16 de outubro de 2019, 11h20

Casa de partida: o reencontro, 31 anos depois

Futebol

Caminhada do Benfica na Taça de Portugal 2019/20 começa no reduto do Cova da Piedade às 20h30 de sexta-feira.

No início de um ciclo de sete jogos em 23 dias, o Benfica dá o pontapé de saída na edição 2019/20 da Taça de Portugal diante do Cova da Piedade, no Estádio Municipal José Martins Vieira, às 20h30 de sexta-feira. Esta é a segunda vez que os encarnados arrancam na competição diante da equipa da Margem Sul.

A primeira foi em 1988/89, mas no Estádio da Luz (os regulamentos agora vigentes não permitem que as equipas da Liga NOS joguem em casa na eliminatória de entrada), com o resultado a ser um expressivo 9-1 para as águias. Magnusson esteve em destaque com um hat-trick na partida; Abel e Pacheco, cada um com o seu bis, deram mais força ao score; Lima e Hernâni também juntaram os seus nomes à lista de marcadores no dia 1 de novembro de 1988.

Nessa temporada, para além do título de Campeão Nacional, o Benfica só terminou na final do Jamor diante do Belenenses liderado por Marinho Peres.

Volvidos 31 anos muito mudou em ambos os emblemas. O Cova da Piedade, que na altura militava na 3.ª Divisão, hoje está no escalão imediatamente abaixo do principal patamar do futebol português; as águias, por sua vez, juntaram, entre outros títulos, mais cinco Taças de Portugal ao palmarés.

Este é o quarto embate entre Cova da Piedade e Benfica, curiosamente sempre a contar para a Taça de Portugal. As águias venceram os três jogos anteriores, apontaram 19 golos e sofreram apenas quatro.

Historicamente, foi também em 1988/89 que o Benfica alcançou a sua maior vitória caseira na prova. Frente ao Atlético Riachense, o resultado fixou-se em 14-1; na condição de visitante, o triunfo mais expressivo na Taça de Portugal foi 0-9 ao Nacional na temporada 1938/39.

Com 80 presenças na prova-rainha, o Benfica é o clube com mais troféus: 26, o último dos quais obtido em 2016/17. Tem, ainda, 442 jogos realizados e 337 triunfos (76% de eficácia), sendo que, no seu recinto, a percentagem de vitórias é de 95% (195 em 219).

Com maior ou menor dificuldade, os encarnados têm sabido ultrapassar a eliminatória de estreia nas edições da Taça de Portugal. A exceção aconteceu em 2002/03 quando o Gondomar venceu no antigo Estádio da Luz por 0-1.

Em termos individuais, destaque para os melhores marcadores do Benfica na prova-rainha. Eusébio lidera a lista com 98 golos, secundado por José Águas, com 70; Nené (67), Torres (57) e Arsénio (54) fecham o top 5.

Sertanense-Benfica

Da Covilhã, com um hat-trick histórico, até Coimbra...

Olhando para as últimas cinco entradas do Benfica na Taça de Portugal há um denominador comum: a vitória.

Na época passada (2018/19), no Estádio Cidade de Coimbra, o Benfica mediu forças com o Sertanense e ganhou por 0-3. Rafa desbloqueou o jogo ainda na primeira parte (35’), com Gedson, através de um pontapé do meio da rua (53’), e Jonas (68’) a fecharem a contenda.

Em 2017/18, o jogo também não aconteceu no reduto natural do adversário. O Olhanense-Benfica decorreu no Estádio Algarve e Gabriel Barbosa, com um chapéu de belo efeito, aos 4’, colocou as águias na fase seguinte da Taça de Portugal (0-1).

Últimos 5 arranques na Taça de Portugal

Época Jogo | Resultado
2018/19 Sertanense-Benfica | 0-3
2017/18 Olhanense-Benfica | 0-1
2016/17 1.º Dezembro-Benfica | 1-2
2015/16 Vianense-Benfica | 1-2
2014/15 SC Covilhã-Benfica | 2-3

Na temporada 2016/17 ocorreu o triunfo mais complicado do Benfica nos últimos cinco anos. A equipa da linha de Sintra, o 1.º Dezembro, recebeu o Campeão Nacional no Estoril e vendeu cara a derrota, por 1-2. Danilo inaugurou o marcador aos 50’, mas um avançado com um apelido incontornável na história do Benfica empatou, de grande penalidade, aos 62’. Martim Águas, filho de Rui Águas e neto do Bicampeão Europeu José Águas, fez o 1-1. Aos 90’+6’, Luisão puxou dos galões e colocou os encarnados na 4.ª eliminatória da prova-rainha.

Em 2015/16, no Estádio Cidade de Barcelos, o Vianense foi derrubado por Jardel aos 90’ (1-2), isto depois de Carcela ter inaugurado o marcador (38’) e Coulibaly, aos 79’, ter empatado o desafio.

O primeiro embate dos últimos cinco na Taça de Portugal foi em 2014/15, numa viagem à Serra. Na casa do SC Covilhã, Jonas foi rei em jogo de parada e resposta (2-3). O brasileiro marcou aos 2’, aos 54’ e aos 71’ (foi o seu primeiro hat-trick de águia ao peito); de permeio, Traquina (9’) e Erivelto (43’) festejaram para o SC Covilhã.

Texto: Marco Rebelo

Fotos: Arquivo / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar