19 de maio de 2019, 17h32

Os números e os recordes de Bruno Lage na Liga NOS

Futebol

O treinador pegou na equipa na 16.ª jornada e foi peça fulcral no 37.

O Benfica cumpriu o desígnio da Reconquista e confirmou o 37.º título para o seu palmarés. Todos foram fundamentais, mas há um nome incontornável nesta caminhada: Bruno Lage. O Site Oficial traz-lhe os números e recordes do treinador de 43 anos.

Derbi

Começou a temporada na equipa B, com bom trabalho registado e um dos melhores arranques da formação do Clube na II Liga, mas no início de janeiro de 2019 foi-lhe lançado o desafio de agarrar a equipa principal, quando esta se encontrava a sete pontos do FC Porto e a um do SC Braga.

O que se viu a partir daqui foi magia! Com Bruno Lage ao leme, o Benfica não mais perdeu na Liga NOS e a eficácia de triunfos só não é 100%, porque o Belenenses SAD empatou a duas bolas no Estádio da Luz. Ainda assim, contabiliza 94% de aproveitamento na prova, marca que o coloca como o treinador com melhor percentagem de vitórias, superando Jimmy Hagan. É sob a sua liderança que as águias registaram a melhor 2.ª volta de sempre, com 49 pontos (16 vitórias e um empate).

Termina 2018/19 com 19 jogos seguidos sem perder na Liga NOS, sendo que registou a melhor série de triunfos da época – nove vitórias – em duas ocasiões, entre as 16.ª e 24.ª jornadas e entre 26.ª e 34.ª rondas.

Na caminhada para o 37, todos os jogos foram importantes, mas há uns que, valendo três pontos, deixam indelevelmente uma marca motivacional grande nos jogadores. Exemplos? Os desafios com o Sporting, FC Porto e SC Braga, principais adversários do Benfica na presente temporada. Com Bruno Lage como treinador, o Benfica teve que se deslocar aos Estádios José Alvalade (Sporting), Dragão (FC Porto) e Municipal de Braga (SC Braga). O técnico não se amedrontou e alcançou três vitórias: 2-4 em Alvalade, 1-2 com o FC Porto e 1-4 no Minho, registo que só encontra paralelo 1990/91. Nessa época, Sven-Goran Eriksson logrou triunfos nas casas de leões, portistas e arsenalistas.

Benfica-Marítimo

Sob o signo do golo

Desde que o técnico assumiu a equipa, o golo tornou-se ingrediente principal no prato que a equipa servia aos adversários. Em 19 encontros, 72 tentos marcados (média de 3,78); dos 18 triunfos, 10 foram com números de goleada (55%).

Em 34 jogos, 103 golos apontados, o que cifra a média por partida em 3,03. Entre as 10 principais ligas da Europa, ninguém marca tanto como as águias. Este registo de golos é, inclusive, o melhor do Clube no Campeonato Nacional, igualando os 103 obtidos em 1963/64 e superando os 101 de 1972/73 e os 99 de 1946/47.

Se juntarmos as restantes competições, o Benfica contabiliza 140 remates certeiros, números que o Clube não atingia há 54 anos, quando, em 1964/65, sob o comando do romeno Elek Schwartz, os encarnados apontaram 157 golos.

Banner

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar