4 de março de 2019, 19h30

Samaris: "Concentração no máximo como até agora"

Futebol

Médio completou 150 jogos pelo Benfica na recente vitória sobre o FC Porto que guiou a equipa à liderança da Liga NOS.

O jogo 150 de Andreas Samaris com a camisola do Benfica coincidiu com a presença no clássico para a Liga NOS que a equipa venceu em casa do FC Porto, voando para a liderança da prova ao cabo de 24 jornadas.

"Sinto orgulho, acima de tudo. É uma coisa que eu nem sonhava quando comecei a jogar, quando me tornei jogador profissional de futebol na Grécia. Este clássico marcou também os 300 jogos oficiais na minha carreira, o que quer dizer que metade dos jogos aconteceram por este Clube. É uma coisa que me faz sentir orgulhoso", partilhou Samaris em declarações exclusivas.

João Félix e Rafa foram os jogadores do Benfica que colaram a bola às redes portistas no duelo de sábado passado, mas Samaris também teve ações importantes, uma delas absolutamente decisiva, aliás, ao impedir que a bola cruzada na direita por Manafá chegasse aos pés de Herrera no coração da grande área, quando o clássico já se preparava para entrar no derradeiro quarto de hora.

"Na maioria das vezes o nosso trabalho não se nota muito em campo, mas jogadas como esta podem ser decisivas num jogo. Por um lado tenho sorte por este corte ter ficado como um golo na cabeça dos nossos adeptos. Espero fazer mais cortes destes e a nossa equipa ganhar. Eu devia estar naquela posição, a bola foi muito boa por mérito do jogador do FC Porto, estiquei a perna, felizmente também sou alto, e cheguei à bola", recordou o internacional grego que representa o Glorioso desde a época 2014/15.

Samaris 150 jogos Entrevista

As águias são agora comandantes na Liga NOS, mas Samaris assegura que "nada muda" e há muito por que lutar nos 10 jogos finais. "Não muda nada. Chegámos ao primeiro lugar, mas em termos de trabalho, foco, concentração e ambição nada muda. O Benfica merece estar neste lugar, mas tem de acabar neste lugar e assim tudo vai ter valor. Se acabarmos em segundo ninguém vai estar feliz. A nossa concentração tem de ficar no máximo como esteve até agora. Espero que sejamos todos felizes em maio", enfatizou o centrocampista, que de águia ao peito já celebrou a conquista de oito troféus.

Samaris apontou três golos pelo Benfica, cada remate certeiro com a sua história, com o seu valor. O primeiro foi marcado na Luz e ajudou a vencer o Moreirense em 2015/16 (3-2); o segundo resultou de um livre direto na receção ao Braga em 2015/16 (5-1); e o terceiro surgiu em Guimarães em 2017/18 e, por ser o segundo da equipa, aliviou os companheiros numa fase da partida em que o adversário pressionava. "Fico muito feliz pelos golos. Não é a minha função, mas, se eu estiver na posição de fazer, vou tentar marcar. Fico muito feliz se puder oferecer este tipo de serviço à minha equipa", comentou o jogador.

Samaris 150 jogos Entrevista

Estreou-se pelos encarnados em 12 de setembro de 2014 e, dos 150 jogos disputados até ao momento, há dois que retém particularmente. "Todos os que ganhámos são os meus jogos favoritos, mas recordo-me de dois, um para a Europa, em Madrid, contra o Atlético, na Liga dos Campeões; foi uma vitória muito clara da nossa parte, jogámos muito bem. Em Portugal, o jogo que me lembro é o que ganhámos agora ao FC Porto, porque foi decisivo para passarmos para o lugar onde queríamos estar. É o jogo que nos diz que tudo o que fizemos até agora pode levar-nos ao nosso objetivo. O que temos de fazer agora é manter os pés no chão, ter concentração, foco e tudo vai correr bem", destacou Samaris.

E o "Benfica", o que significa para o médio grego? "Metade da minha vida futebolística foi passada no Benfica. Até hoje só tenho boas recordações. Considero o Benfica a minha equipa, estou sempre com sentimentos positivos. Os títulos que ganhei aqui significam tudo para um jogador", assegurou.

Samaris 150 jogos Entrevista

Samaris é embaixador do projeto "Play Happy", a primeira associação em Portugal, sem fins lucrativos, que reúne atletas, familiares e agentes desportivos ligados pela prática do desporto seguro e saudável.

"Um amigo meu teve essa ideia e eu achei muito boa. Se eu fosse criança, gostava de ter uma coisa destas. Fiz isto em Portugal porque os portugueses receberam-me de uma maneira muito boa, amigável. Senti-me confortável logo no início", revelou o camisola 7.

"Se eu posso agora fazer uma coisa destas para os filhos dos portugueses, é algo que me sai naturalmente. A missão do projeto é ajudar as crianças dentro do desporto, principalmente, mas também fora dele, se possível. O projeto em si só quer ajudar. Se houver crianças com sorrisos, para mim já está feito, já ajudei. A partir daí, se pudermos fazer e oferecer mais coisas, vamos fazê-las. Estamos num caminho muito bom. O projeto vai crescer e vai abraçar o país inteiro", antecipou o jogador.

Texto: João Sanches

Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar