4 de dezembro de 2018, 15h58

Taça da Liga: raio-X do Paços de Ferreira

Futebol

O adversário do Benfica no Grupo A está na liderança da II Liga (Ledman LigaPro), tem um registo bastante positivo na época e conta com um treinador e jogadores experientes no plantel.

O Benfica volta a jogar perante a sua massa adepta depois do jogo com o Feirense, na Liga NOS. A receção ao Paços de Ferreira é referente à 2.ª jornada do Grupo A da Taça da Liga e está agendada para as 20h15 de quarta-feira.

Até ao Estádio da Luz viaja o líder da II Liga (Ledman LigaPro), com 24 pontos em 10 jogos realizados. Com claras aspirações à subida imediata à Liga NOS, o Paços de Ferreira foi buscar Vítor Oliveira para treinador da equipa. O técnico português, de 65 anos, já promoveu vários emblemas à divisão maior do futebol nacional e os pacenses acreditam que o vai voltar a fazer.

No plantel de 2018/19 houve várias mexidas. Entraram 15 jogadores e saíram 23, com a aposta a recair sobre futebolistas com experiência de Primeira Liga. Destaque, neste particular, para Bruno Teles e Luiz Carlos, dois dos reforços dos castores.

Com uma temporada sólida até ao momento, o Paços de Ferreira já realizou um total de 15 jogos oficiais, venceu 12, empatou um e perdeu dois. Marcou 24 golos e sofreu sete. A melhor fase, ainda assim, decorreu entre 2 de setembro e 3 de novembro. Nestes dois meses, realizou oito jogos, venceu sete e empatou um, diante do Desportivo das Aves na ronda inaugural da fase de grupos da Taça da Liga.

Bilhetes Taça da Liga Benfica Paços de Ferreira

A época, para os pacenses, começou a 28 de julho, na 2.ª fase da Taça da Liga. O Paços de Ferreira ultrapassou o Ac. Viseu, por 3-2, e carimbou a presença na fase seguinte. Duas semanas depois arrancou a Ledman LigaPro. Diante do SC Braga B, vitória, por 2-0, na 1.ª jornada. Seguiram-se três rondas na II Liga: vitória (0-1) na casa da Académica, derrota (1-2) em Paços de Ferreira ante o Famalicão e triunfo forasteiro (0-1) frente ao Varzim.

Depois do nulo com o Aves, apareceram sete vitórias consecutivas: 3-0, em casa, com o SC Covilhã; 1-3, fora, para a Taça de Portugal, ante o Condeixa; 1-0, em casa, frente ao Farense; 2-0, em casa, para a Taça de Portugal, diante do Gafanha; 0-1, fora, com o V. Guimarães B; 1-0, em casa, diante do Benfica B.

A segunda derrota na Ledman LigaPro surgiu logo depois do jogo com as jovens águias. Na deslocação ao Estádio António Coimbra da Mota, o Paços de Ferreira não conseguiu superar o Estoril e perdeu, por 1-0. O regresso aos triunfos veio na 4.ª eliminatória da Taça de Portugal. Frente ao Casa Pia, 3-1 no Estádio Capital do Móvel, reduto dos pacenses.

Antes da deslocação à Luz – jogo para o qual Vítor Oliveira não tem lesionados nem castigados –, o Paços de Ferreira venceu o Penafiel perante o próprio público, por 2-0. Vítor Oliveira fez atuar a equipa de início em 4x4x2, com sete reforços (a negrito): Ricardo Ribeiro; Bruno Santos, Marco Baixinho, Pius, Bruno Teles; Diaby, Luiz Carlos, Pedrinho, Wagner; Uilton e Phellype.

O onze-tipo também se apresenta em 4x4x2, com sete reforços, mas no ataque sai Uilton e entra Fatai: Ricardo Ribeiro; Bruno Santos, Marco Baixinho, Pius, Bruno Teles; Diaby, Luiz Carlos, Pedrinho, Wagner; Fatai e Phellype.

Phillype

Pacenses de cariz ofensivo

Por ter montado um plantel competitivo e por ter como objetivo o regresso à Liga NOS, o Paços de Ferreira tem assumido as rédeas nos encontros que disputa na Segunda Liga. Faz mais remates, passes e recuperações do que os adversários e tem maior percentagem de posse de bola, de acordo com os dados estatísticos da plataforma Wyscout.

Por jogo executa, em média, 15 disparos, com um acerto de 36% no alvo; termina os desafios com uma média de posse de bola acima dos 50 por cento (53%). No capítulo do passe, os comandados por Vítor Oliveira realizam 423 por encontro (83% de eficácia).

Ainda em termos ofensivos, o Paços aposta no ataque organizado para construir o seu futebol. Realiza 27 por jogo e efetua, ainda, 17 cruzamentos por encontro.

Na ótica defensiva, perde menos bolas do que os adversários por jogo (93 contra 103) e recupera mais vezes o esférico (78 contra 76). Os castores concedem poucos remates aos opositores: apenas 2,5 por partida.

Do geral para o particular, destaque para Douglas Tanque e Phillype como melhores marcadores, com seis e cinco golos, respetivamente. Nas assistências, ninguém faz tantos passes para golo como Bruno Santos. O lateral-direito já efetuou quatro em 2018/19.

Pius

Transferências no Paços de Ferreira

ENTRADAS Posição SAÍDAS Posição
Carlos Henriques guarda-redes Rafael Defendi guarda-redes
Ricardo Ribeiro guarda-redes João Pinho guarda-redes
Júnior Pius defesa Mário Felgueiras guarda-redes
Bruno Teles defesa McGowan defesa
Marcos Valente defesa João Góis defesa
Nininho defesa Miguel Vieira defesa
Luiz Carlos médio Francisco Afonso defesa
Christian médio Bruno Leite defesa
Diaby médio Quiñones defesa
Abbas Ibrahim médio Ricardo defesa
Wagner avançado Filipe Ferreira defesa
Fatai avançado Pedro Marques defesa
Paul Ayongo avançado Mateus médio
Uilton avançado Rúben Micael médio
Douglas Tanque avançado Rafael Assis médio
    André Sousa médio
    Welthon avançado
    Hêndrio avançado
    Bruno Moreira avançado
    Raúl Almeida avançado
    António Xavier avançado
    Mabil avançado
    Rabiola avançado

 

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Facebook P. Ferreira

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar