5 de dezembro de 2018, 23h28

Rui Vitória: “Gostei da forma como jogaram os mais novos”

Futebol

Técnico do Benfica fez entrar de início cinco jogadores da formação encarnada.

Rui Vitória mostrou-se naturalmente satisfeito com a vitória (2-0) na receção ao Paços de Ferreira para a Taça da Liga, onde fez entrar de início cinco jogadores da formação do Benfica.

Mais minutos, mais ritmo

"Gostei da forma como jogaram os mais novos. Era um jogo em que, acima de tudo, tínhamos de controlar, não podíamos deixar que o Paços de Ferreira tivesse muita bola e isso foi conseguido. Havia vários objetivos: jogámos com cinco jogadores da formação do Benfica no onze titular, seis portugueses, ganhámos, sabíamos que a vitória nos colocaria no primeiro lugar – independente de com muitos ou poucos golos – e era fundamental ganhar. Já temos um jogo no sábado, temos dois dias de intervalo. Gostei dos jogadores que entraram, evidentemente dando alguma condescendência porque alguns não têm tanto ritmo de jogo e têm de o ganhar aqui. Ninguém me surpreendeu de sobremaneira porque estão todos prontos para competir."

"O que nós queremos é que, nomeadamente, o Krovinovic vá ganhando esse ritmo competitivo aos poucos. Foram dez meses de intervalo, já tinha feito 45 minutos, agora fez 90. É evidente que isto tem de ser algo gradual e estamos em crer que, à medida que o tempo vai passando, vai ficando melhor. Isto não significa que o Krovinovic tenha um tratamento especial. Vamos possibilitando que, quer ele quer os outros jogadores, tenham minutos de jogo para quando forem chamados estarem cada vez mais aptos."

Yuri Ribeiro

Objetivos alcançados

"Estes jogos são sempre jogos com muito menos público, o Paços também com uma abordagem já diferente do jogo… Às vezes não é preciso o tal brilhantismo. Nesta altura, nós tivemos aquilo que o jogo pedia: controlo quase absoluto da partida, não correr qualquer risco, ter as nossas oportunidades de golo – podíamos ter materializado mais –, possibilitar que os jogadores jogassem e, ao mesmo tempo, não encher a equipa que tem jogado mais de mais minutos em cima. Aquilo que pretendíamos era jogar com cinco jogadores da formação de início, seis portugueses, somar seis pontos, manter rotinas defensivas – tudo objetivos claros, e assumidos da nossa parte, perfeitamente alcançados."

Benfica-Paços de Ferreira

As opções no ataque

"Temos quatro avançados, tenho de escolher sempre algum. Se na vossa redação tiverem quatro bons jornalistas e de repente tiverem de tirar um, há de haver um bom jornalista que vai ficar de fora. É o que está a acontecer neste caso. Entendi que era o Seferovic que devia jogar, que devia dar mais minutos ao Castillo, mas sempre com o propósito de ganhar. Ninguém está fora, foi este jogo. No próximo sábado vai haver outro, há uma nova convocatória de 18/19 jogadores que vão mostrar o que querem fazer e depois é esperar uma oportunidade."

Benfica-Paços de Ferreira

Mudanças a pensar no Bonfim

"Este onze foi a pensar primeiro em ter segurança para ganhar o jogo – trabalhar as rotinas defensivas praticamente com a linha defensiva que tem jogado, à exceção do Grimaldo – e também fazer descansar alguns jogadores e dar-lhes ritmo. O Jardel esteve um tempo fora, era importante que voltasse a competir, que as rotinas defensivas continuassem e garantir essa segurança, a estabilização da defesa e, ao mesmo tempo, trabalhar o processo defensivo. Os objetivos foram alcançados e gostei da forma como, principalmente os jogadores mais novos jogaram. Controlámos a partida perante um adversário que, mesmo mudando algumas peças, esteve sempre muito bem organizado. As equipas do Vítor [Oliveira] acabam por ser assim, o que valoriza ainda mais a vitória."

Benfica-Paços de Ferreira

Final four da Taça da Liga como objetivo

"É evidente que, estando agora no primeiro lugar, vamos ao Desportivo das Aves com o mesmo objetivo que eles. Vamos lá para passar à final four, mas agora temos de nos focar nos jogos que faltam até lá."

Benfica-Paços de Ferreira

Significado de mais uma vitória

“Ganhar é sempre bom. Dou o significado que tem de se dar naquilo que pretendíamos. Queremos somar vitórias, não sofrer golos, colocar mais jovens jogadores a jogar, jogadores da formação. Isso foi tudo alcançado. Antes do Bayern já tínhamos somado vitórias, vamos continuar a somar. Hoje somámos esta, que era aquilo que queríamos, e isto é dia a dia. Uma equipa como a nossa não pode ter muito tempo para pensar sequer naquilo que ficou para trás.”

Texto: Filipa Fernandes Garcia

Fotos: Isabel Cutileiro e João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar