Futebol

17 maio 2019, 16h17

Bruno Lage

"Foi uma semana completamente normal, tranquila", assegurou o treinador do Benfica, Bruno Lage, na antevisão do duelo com o Santa Clara, da 34.ª e última jornada da Liga NOS, com pontapé de saída marcado para as 18h30 de sábado no Estádio da Luz.

A equipa encarnada depende apenas do seu resultado para conquistar o 37.º Campeonato Nacional da sua história. "Estamos preparados para fazer um grande jogo, e esperamos que os nossos adeptos também estejam preparados, para que sejam 90 minutos de grande intensidade, bom futebol e com apoio enorme em cima dos nossos jogadores, porque é isso que eles precisam nesta altura", afirmou Bruno Lage em conferência de Imprensa no Caixa Futebol Campus.

Partimos para a última jornada da Liga NOS com o Benfica a um ponto de se sagrar Campeão Nacional. Como têm sido as demonstrações de apoio dos adeptos? E que Santa Clara espera encontrar no Estádio da Luz?

Esperamos defrontar um adversário muito competente, que fez um campeonato muito bom, com uma manutenção histórica, acima dos 40 pontos, e com exibições e registos muito interessantes nas partidas frente a FC Porto, Sporting e Braga. É uma equipa que gosta de jogar em bloco médio, sabe fechar caminhos para a sua baliza, mas também sabe o que fazer com bola sempre que tiver oportunidade. Gosta de sair curto, de atrair para criar espaços e oportunidades de perigo. Perspetivamos um jogo difícil como todos os que temos tido. Temos de estar no nosso melhor para vencer esta última final. Sobre os outros aspetos... Temos passado tanto tempo aqui a preparar o jogo que muita coisa nos passa ao lado. Tem sido assim desde o início, muitas horas de trabalho para nos focarmos naquilo que é essencial e que controlamos, que é prepararmo-nos da melhor maneira para vencer mais um jogo. Isso é que nos tem preocupado.

Certamente viu as imagens da última vez que o Benfica foi Campeão Nacional, em 2017, com milhares de adeptos a festejar. Já lhe passou isso pela cabeça para o dia de amanhã [sábado]?

Por acaso não vi essas imagens, porque nessa altura também eu, enquanto adjunto, preparava no Sheffield Wednesday uma final, em Wembley. O que imagino é preparar o jogo e a equipa para que esta esteja focada e concentrada para jogar de forma natural como até aqui. Este foi o nosso caminho desde o primeiro dia. É o último jogo, é mais uma final e é assim que temos de entrar em campo, preparadíssimos para o nosso jogo, com estratégia, para no relvado confirmar tudo o que temos feito até aqui e terminar o Campeonato na posição em que nos encontramos. É só isto que temos em mente.

Este é o título que lhe falta para ser um treinador feito?

Os títulos fazem parte do nosso percurso. Tenho quatro: dois de Escolinhas, um de Iniciados e um de Juvenis... Há imensos treinadores que não têm títulos, e nós olhamos para os trabalhos fantásticos que têm feito... Exemplo recente: em Inglatera, o Nuno [Espírito Santo] está a fazer um trabalho fantástico nos Wolves, com uma subida de divisão no Championship, um 7.º lugar na Premier League... Independentemente dos títulos, o que importa é o caminho que se vai construindo e a forma de jogar. Vamos agora defrontar uma equipa cujo treinador [João Henriques] tem feito isso... Vi que os dois treinadores que desceram de divisão na época passada tiveram a oportunidade de continuar na I Liga. Vejam o bom trabalho de um [Ivo Vieira, no Moreirense] e de outro [João Henriques, no Santa Clara]...

Bruno Lage

"EQUIPA FOCADA PARA JOGAR DE FORMA NATURAL"

Esta final, por ser a última, é mais especial? Como se prepara um jogo destes?

Preparamo-nos da mesma maneira. Desde que chegámos que não podíamos perder mais pontos, não podíamos aumentar o atraso para os primeiros. Em todos os jogos fazemos isto: preparamo-nos da melhor maneira, olhamos para o adversário, preparamos a nossa estratégia e vamos a jogo. Foi isso que fizemos até alcançarmos a 1.ª posição quando fomos ao Dragão, e depois disso todos os jogos têm sido nesse sentido, porque não há espaço para facilidades. E isso só se consegue se estivermos concentrados no nosso trabalho. Tem sido a nossa maneira de estar, com naturalidade e equilíbrio, olhando para aquilo que é o jogo.

Permita-me que recue até 3 de janeiro, dia em que foi oficializado no comando técnico do Benfica. Foi-lhe pedido que chegasse a esta fase do Campeonato em condições de lutar pelo título, ou havia a consciência de que essa meta era muito complicada de alcançar, até porque nenhuma equipa tinha recuperado de uma desvantagem de sete pontos?

Olhe, eu acho que não me foi pedido nada. Falei convosco na altura, o que havia a fazer tinha de ser por fases. A primeira era começar a jogar bom futebol para reconquistar os adeptos. Vencer jogos para reconquistar os adeptos. Começámos a sentir um ambiente muito forte logo no primeiro jogo: a perder por 0-2 com o Rio Ave aos 20', os adeptos não desistiram da equipa e nós demos uma resposta muito positiva. Tínhamos de vencer, jogar bom futebol e marcar golos para reconquistar os adeptos. A determinada altura as coisas começaram a ligar-se, com grande apoio em casa e fora. Sentimos isso. Depois foi agir com naturalidade, as coisas foram acontecendo. Fomos vivendo o dia a dia, jogo a jogo e, a partir de certa altura, final a final, até chegarmos a esta situação que nos deixa dependentes apenas de nós para vencer e terminar na 1.ª posição.

Tendo como referência o jogo que o Santa Clara fez no Dragão, espera uma equipa a jogar aberta e a ser perigosa, ou perspetiva um adversário mais defensivo e fechado?

O Santa Clara é uma equipa com bom jogo, reflete o trabalho do seu treinador. É uma equipa consistente, que tem apresentado bons resultados e que fez bons jogos com Sporting e FC Porto. Acredito num Santa Clara equilibrado, consistente a defender e competente com bola.

Se o jogo estiver a correr de feição, a que jogadores gostava de dar oportunidade e porquê?

Vivemos o dia a dia há quase cinco meses, as coisas têm de ir acontecendo naturalmente e só estando na situação é que podemos pensar nisso. Aquilo que penso é: definir os melhores para lançar, ou aqueles que sinto que são os melhores neste momento, porque temos um plantel muito competitivo, e termos pensadas as várias alternativas para diferentes situações de jogo. Isto é o que está preparado. Temos de entrar em campo determinados para ganhar os três pontos.

Bruno Lage

"APOIO ENORME EM CIMA DOS NOSSOS JOGADORES, É O QUE QUEREMOS"

Atendendo ao que tem sido o desempenho, se a justiça imperar o Benfica será Campeão Nacional?

Isso não é importante. Relevante é haver a justiça do reconhecimento do trabalho que estamos a fazer. Queremos vencer, temos uma oportunidade fantástica pela frente, mas importante é haver o reconhecimento de todo o trabalho, isto para nós é que é gratificante. Há treinadores sem títulos que têm um percurso enorme pela forma como trabalham, como lideram, como treinam, como as suas equipas jogam... Isso é que é de realçar. A primeira conquista foi no treino, a forma como os jogadores treinaram, como quiseram jogar em equipa, de uma determinada maneira para fazer o percurso que fizemos até aqui.

Estádio da Luz cheio, um jogo que pode valer um título... Como tem gerido a vertente emocional dos jogadores nesta semana?

Sobre o facto de o Estádio da Luz estar cheio neste jogo final... tenho visto e sentido que tem estado cheio praticamente a época toda. É saber que termina tudo amanhã [sábado] e estarmos concentrados no nosso trabalho. Importante é o que se passou até hoje e o que se vai passar no jogo. A semana foi normal. Trabalhámos hábitos nossos, um ou outro aspeto que não fizemos tão bem com o Rio Ave e a estratégia para o jogo com o Santa Clara. Foi uma semana completamente normal, tranquila. Estamos preparados para fazer um grande jogo, e esperamos que os nossos adeptos também estejam preparados, para que sejam 90 minutos de grande intensidade, bom futebol e com apoio enorme em cima dos nossos jogadores, porque é isso que eles precisam nesta altura do Campeonato.

No fim da partida em Vila do Conde falou com Jonas no relvado. Teve a ver com o futuro do jogador? Tem alguma informação sobre o futuro de Jonas? Poderá fazer [no sábado] o último jogo?

Foi uma conversa entre nós e por isso fica entre nós. Nunca ouvi o Jonas dizer que amanhã [sábado] ia ser o último jogo ou não. Da maneira como o vi treinar hoje, nada leva a crer isso. Será eventualmente uma decisão que ele poderá tomar à frente ou não, mas não tenho sentido nenhum sinal da parte do jogador de que ele possa terminar a carreira amanhã [sábado].

Bruno Lage

BENFICA-SANTA CLARA NO CAMPEONATO

ÉPOCA RESULTADO | MARCADORES
2002/03 1-0 | Simão Sabrosa (62' gp)
2001/02 2-1 | Simão Sabrosa (20') e Mantorras (40')
1999/2000 1-0 | Nuno Gomes (55')

Texto: João Sanches

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Última atualização: 9 de julho de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar