Futebol

07 dezembro 2018, 13h57

Rui Vitória

O treinador do Benfica, Rui Vitória, lançou, em conferência de Imprensa, a partida com o V. Setúbal, a contar para a 12.ª jornada da Liga NOS. Espera um adversário difícil, mas acredita que o coletivo pode resolver jogos. Sublinhou, ainda, que conta com todos os jogadores.

O V. Setúbal tem feito um arranque de Campeonato interessante. Que adversário espera encontrar?

Espero encontrar um Vitória de Setúbal com qualidade. É uma equipa muito pragmática, consistente, sólida, que se bate bem e divide todos os palmos do terreno. Espero um adversário difícil, que vai jogar numa linha de quatro, com dois médios mais estáveis na zona central e com um médio mais ofensivo, que deverá ser o Rúben Micael. Jogará, ainda, com um ponta de lança e dois alas a explorarem as transições rápidas, a serem agressivos na disputa da bola.

O que tem a dizer sobre as notícias que dão conta da entrada de um avançado em janeiro e das saídas de Ferreyra e Castillo?

Não tenho muito a dizer. Pensava que seria mais tarde esta conversa sobre saídas e entradas. Há um conjunto de jogadores que vai entrar e sair, mas o que me guia, o meu foco fundamental é o jogo de amanhã [sábado] e o ciclo de jogos em que vamos entrar. Nós – e qualquer outra equipa – vemos janeiro como uma janela que se abre.

Sente que as pessoas o testam a cada jogo que passa?

Não sinto. Mas, ao estar a representar um clube desta dimensão, queremos sentir esta pressão. É clube ganhador e nada muda. Pensamos em ganhar. É a minha vida! Vou para os jogos com uma convicção muito grande e enquanto equipa temos capacidade para resolver jogos.

Acredita que a tabela classificativa seria diferente sem erros de arbitragem?

Acredito, mas não me vou pronunciar sobre isso. O Benfica já fez o que tinha a fazer, tem pessoas a tratar disso. Poderei pronunciar-me mais tarde, mas agora não. Mas acredito que seria diferente.

Rui Vitória

Com duas vitórias nos últimos dois jogos, pode dizer-se que o Benfica já está na fase que prometeu na conferência de Imprensa que teve após a do Presidente Luís Filipe Vieira?

Ninguém sai de um estado menos positivo com um estalar de dedos. Temos confiança no que estamos a fazer; temos consciência do que temos de fazer pela frente. Não foi por vencer dois jogos que mudei a forma de pensar. Há muito a fazer e temos de estar ligados, pois, assim, estaremos mais perto de vencer. Antes já fizemos coisas positivas e outras menos positivas.

Ferreyra é um jogador que não entra nas contas do treinador? É uma carta fora do baralho?

Não há cartas fora do baralho na minha equipa. Qualquer jogador pode ser chamado à equipa e à titularidade. Tenho jogadores de qualidade para várias posições. Na posição de ponta de lança tenho de pensar em três e um vai ficar de fora. Nenhum jogador a trabalhar comigo está fora do baralho.

Já sabe quem vai sair em janeiro?

Os treinadores pensam nestas questões, mas é prematuro falar nisso. Vamos pensando nisso, mas não é nesta altura que vou dizer quem sai ou entra. Há tanto foco até ao final deste mês que não é de bom-tom falar destas questões.

João Félix cumpriu 90 minutos pela primeira vez. Tem condições para ser presença no onze com maior assiduidade?

Tenho bem a noção do que estes jogadores jovens precisam para se afirmarem. O João [Félix] é um belíssimo jogador, ainda tem muito que trabalhar, tem um potencial enorme. Está inserido num lote de cinco jogadores internacionais que jogam naquela posição. O João está a evoluir tal como o Alfa, o Yuri, o Gedson. Sei que percurso tem de fazer. Não acerto sempre, mas já aconteceu recentemente e, neste caso, vou acertar novamente. Tem um enorme potencial.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica

Última atualização: 7 de fevereiro de 2019

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar