Futebol

24 agosto 2018, 21h24

Rui Vitória, treinador do Benfica

Com educação, respeito e uma vontade infinita de vencer: é assim, conforme tramsmitiu o treinador Rui Vitória em conferência de Imprensa, que a equipa do Benfica avança para o dérbi com o Sporting, da 3.ª jornada da Liga NOS, com pontapé de saída definido para as 19h00 de sábado no Estádio da Luz.

"Temos pela frente um adversário difícil, de qualidade, tradicionalmente complicado para nós, e vice-versa. Nós queremos muito ganhar e do outro lado está uma equipa que também nos quer vencer", afirmou o treinador.

Que impacto tem ou pode ter um dérbi como este à 3.ª jornada da Liga NOS?

Um dérbi à 3.ª jornada é como se fosse noutra altura qualquer. O sorteio assim ditou e vamos jogá-lo com a mesma determinação como faríamos noutra jornada ou circunstância. Olhamos para este jogo de uma forma natural. É mais um dérbi que temos de fazer. Se me perguntarem se esta sequência de jogos, nomeadamente um dérbi à 3.ª jornada, seria o mais aconselhável para as duas equipas, se calhar não. E eu falo mais concretamente em relação à minha. Digo isto por entender que o futebol português tem de ter alguma atenção sobre quem o representa a nível internacional. Falo objetivamente da Liga dos Campeões e da Liga Europa. É fundamental, e atenção que não tem nada a ver com o dérbi, arranjar-se as melhores condições para que possamos representar o País da melhor maneira.

Temos oito jogos no calendário até ao dia 2 de setembro, já estavam planeados, mas o que pergunto é se isto foi tudo pensado para que nós, ou qualquer outra equipa que represente o futebol português internacionalmente, tenhamos as melhores condições para o fazer. Digo isto em relação a nós, ao Braga, que jogou numa quinta-feira e depois fez uma viagem para os Açores, onde até perdeu dois pontos, e também ao Rio Ave. Isto tem a ver com a representação do futebol português. É bom que toda a gente coloque a mente a pensar de uma forma superior, a ver de fora, para perceber qual é a melhor solução. Se calhar até deveria ser o futebol português a dizer que não se devia jogar um determinado jogo, porque é importante criar as melhores condições possíveis para aquelas competições que vão ter. É uma opinião minha que é para ser transmitida às pessoas responsáveis e a quem gere o futebol português, que tem de ser discutida e partilhada por muito mais pessoas.

Em relação ao dérbi em si, é um jogo muito interessante de se jogar. Temos pela frente um adversário difícil, de qualidade, tradicionalmente complicado para nós, e vice-versa. É sempre um jogo muito bem disputado. Nós queremos muito ganhar e do outro lado está uma equipa que também nos quer vencer.

Rui Vitoria

É a primeira vez que vai enfrentar o Sporting depois da saída do treinador Jorge Jesus. O novo quadro altera a sua abordagem ao jogo, visto que o adversário terá necessariamente diferenças em relação ao que apresentou nas épocas anteriores?

Olho para as equipas e para todas as suas características (virtudes e lacunas) como os outros olham para a nossa. O Sporting tem um belíssimo treinador, com quem me dou muito bem. Tem jogadores de enorme qualidade, uma equipa boa. É um clube de enorme expressão. O que procuro ver é onde nos podem causar problemas e por onde nós lhes podemos causar problemas. Preocupo-me com aquilo que posso controlar, neste caso os jogadores e a qualidade do Sporting e, mais importante, os meus jogadores e a minha equipa.

O Benfica está dependente do que Jonas fazia nas outras épocas?

O Jonas ainda não está disponível para este jogo, tal como o Castillo. As grandes equipas normalmente têm sempre associadas a si grandes jogadores e grandes goleadores. Basta ver o que é um Real Madrid, um Barcelona, etc. Em Portugal é igual, as equipas de topo têm sempre alguém que se destaca. Jonas foi importante para nós, claro que sim, mas há que dizer que a nossa equipa, neste início de época, tem trabalhado muito e bem, tem tido dinâmicas interessantes e muito boas; tem tido qualidade de jogo e temos conseguido ter sucesso. Estamos a falar de um jogador que marcou muitos golos, teve impacto muito grande nos campeonatos anteriores e jamais vamos negar a importância que teve. Não vale a pena estar a falar, não me vou lamentar de quem não está. Vejo isto de uma forma muito coletiva.

Rui Vitoria

Que diferenças encontra quando compara esta equipa do Sporting com a da época passada?

São equipas diferentes, saíram uns jogadores e entraram outros, mas é de realçar a capacidade que o Sporting teve para montar novamente uma grande equipa, reforçou-se com jogadores de qualidade. É uma equipa que está a começar uma época, ganhou os jogos oficiais que teve para disputar, está bem orientada e organizada. Vejo uma equipa diferente, mas uma grande equipa. Se calhar alguns até pensariam que não seria possível formar uma grande equipa depois da saída de um conjunto de jogadores importantes. O Sporting vem cá sabendo que vai jogar contra o Benfica e num campo difícil. Um dérbi é sempre um jogo muito interessante de seguir. Realço também a forma educada e ponderada como se está a preparar o dérbi. Vai ser uma boa festa e que ganhe o Benfica!

Este Sporting parte do mesmo patamar de Benfica e FC Porto na corrida ao título? Está mais frágil sem Bas Dost no dérbi?

Nessas questões penso é nas baixas que temos. As ausências nas outras equipas não me preocupam. É pena para o espetáculo, porque é sempre preferível ter os melhores em campo. O Sporting é uma grande instituição, formou novamente uma grande equipa, tem pessoas de qualidade na Direção do clube e no comando da equipa. É sempre um dos candidatos ao título. A corrida ao título não é um exclusivo dos três grandes, porque vai aparecer sempre um ou outro clube que se vai intrometer ali, e ainda bem que assim é porque o futebol português precisa dessa injeção. Vamos encontrar um adversário dificílimo, mas que em nada muda a nossa filosofia. Vamos para o dérbi a querer impor a nossa forma de jogar, a olhar o adversário com respeito, mas também com muita noção de que temos capacidade para ganhar.

Texto: João Sanches

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Última atualização: 7 de fevereiro de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Basquetebol Feminino

Duas águias no cinco ideal da 4.ª jornada da Liga Betclic

A equipa feminina de basquetebol do Benfica confirmou o bom momento desportivo que está a atravessar, com o triunfo expressivo diante do Guifões, por 26-87, quarta vitória na Liga Betclic. Em destaque na partida, foram duas as benfiquistas que alcançaram números que permitiram integrar o cinco ideal da 4.ª jornada. Myriam Ackerman totalizou 28,5 pontos de valorização, fruto de 18 pontos, nove ressaltos, um roubo de bola e ainda dois desarmes de lançamento. Já a extrema Raphaella Monteiro acumulou 12 pontos, 12 ressaltos, duas assistências e dois roubos de bola, conseguindo 27 pontos de valorização.

Futebol

Programa Elite International volta a marcar a diferença

Duas semanas de intensa aprendizagem no Benfica Campus permitiram que 22 jovens atletas, nascidos entre 2005 e 2007, com nacionalidades holandesa, norueguesa e escocesa, assimilassem novos conceitos de jogo, associados à metodologia de treino implementada pelo Clube. O programa Elite International Development, em parceria com a Coerver Coaching, já vai na 11.ª edição e as experiências continuam a ser "marcantes". "Todos conhecem o trabalho da nossa formação. É importante receber jovens de qualidade que querem aprender, conhecer o Benfica e a sua metodologia", afirmou Simão Sabrosa, diretor de Relações Internacionais do Clube, à reportagem da BTV.

Futebol

V. Guimarães-Benfica em imagens

No Estádio D. Afonso Henriques, o Benfica empatou com o Vitória de Guimarães (3-3), nesta quarta-feira, em jogo da 2.ª jornada do grupo A (fase 3) da Taça da Liga. Depois do autogolo de Alfa Semedo, Pizzi marcou o segundo golo e Nemanja o terceiro pelos encarnados. Veja aqui as melhores imagens do encontro...

Futebol

Taça da Liga: antevisão de Jorge Jesus | #VSC-SLB

O Benfica venceu (1-3) o Vitória de Guimarães, na Cidade-Berço, na 7.ª jornada da Liga Bwin, mas, desta feita, para a 2.ª jornada do grupo A (fase 3) da Taça da Liga, Jorge Jesus sabe que terá um contexto competitivo "diferente". Mas o técnico, esperando um rival com o seu "melhor onze" e tendo de modificar a equipa em função da densidade competitiva a que tem estado sujeita, deixou claro, em declarações à BTV, que o coletivo "está preparado" para um embate "extremamente difícil".

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar