalho"

Renato Paiva (treinador do Benfica B): "Em primeiro lugar quero endereçar um abraço ao míster Manuel Cajuda [ex-treinador do Ac. Viseu, que teve de parar devido a motivos de saúde]. Pela sua postura e trajeto no futebol português, merece-me muito respeito, envio-lhe um abraço forte. Depois, uma palavra para a anterior equipa técnica, que esteve 90 por cento na base do trabalho que hoje aqui fizemos. A equipa agarrou-se às suas ideias e ao seu modelo. Como disse na antevisão, a equipa andava intranquila, não vinha de três bons resultados. Quando o emocional e o cerebral não estão estáveis, as coisas não funcionam como queremos. O que aconteceu na primeira parte foi um pouco isso, muita intranquilidade, perdas de bola que possibilitaram transições perigosas do adversário, que teve boas oportunidades. Com os acertos que fizemos ao intervalo e com o avolumar do resultado, a equipa foi-se tranquilizando. Fomos de menos a mais na exibição, a equipa acabou muito bem, muito tranquila. Não há palavras mágicas, há trabalho."

Fábio Duarte (guarda-redes do Benfica B): "Estivemos muito bem nos primeiros 25 minutos com bola, depois caímos um bocado e permitimos algumas transições da equipa adversária. Na segunda parte corrigimos e fizemos uma grande exibição, com a superioridade que se viu. Confiança para a segunda volta da II Liga? Somos o Benfica, temos de jogar sempre para ganhar. Queremos boas vitórias e bom futebol."

Texto: João Sanches

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Última atualização: 7 de fevereiro de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar