8 de julho de 2018, 10h00

Krovinovic: “Fiquei mais forte psicologicamente”

Futebol

O médio croata do Benfica está a entrar na fase final da recuperação da lesão no joelho direito. Considera que tudo “está a correr dentro do planeado”, não vê a hora de voltar a jogar e deixa uma garantia aos adeptos…

Filip Krovinovic lesionou-se a 20 de janeiro diante do GD Chaves, no Estádio da Luz. A partir daí, o croata encetou um trabalho de recuperação que entra agora na última fase. No treino aberto de sábado, o médio subiu ao relvado, efetuou corrida e foi ovacionado de pé pelos cerca de 20 mil Benfiquistas que marcaram presença nas bancadas.

Em conversa com a BTV, Krovinovic contou como está a correr a recuperação e tranquilizou os adeptos.

Krovinovic

“Entrei no último mês de recuperação. Dia 6 fez cinco meses [sobre a operação]. Está a correr tudo bem, tudo dentro do planeado”, assumiu.

Puxando a fita atrás, o croata recordou o que sentiu após perceber a gravidade da lesão.

“Quando aconteceu não fiquei muito, muito triste. Quando o joelho estalou pensei: ‘já fui’. Agora tenho de ficar forte psicologicamente e voltar ainda mais forte. Por isso, não fiquei muito, muito triste. Quando me apercebi do que tinha passado, disse: ‘ok’. Agora é trabalhar para voltar melhor”, afirmou.

Krovinovic

“Aprende-se muita coisa com uma lesão grave, tipo seis meses. Fica-se melhor, mais forte psicologicamente. O meu dia é acordar, vir para o Clube… quando tinha as canadianas, não conseguia ir a lado nenhum, ficava em casa. Já passou e agora tenho uma vida normal”, completou.

A lesão tirou-lhe a possibilidade de visitar o país de origem. Ao invés, trabalhou com afinco no Caixa Futebol Campus para regressar aos relvados o mais rápido possível.

“As férias foram quatro semanas sem a Croácia. Destas quatro, três foram a trabalhar todos os dias menos ao domingo. Na última semana descansei um pouco e voltei para trabalhar de novo”, revelou.

Krovinovic

À entrada para o último mês da recuperação da lesão, o médio partilhou o que lhe vai custar mais ultrapassar nesta fase.

Este último mês vai-me custar mais porque não vou estar no campo, vou estar a ver os meus amigos a jogar e a treinar. Esta é a única coisa que me vai custar. E claro, estar na bancada a vê-los a jogar”, reconheceu.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Tânia Paulo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar