1 de outubro de 2018, 12h03

Champions: raio-X do AEK

Futebol

Adversário do SL Benfica na 2.ª jornada da Liga dos Campeões, o campeão da Grécia (volvidos 24 anos) regressou às vitórias no fim de semana e está moralizado.

O AEK é o adversário que o Benfica defronta às 20h00 de terça-feira na 2.ª jornada da Liga dos Campeões. O campeão grego sofreu várias alterações no figurino e procura consistência após a conquista de um título que não erguia há 24 anos.

Tal como SL Benfica, o AEK teve de disputar duas eliminatórias para aceder à Fase de Grupos da Liga dos Campeões… e não foi nada fácil! Empate a uma bola na Escócia perante o Celtic na 3.ª eliminatória, com a passagem assegurada em Atenas com um 2-1. Seguiu-se o Vidi FC e nova eliminatória complicada. Vitória por 1-2 na viagem até à Hungria, com o passaporte para a fase de grupos da prova carimbado com um empate a uma bola na Grécia.

AEK

Objetivo alcançado e atenções focadas na liga grega, com um início auspicioso para os comandados de Marinos Ouzounidis. Triunfo na estreia em casa perante o PAS Giannina, por 2-0, seguindo-se mais três pontos na deslocação ao terreno do Asteras Tripolis (0-1). Na ronda seguinte, goleada, por 4-0, frente ao Panionios… e regresso à Champions, com a formação grega a conhecer pela primeira vez na temporada o sabor da derrota.

Na 1.ª jornada da fase de grupos, viagem até a Holanda para defrontar o Ajax.

Em Amesterdão, partida muito complicada para os gregos, que tombaram perante o Ajax. Depois de um nulo na primeira metade, os três golos do triunfo holandês chegaram nos segundos 45 minutos. Nicolás Tagliafico (46’ e 90’) e Donny van de Beek (77’) assinaram os tentos.

AEK

Na 1.ª jornada da Champions, Marinos Ouzounidis apostou num onze constituído por: Vasilios Barkas, Michalis Bakakis (Giannis Gianniotas, 70’), Marios Oikonomou, Uros Cosic, Vassilis Lampropoulos, Niklas Hult, André Simões, Kostas Galanopoulos (Alef, 61’), Viktor Klonaridis, Petros Mantalos e Ezequiel Ponce (Giorgos Giakoumakis, 81’). Contas feitas, quatro reforços (destacados a negrito) mereceram a confiança do técnico de 49 anos.

Regresso à Liga grega e nova derrota, desta feita em Salonica, com o PAOK (2-0, golos de Prijovic), adversário que, recorde-se, o Benfica afastou na caminhada rumo à fase de grupos da Liga dos Campeões, num agregado que incluiu vitória por 1-4 na Grécia. 

No último sábado, o AEK deslocou-se ao terreno do OFI, regressando às vitórias na 5.ª jornada. Basaketas (20’), Galo (32’) e Ponce (65’) assinaram os golos do 0-3 final.

A equipa de Atenas jogou assim: Barkas; Galo, Cosic, Chygrynskiy, Lopes (72’ Hult); Simões, Galanopoulos; Basaketas, Klonaridis (59’ Gianniotas), Mantalos; Ponce (69’ Giakoumakis).

Com este resultado, os gregos somam 12 pontos (4V e 1D), com 10 golos marcados e dois sofridos, e estão moralizados. Segue-se o regresso à Liga dos Campeões.

AEK 

Novas referências… à procura de resultados

É claramente um AEK à procura de consistência aquele que vai receber o Benfica na terça-feira. Conquistado o Campeonato na temporada transata, o plantel do clube fundado em 1924 sofreu alterações profundas ao nível do seu figurino, mantendo, contudo, algumas referências, como são os casos do guardião Barkas, do médio Petros Mantalos e do avançado Marko Livaja (que, por estar castigado, não defronta o Benfica).

O treinador espanhol Manolo Jiménez, de 54 anos, deixou o comando técnico da formação, ingressando como timoneiro da equipa Marinos Ouzounidis, treinador grego de 49 anos, que na temporada anterior orientou o Panathinaikos (11.º lugar).

Olhando para o plantel, conta-se um total de 31 jogadores, sendo 17 caras novas. No que diz respeito a saídas, foram 13 os atletas que rumaram a outras paragens. No que toca à média etária, esta é de 24 anos.

O avançado argentino Ezequiel Ponce, emprestado pela AS Roma, foi o nome mais sonante a ingressar na equipa no mercado de transferências e tem sido uma mais-valia, sendo já, com três golos, o melhor marcador do AEK na liga grega. Um dos nomes a ter em conta… bem como o também reforço Giannis Gianniotas, entre outros.

Ausências certas no encontro com o SL Benfica são Hélder Lopes e Marko Livaja, ambos castigados pela UEFA com quatro de jogos de suspensão na Liga dos Campeões na sequência das expulsões frente ao Vidi FC, no play-off de acesso à competição.

AEK 

Muita vontade, dificuldade em concretizar

Com 12 Campeonatos da Grécia, 3 Supertaças e 15 Taças, o AEK procura trilhar o seu caminho nas competições europeias, um caminho ainda com pouca história ao nível de feitos.

O treinador Marinos Ouzounidis é um apologista do futebol de ataque, montando habitualmente a equipa num sistema tático de 4x4x2, apresentando o 4x2x3x1 como variante.

Olhando para as estatísticas da plataforma Wyscout, e analisando somente as cinco partidas referentes à Champions (fase de qualificação e fase de grupos), encontramos um AEK com muita vontade, mas com dificuldades em concretizar as ideias ofensivas do seu técnico.

Em média, a equipa realizou 8 remates à baliza, uma percentagem de 37,5% por jogo. No último desafio, frente ao Ajax, foram realizados 4 remates, mas nenhum acertou no alvo. No que toca a passes, média de 343 por jogo, contudo, a percentagem de passes certos tem vindo a decrescer, tal como a eficácia. Em Amesterdão, o AEK fez 271 passes (213 corretos), com uma percentagem de acerto de 78,6%.

A formação grega gosta de ter bola, mas os 45,32 % de média total mostram mais uma vez algumas dificuldades… e frente ao Ajax foi apenas de 42,15%.

Frente ao Ajax, os gregos iniciaram a partida num claro 4x4x2, com Ezequiel Ponce e Viktor Klonaridis a apresentarem-se como as referências mais atacantes, situação que durou até aos 70 minutos, altura em que os anfitriões venciam por 1-0.

Marinos Ouzounidis apostou então no 4x2x3x1, dando maior abertura à frente atacante, com as alas reforçadas (Klonaridis baixou para a direita, Gianniotas saltou do banco para a esquerda, com Mantalos a sair da esquerda e a surgir no centro), com Ponce a assumir as despesas na frente. O objetivo saiu gorado e o AEK acabou por sofrer o 2-0.

No tudo por tudo, nos últimos dez minutos, o técnico refrescou a frente, tirou Ponce e colocou Giakoumakis, inverteu as alas, no entanto, o 3-0 mataria o jogo.

Grande desafio em perspetiva para as 20h00 de terça-feira no Estádio Olímpico Spiros Louis, que tem capacidade para 68 mil pessoas.

 AEK

Transferências no AEK

ENTRADAS Posição SAÍDAS Posição
Christos Albanis médio Ognjen Vranjes  defesa
Alef médio Lazaros Christodoulopoulos médio
Marios Oikonomou defesa Adam Tzanetopoulos defesa
Theodosis Macheras avançado Athanasios Pantos  guarda-redes
Makis Giannikoglou  guarda-redes Dimitrios Melikiotis  avançado
Giannis Gianniotas  médio Masoud Shojaei  médio
Lucas Boyé  avançado Panagiotis Dounis  guara-redes
Ezequiel Ponce avançado Jakob Johansson  médio
Stratos Svarnas defesa Giannis Anestis  guarda-redes
Vasilios Chatziemmanouil   guarda-redes Christos Antoniou   médio
Giannis Tsivelekidis  defesa Antonis Kyriazis   avançado
Giannis-Fivos Botos  médio Sergio Araujo   avançado
Konstantinos Stamoulis defesa Panagiotis Kone   médio
Panagiotis Ginis  guarda-redes    
Michalis Bousis  médio    
Giannis Sardelis  médio    
Ilias Tselios  médio    

 

Texto: Sónia Antunes

Fotos: Site e Twitter Oficial do AEK

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar