6 de junho de 2019, 00h13

Leis do jogo: o que vai mudar no futebol em 2019/20

Futebol

São várias as "novidades" determinadas pelo International Board para a nova época.

Substituições, pontapé de saída, livres, pontapé de baliza e mãos na bola são algumas das situações de um jogo de futebol que vão mudar na nova época. As alterações, determinadas pelo International Board, entraram em vigor no dia 1 de junho.

A época 2019/20 traz várias novidades relativamente às leis do jogo. O futebol como o conhecemos irá sofrer modificações (não aplicadas, excecionalmente, na final four da Liga das Nações) que têm como objetivo tornar o jogo mais rápido, aumentar o tempo útil dos desafios e a uniformização das decisões das equipas de arbitragem.

Substituição

Substituições (lei 3)

O jogador substituído deve deixar o campo pela saída de campo mais próxima (a não ser que o árbitro dê indicação para que saia rapidamente pela linha do meio campo ou por outro ponto do relvado devido a questões de segurança, lesão, etc).

Agentes desportivos (leis 5 e 12)

Agentes acusados de conduta imprópria vão ser admoestados com cartões amarelos ou vermelhos. Se o sujeito não for identificado, será o treinador principal (enquanto elemento presente na área técnica em questão) a ser admoestado.

Livres (lei 13)

Quando houver uma barreira com três ou mais defesas, os atacantes não estão autorizados a estar a menos de um metro de distância; se tal suceder quando o livre for batido, a equipa que ataca será penalizada com um livre indireto contra.

Braga-Benfica

Pontapé de penálti (lei 14)

O batedor de penáltis da equipa pode receber rapidamente assistência e depois bater a falta. O guarda-redes não pode tocar nos postes, barra ou rede; não pode mover-se antes de a bola partir e tem de ter pelo menos parte de um pé em cima da linha de golo quando o remate é cobrado.

Pontapé de baliza (lei 16)

Assim que a bola for reposta em jogo, pode ser jogada antes de sair da grande área. Os adversários têm de permanecer fora da área até ao momento em que a bola for colocada em jogo.

Grimaldo

Para além destas alterações, o International Board também esclareceu o conceito de mão na bola. Esta é uma das situações que necessita de uma maior clarificação sobretudo em casos onde os toques com a mão não são voluntários.

Será assinalado livre quando:

  • a bola entrar na baliza depois de tocar na mão/braço do jogador atacante;
  • quando o jogador ganhar a posse de bola depois de a mesma tocar na mão/braço e, na sequência, marcar golo ou criar uma oportunidade de golo;
  • a bola tocar na mão/braço que aumentou a volumetria do corpo;
  • a bola tocar na mão/braço e um jogador quando esta/este se encontra acima da altura do ombro (a não ser que o jogador tenha jogado deliberadamente a bola que depois toca na mão/braço).

Não será assinalado livre quando: 

  • a bola tocar na mão/braço do jogador depois de vir diretamente da sua própria cabeça/corpo/pé ou de qualquer outro jogador que esteja perto dele;
  • a bola tocar na mão/braço do jogador que está perto e desde que este não tenha aumentado a volumetria do corpo;
  • o jogador estiver em queda e a bola tocar na mão/braço dele quando está entre o corpo e o terreno de jogo para suportar o corpo (mas não para aumentar a volumetria).

Texto: Diogo Nascimento

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar