28 de agosto de 2018, 13h25

Razvan Lucescu: "Nunca preparamos um jogo para defender o resultado"

Futebol

Antes da segunda mão do play-off da Liga dos Campeões, o treinador do PAOK reconhece "a qualidade do Benfica", mas também salienta o "forte desejo" da equipa grega de "lutar pela qualificação" para a fase de grupos.

Razvan Lucescu, treinador do PAOK, elogia a qualidade do Benfica, mas promete uma equipa com futebol positivo, mais interessada em discutir o jogo do que em defender o resultado da primeira mão (1-1).

O empate alcançado em Lisboa, fruto do golo marcado fora de casa, coloca o vice-campeão grego em vantagem no arranque da partida do play-off que define a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões.

"Sabemos que o Benfica é uma equipa de qualidade, que joga bem, mas também sabemos que temos um forte desejo de lutar pela qualificação. Temos capacidade para praticar um bom futebol. Quando não conseguimos jogar como queremos, temos uma boa mentalidade e organização", projetou Razvan Lucescu em conferência de Imprensa de antevisão do desafio.

"Nunca preparamos um jogo para defender um resultado; preparamos para aplicar o nosso estilo. Uma vezes conseguimos, outras não, depende também da qualidade do adversário", apontou o treinador romeno.

Razvan Lucescu

"Temos total confiança, jogamos no nosso estádio, onde temos vencido os jogos. Vamos jogar para ganhar, não apenas para garantir a qualificação. Mas estamos preparados para tudo. Os meus jogadores vão dar absolutamente tudo em campo. A pressão está do lado do Benfica", frisou Razvan Lucescu.

"Estamos preparados para reagir. Isso aconteceu no jogo em nossa casa com o Spartak Moscovo, onde recuperámos de 0-2 para 3-2, e também no encontro em Lisboa, onde o Benfica nos pressionou muito e marcou um golo no último minuto da primeira parte. Foi um duro golpe e outras equipas teriam caído, mas nós não", assinalou o filho de Mircea Lucescu, um grande nome da cena futebolística mundial.

"Até agora a única equipa que realmente criou problemas ao Benfica foi o PAOK. Sabemos que vai ser um jogo difícil para nós, mas para o Benfica também será um jogo muito difícil. A pressão está do lado do Benfica", atirou o treinador da equipa de Salonica.

Léo Matos

Léo Matos: "Ferreyra é um jogador de altíssima qualidade"

Lateral-direito do PAOK, Léo Matos afasta a palavra "favoritismo" e recusa a colagem da mesma à equipa grega pelo facto de atuar em casa e de ter empatado 1-1 no Estádio da Luz.

"Favoritismo? Isso não existe para este jogo. Antes da primeira mão recaía um pouco para cima do Benfica, por ser uma equipa que todos os anos está na fase de grupos da Liga dos Campeões, mas depois do resultado em Lisboa, que para nós foi razoável, amanhã [quarta-feira] vamos ter um jogo de 50/50", disse o brasileiro em conferência de Imprensa.

"Vamos entrar para ganhar. Este resultado [1-1] é perigoso. Apenas está um pouco mais favorável para o nosso lado porque sabemos que passamos se não sofrermos golos. Vamos entrar como sempre fazemos em casa, para ganhar o jogo", disse o jogador.

O Benfica não conta com Jonas nem Castillo para a segunda mão do play-off, tal como já não os teve no primeiro jogo com o PAOK. Léo Matos rejeita a imagem de um adversário fragilizado no ataque.

"No tempo em que estive na Ucrânia, jogue algumas vezes contra o Ferreyra. É um jogador de altíssima qualidade. Também conheço muito bem o Jonas, apesar de nunca o ter defrontado, e é um avançado de classe. Faz falta, mas o Benfica tem um excelente plantel para repor essas perdas. Não os sentimos nada fragilizados no ataque na primeira partida", comentou o camisola 3 da equipa de Salonica.

Texto: João Sanches

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar