9 de dezembro de 2019, 16h17

Raio-X: adversários na segunda ronda da FIBA Europe Cup 

Basquetebol

Benfica estreia-se nesta quarta-feira, às 21h00, no Pavilhão Fidelidade, diante do Spirou Basket.

Garantido o primeiro lugar na fase regular da FIBA Europe Cup, o foco está na participação na Segunda Ronda, na qual o Benfica vai medir forças no Grupo I com os belgas do Spirou Basket, com os alemães do medi Bayreuth e com os dinamarqueses do Bakken Bears.

O Sport Lisboa e Benfica é uma das 16 formações presentes nesta fase da FIBA Europe Cup. Num total de quatro agrupamentos, com igual número de equipas, as águias têm seis jogos para procurar garantir o apuramento para os quartos de final, sendo que apenas passam os dois primeiros de cada grupo. Em vésperas do primeiro desafio dos encarnados na Segunda Ronda, o Site Oficial faz uma análise aos oponentes na prova.

Spirou Charleroi

Spirou Basket (Bélgica)

O Spirou Basket tem um palmarés a nível nacional que fala por si ao ter conquistado 10 Campeonatos e cinco Taças na Bélgica. No panorama internacional, não têm nenhuma prova europeia no seu currículo.

Este ano, na fase regular da FIBA Europe Cup, o coletivo de Charleroi garantiu o segundo lugar do Grupo E com três vitórias e igual número de derrotas, num agrupamento onde se encontrava uma equipa bem conhecida pelos encarnados. O Donar Groningen, adversário das águias na primeira ronda de qualificação para a Liga dos Campeões, ficou no terceiro posto, tendo sido derrotado nos dois encontros pelos belgas.

No Campeonato Nacional ocupam a 9.ª posição com 12 pontos em nove partidas. Com apenas três vitórias e seis derrotas até ao momento, estão a ter um desempenho inferior ao da temporada passada, em que terminaram em terceiro lugar na fase regular, tendo sido eliminados nos quartos de final do play-off diante do Limburg United.

No plano individual, Anthony Beane, camisola n.º 2, é o jogador que mais se tem vindo a destacar. O atleta norte-americano apresenta a terceira melhor média de lançamentos concretizados na FIBA Europe Cup com 21.8 pontos por jogo.

Quem também tem estado a dar nas vistas é Alexandre Libert, que joga com o n.º 5 nas costas. O belga é o segundo mais utilizado neste coletivo, sendo determinante no capítulo ofensivo ao ter ajudado a equipa com 87 pontos nas provas europeias.

Spirou Charleroi

Yoeri Schoepen, de nacionalidade belga, é outro nome que tem estado em plano de evidência. Apesar de não ser tão eficaz na hora de lançar ao cesto, o n.º 13 é um dos basquetebolistas com mais minutos dentro da quadra.

No início do mês de dezembro, o base Joe Rahon deixou o clube, tendo-se transferido para os alemães do Skyliners Frankfurt. O norte-americano era uma das peças mais importantes deste conjunto, pelo que esta poderá ser uma boa notícia para as águias.

Antes da deslocação a Lisboa, a formação oriunda de Charleroi derrotou o BC Oostende, líder do campeonato belga, por 93-99, após prolongamento, no reduto do seu oponente.

O desafio entre o Sport Lisboa e Benfica e o Spirou Basket está agendado para esta quarta-feira, no Pavilhão Fidelidade, às 21h00. Os bilhetes para este jogo inaugural e para os restantes desafios já estão à disposição dos Sócios, adeptos e público em geral.

medi-bayreuth

medi Bayreuth (Alemanha)

O segundo adversário dos encarnados é o medi Bayreuth da Alemanha. O embate está marcado para o próximo dia 18 de dezembro, às 17h30 (hora portuguesa).

Nas provas internas, a equipa alemã está a fazer um campeonato ligeiramente superior, em termos de resultados, ao da temporada passada. Enquanto na última edição terminaram na 12.º posição com 14 vitórias e 20 derrotas em 34 jogos disputados, nesta época ocupam o 10.º lugar da tabela classificativa, tendo levado a melhor por quatro vezes e perdido seis encontros em dez partidas.

Na época transata, nas competições internacionais, o medi Bayreuth esteve na fase de grupos da Liga dos Campeões de Basquetebol, onde não conseguiu melhor do que o sétimo posto com 19 pontos, classificação que inviabilizou a continuidade na prova, uma vez que se qualificavam apenas os quatro primeiros de cada agrupamento para os oitavos de final.

Agora, este conjunto está na Segunda Ronda da FIBA Europe Cup depois de se ter superiorizado no Grupo C ao Apoel Nicósia (Chipre) e ao Sigal Prishtina (Kosovo), terminando em 2.º lugar na fase regular atrás do Ventspils (Letónia), com quem perdeu os dois embates.

medi Bayreuth

Para o sucesso desta formação a nível nacional e internacional, muito contribuiu a prestação do n.º 8, James Alexander Woodard. O norte-americano, que joga na posição 2, é o terceiro basquetebolista com melhor média de pontos no plantel e apresenta um registo de 70 pontos só na FIBA Europe Cup.

Bastian Doreth é o segundo mais utilizado nas competições europeias, contando com cerca de 22 minutos por jogo. Apesar de não ser dos jogadores que mais pontuam, o alemão é um dos elementos mais preponderantes deste coletivo.

O melhor concretizador da equipa tem o nome de Reid Alfred Travis e joga com o n.º 22 nas costas. O norte-americano apresenta um registo de 107 pontos nos seis encontros já disputados nas provas internacionais.

Antes de medir forças com o Bakken Bears, da Dinamarca, o medi Bayreuth defrontou um dos principais candidatos ao título no seu país e atual terceiro classificado, Alba Berlim, tendo perdido por 78-82. Este resultado evidencia a qualidade desta formação, que joga num dos campeonatos mais competitivos do contexto europeu.

Bakken Bears

Bakken Bears (Dinamarca)

Dos três adversários dos encarnados, o Bakken Bears é o coletivo que está a ter o melhor desempenho esta temporada até ao momento, não só na Dinamarca como ainda a nível internacional.

No Grupo H da fase regular, a equipa dinamarquesa ficou em primeiro lugar com cinco vitórias em seis encontros disputados, num agrupamento que era composto pelo Egis Kormend (Hungria), que impôs a única derrota aos dinamarqueses nesta época desportiva, pelo Légia Varsóvia (Polónia) e pelo Kataja Basket (Finlândia).

Este conjunto foi líder da ronda anterior, objetivo que nenhum dos oponentes das águias conseguiu igualar. Para esta competição, a ambição da formação dinamarquesa passa por ter um desempenho melhor do que no ano passado, em que chegaram aos quartos de final da FIBA Europe Cup, tendo sido eliminados pelos alemães do Würzburg, que perderam na final com o Dínamo Sassari, adversário que também levou a melhor sobre os encarnados, no ano passado, na Segunda Ronda de Qualificação.

Bakken Bears

Também nas provas internas têm estado em destaque. Encontram-se na liderança do Grupo A fruto de dez vitórias em igual número de desafios, permitindo-lhes serem líderes da tabela classificativa. Darko Jukic, dinamarquês que veste a camisola n.º 8 no Bakken Bears, é o atleta que mais tem contribuído para a boa campanha a nível nacional e internacional do clube, com 71 pontos nos seis jogos europeus, sendo ainda o que conta com mais tempo dentro da quadra.

Ryan Evans, n.º 5, é outro nome a ter em atenção. O extremo é o melhor marcador nas competições europeias, tendo ajudado a equipa com 88 pontos. O norte-americano apresenta ainda os melhores registos de eficácia do seu conjunto na FIBA Europe Cup.

Michel Diouf, de nacionalidade senegalesa, também tem estado em plano de evidência. O n.º 11 não tem pontuado tanto como os outros dois colegas, mas é o terceiro basquetebolista mais utilizado e o segundo mais eficaz no lançamento nas provas europeias.

Antes do encontro com o medi Bayreuth, o Bakken Bears venceu por 95-79 o quarto classificado, Naestved, dando seguimento à invencibilidade no campeonato.

O confronto entre o Sport Lisboa e Benfica e os dinamarqueses está marcado para o próximo dia 7 de janeiro, às 21h00, no Pavilhão Fidelidade, na 3.ª jornada da competição europeia de clubes.

Fotos: FIBA

PATROCINADORES MODALIDADES


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar