20 de julho de 2019, 23h29

🎥 A crescer com qualidade e golos

Futebol

O Benfica entrou da melhor maneira (com exibição segura e vitória) na International Champions Cup 2019.

Uma exibição muito bem conseguida, acompanhada de eficácia nas zonas de finalização, encaminhou o Benfica para um triunfo motivador sobre o Chivas (3-0) na estreia das águias na International Champions Cup 2019.

Um golo na primeira parte e dois no segundo tempo, com três autores diferentes (Raul de Tomas, Rafa e Seferovic), adocicaram o jogo no Levi's Stadium, na Califórnia, perante um oponente que está prestes a iniciar a competição oficial, no México.

Voucher Desconto wearebenfica

Debaixo de calor (às 13h00 locais, 21h00 em Portugal Continental), mas solta e decidida a impor o seu futebol, a equipa benfiquista teve no pé esquerdo de Gabriel uma primeira tentativa para alvejar a baliza do Chivas (2'). No lance seguinte foi Raul de Tomas, de fora da área, a errar as redes por muito pouco.

Práticos e incisivos na exploração de combinações pelos flancos, os encarnados desenharam pelo lado esquerdo o lance do golo inaugural quando estavam decorridos apenas quatro minutos. Caio Lucas, numa excelente iniciativa, rompeu, com técnica e velocidade, e cruzou com precisão para o toque final de Raul de Tomas sobre o segundo poste. Com uma excelente movimentação na área, o camisola nove das águias (que fez dupla de ataque com Seferovic) procurou o sítio exato para concluir a jogada e assinar o 1-0.

Raul de Tomas

Interpretando com rigor os preceitos idealizados pelo treinador Bruno Lage, os jogadores do Benfica davam largura e profundidade ao jogo, com uma circulação de bola segura e objetiva (62% de posse no primeiro tempo), procurando forçar desequilíbrios e descobrir caminhos que os levassem para junto das redes da equipa mexicana.

Muito ativos no coração do meio-campo, Florentino e Gabriel expuseram qualidades nos momentos de criação ofensiva, com bola, mas também nas fases em que era preciso pressionar para recuperar a posse ou retirar espaços ao adversário, de maneira a que não se estendessem no relvado.

Nas laterais, Nuno Tavares (esquerdino) atuou sobre a direita e Grimaldo alinhou no lado esquerdo; ambos se esforçaram no sentido de alongar o jogo da equipa pelos flancos, embora essa tarefa, por uma questão de rotinas, fosse teoricamente mais fácil para o internacional Sub-21 espanhol.

No primeiro tempo, o Benfica dispôs de três cantos, todos executados por Pizzi e de maneiras diferentes, numa demonstração de variedade de soluções para surpreender o adversário.

Na baliza das águias, Odysseas raramente foi chamado a jogo na etapa inicial. Porém, quando "desafiado" pelos atacantes do Chivas, o internacional grego mostrou qualidade em três momentos seguidos da mesma jogada, ao minuto 42, conservando a vantagem (1-0) com que o Benfica chegou ao intervalo.

Gabriel

O Chivas reagiu no arranque da segunda parte e, apostando nos remates de meia distância, acertou por duas vezes na barra da baliza encarnada: Ponce (50') e Vega (60') foram os atiradores do conjunto mexicano.

Depois de ter lançado Jardel e Rafa após o intervalo (saíram Rúben e Caio Lucas), Bruno Lage voltou a mexer nas pedras encarnadas ao minuto 66: Samaris, Chiquinho, Taarabt e Jota renderam Gabriel, Pizzi, Florentino e Raul de Tomas.

Seferovic, após um passe de Jota, ficou a centímetros do 2-0 aos 67', num remate cruzado executado sobre o lado direito da área.

O Benfica reassumia por completo as rédeas da partida e, depois de uma ameaça de Seferovic, faturou o 2-0 aos 70': sobre o corredor central, Jota trabalhou a jogada, viu a desmarcação de Rafa e soltou para o 27, que, descaído para a esquerda, já no interior da área, usou o pé direito para enganar o guarda-redes contrário e atirar a bola para dentro da baliza.

A equipa benfiquista robustecia a vantagem e, aos 73', acrescentou-lhe outro golo: na sequência de um ótimo trabalho de Taarabt no meio-campo, seguindo de passe a rasgar para o eixo do ataque, Seferovic correspondeu, controlou a bola e, diante do guardião do Chivas, chutou de pé direito para o 3-0. E o camisola 14 poderia mesmo ter bisado aos 75', mas o disparo de pé direito foi sacudido para canto pelo guarda-redes.

Seferovic

Aos 79', mais mudanças nas águias: entraram Cervi, Zivkovic, Fejsa e Tyronne; saíram Nuno Tavares, Grimaldo, Seferovic e Ferro.

Já em tempo de compensação (90'+1'), o Chivas ainda enviou uma bola ao poste direito, novamente a partir de um remate de fora da área (livre direto batido por Huerta).

O resultado estava feito: 3-0 para os jogadores treinados por Bruno Lage, que efetuaram mais um teste com nota positiva nesta pré-temporada. Segue-se o embate com a Fiorentina no Red Bull Arena, em Nova Iorque, às 1h00 do dia 25 de julho (horário de Portugal Continental).

Onze Benfica

Recorde-se o onze inicial do Benfica no jogo com o Chivas: Odysseas; Nuno Tavares, Rúben, Ferro e Grimaldo; Florentino, Gabriel, Pizzi e Caio Lucas; Raul de Tomas e Seferovic.

Texto: João Sanches

Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar