6 de fevereiro de 2019, 23h41

Houve futebol para uma vantagem mais larga

Futebol

O Benfica venceu o segundo dérbi no espaço de quatro dias (2-1), colocando-se na frente para a segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal.

Segundo dérbi em apenas quatro dias e nova vitória do Benfica com total merecimento (2-1), embora a exibição das águias pedisse e justificasse mais golos, que estiveram para acontecer antes de o Sporting reduzir, já perto do fim, num livre direto. O triunfo leva os encarnados em vantagem para a 2.ª mão das meias-finais da Taça de Portugal, uma eliminatória que só se fecha em abril.

RESUMO DO JOGO

Com movimentações intensas e também boas (e rápidas) ligações das jogadas, o Benfica cedo tomou conta do duelo. Ao minuto 6, Salvio acelerou na direita, trabalhou o lance e cruzou para a entrada da área, aparecendo Gabriel, com espaço, a disparar de pé esquerdo, mas a errar por pouco nos cálculos da altura, fazendo a bola passar por cima da barra da baliza guardada por Renan.

Decorridos 12 minutos, nova elaboração da equipa benfiquista, com Seferovic a correr com bola pelo corredor central e a decidir-se por um potente remate de pé esquerdo, com a bola a raspar no corpo de um adversário e a fazer vento junto ao poste esquerdo. Cheirava a golo dos encarnados...

[GOLO: 1-0] Seferovic, com um pequeno toque, deixou a bola ao alcance de Salvio ainda no meio campo defensivo, e depois viu-se o camisola 18 das águias arrancar a toda a velocidade com bola, esticando o ataque na direita, de onde solicitou Pizzi na zona central. O internacional português temporizou e depois entregou a bola para a entrada de Gabriel sobre a esquerda da área, cabendo ao brasileiro canhoto fechar o lance com um remate forte e cuja colocação surpreendeu Renan. Foi o primeiro golo do camisola 8 com o Manto Sagrado e mais uma assistência do "rei" Pizzi.

As águias voltaram a agitar as águas aos 21', com Seferovic a escapar nas costas da linha defensiva do Sporting, para depois fugir do guarda-redes Renan e cruzar com muito perigo, valendo aos verdes e brancos o corte in extremis de Coates.

O melhor que os leões fizeram na etapa inicial foi um contra-ataque (31') em que Bruno Gaspar operou na direita e centrou para um remate de Bruno Fernandes de fora da área, à figura de Svilar, que defendeu de forma incompleta, mas sem problemas de maior, porque Luiz Phellype, que ainda se fez à recarga, estava fora de jogo.

Derbi

Na reta final do primeiro tempo do dérbi, Jardel, em dificuldades físicas, teve de ceder o lugar, entrando Ferro (38'), mais uma estreia absoluta na equipa principal do Benfica de um talento formado no Caixa Futebol Campus.

Após a pausa para recarregar energias, a equipa benfiquista foi a primeira a desenhar lances de envolvimento na zona de ataque. O Sporting respondeu por intermédio de Wendel aos 57', num momento em que teve uma nesga para furar sobre a esquerda e chutar cruzado para fora. Fortes, as águias voltaram à carga, mostrando acutilância na frente e vontade de ampliar a diferença aos 59', mas o cabeceamento de Rúben Dias foi defendido por Renan, após livre batido por Pizzi pela esquerda.

Rafa foi a jogo aos 61' (substituiu Salvio) e, pouco depois, o Benfica fez mexer o marcador outra vez.

[GOLO: 2-0] Seferovic, sobre a esquerda, dominou no peito um passe efetuado por Pizzi a partir da ala central, centrou largo, rasteiro, e João Félix apareceu a fazer um centro-remate que levou o esférico a espirrar na perna esquerda de Illori (autogolo) e a encaminhar-se para as malhas (64').

O 3-0 esteve iminente, podia ter surgido no ataque imediato: Seferovic desmarcou-se na esquerda, controlou a bola, cruzou-a para o toque de Grimaldo perto da pequena área, mas o lateral-esquerdo do Benfica não acertou em cheio na bola e esta escaparia pela linha de fundo (66').

Depois de um remate de Wendel na zona central (75') o Benfica retaliou, já com Cervi no lugar de Pizzi (79'), criando nova ocasião de golo, desta feita fruto de uma insistência de Rafa que, da direita para o meio, fez chegar a bola a Grimaldo, na esquerda, onde o defesa chutou rasteiro, mas a rasar o poste contrário (80').

[GOLO: 2-1] Numa fase em que o Benfica estava próximo do 3-0, o Sporting, num dos poucos remates tentados na segunda parte, reduziu na execução de um livre direto pelo pé direito de Bruno Fernandes.

Os encarnados continuavam na frente da eliminatória, mas queriam mais e ainda procuraram um terceiro golo nos derradeiros instantes. Porém, a bola não tornou a colar-se às malhas da baliza leonina.

Dia de Jogo Camisola Benfica

Texto: João Sanches

Fotos: Isabel Cutileiro e João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar