5 de abril de 2019, 14h00

138 toneladas de alimentos a caminho de Moçambique

Clube

Superada a logística de colocar os enlatados em contentores, os bens viajam de navio com o objetivo de ajudar o povo moçambicano. A Fundação Benfica acompanha a distribuição no local.

O Sport Lisboa e Benfica, através da Fundação Benfica, conseguiu angariar 138 toneladas de alimentos que já seguem a caminho de Moçambique, a fim de ajudar uma população que recupera da tragédia causada pelo ciclone Idai.

O Clube lançou o desafio e os Benfiquistas responderam positivamente e em tempo recorde. A ampla mobilização nacional pela causa envolveu as Casas do Benfica, as Escolas de Futebol, os Sócios e adeptos, os colaboradores, os atletas das diversas secções e ainda empresas parceiras.

As 138 toneladas de alimentos foram distribuídas por cinco camiões, cuja empresa, Sogenave, teve um papel preponderante em termos logísticos, e seguiram até ao porto de Lisboa.

“A operação de logística é complexa, pois é preciso carregar quatro contentores mais um, e é necessário aprovisionar muita matéria-prima, muito material que vai para exportação através desta missão solidária. Foi preciso repaletizar, ou seja, tirar tudo das paletes, voltar a colocar, depois colocar nos contentores, o que envolveu um número significativo de pessoas. Quisemos contribuir para esta missão solidária”, explicou Rui Lopo, diretor de logística da empresa à BTV.

Ajuda por Moçambique

O objetivo inicial da Fundação Benfica eram as 100 toneladas, meta superada com distinção.

“Esta é a última fase da iniciativa. Estamos a recolher e a armazenar tudo em contentores. Desde já um agradecimento aos Sócios, adeptos e outros particulares que ajudaram na recolha destas 138 toneladas. É o culminar da operação e estamos todos contentes com o objetivo alcançado. É um número muito gratificante”, agradeceu Luís Alcobia da Fundação Benfica.

Chegadas ao porto de Lisboa, as 138 toneladas de alimentos serão colocadas em cinco contentores e viajam num navio até Moçambique. Porém, o trabalho da instituição de solidariedade social do Clube não se esgota aqui, como explicou Nuno Costa, secretário executivo da Fundação Benfica.

“Vamos acompanhar o trajeto do navio para que o tempo previsto de chegada esteja conforme o combinado com o transportador. Estaremos também em Moçambique para acolher este envio e acompanhar a distribuição no local”, sublinhou.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Francisca Caria / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar