4 de fevereiro de 2020, 22h23

Gabriel na hora certa, porque nunca se desiste

Futebol

O Benfica reagiu à desvantagem, deu-lhe a volta e bateu o Famalicão no Estádio da Luz, partindo na frente para a segunda mão da meia-final da Taça de Portugal.

RESUMO DO JOGO

Agitada e emocionante, a segunda parte do Benfica-Famalicão teve cinco golos e mais uma reviravolta (de 1-2 para 3-2) dos encarnados, que confiaram até ao último segundo que seriam capazes de vencer na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal.

Escassa de momentos calorosos e deslumbrantes junto às balizas, a etapa inicial deste desafio no Estádio da Luz terminou como começou: sem golos.

Pizzi (12' e 28') e André Almeida (45'+1') foram os jogadores que mais perto estiveram de beliscar as redes do Famalicão, enquanto do lado dos visitantes a melhor ocasião para inaugurar o marcador passou, aos 17', pelos pés de Diogo Gonçalves (no cruzamento) e de Pedro Gonçalves (na conclusão para fora).

No recomeço, Bruno Lage teve de promover uma alteração na equipa: saiu Jardel, entrou Ferro, que se juntou a André Almeida, Rúben Dias e Grimaldo na linha defensiva à frente do guarda-redes Odysseas, que se estreou nesta edição da Taça de Portugal.

GOLO: 1-0

Depois de um par de intermitências das águias que o famalicense Fábio Martins tentou explorar com remates de zona exterior, o Benfica criou pela esquerda, Seferovic (titular no ataque com Chiquinho) cruzou na área e Riccieli intercetou a bola com o braço direito (51'). Penálti prontamente assinalado por Hugo Miguel. Pizzi, na execução do castigo máximo (53'), apontou o seu 21.º golo na temporada (quarto na Taça de Portugal).

GOLO: 1-1

Eficaz e confortável com bola como tem mostrado ao longo da temporada, o Famalicão aproveitou alguns desequilíbrios do Benfica e, com espaço, produziu o empate (1-1) num raide vistoso de Pedro Gonçalves, que acelerou pelo corredor central, combinou curto na área com Diogo Gonçalves e depois rematou para golo (60').

GOLO: 1-2

Já com Rafa e Vinícius nos lugares de Cervi e Chiquinho, o Benfica foi atrás do segundo golo, mas quem marcou foi o Famalicão. Numa transição rápida, tirando partido do facto de os encarnados não terem sido mais pacientes na elaboração ofensiva pela esquerda, os minhotos construíram verticalmente e levaram a bola até Toni Martínez. Este, na área, pela direita e com ângulo, chutou cruzado para o 1-2 aos 73'.

GOLO: 2-2

O cenário complicou-se, mas a equipa benfiquista não entrou em desespero. Com Rúben Dias e André Almeida a apoiar o ataque, o lance do 2-2 foi uma realidade aos 78'. André Almeida recebeu do central (que fora solicitado por Taarabt) e, perto da linha limite da área, jogou curto para Vinícius, que, pelo meio, enquadrou o tiro de pé esquerdo. Vaná susteve como pôde, para a frente, e Rafa foi veloz no ataque àquela bola, encostando, na recarga, para o interior da baliza.

O jogo estava aberto e só em cima do minuto 90 é que o Famalicão procurou trancar-se lá atrás (saiu Pedro Gonçalves, entrou Roderick). Os minutos fugiam, mas o Benfica nunca desistiu, acreditou que seria possível obter mais um golo e fez por chegar à vitória.

GOLO: 3-2

A pressão sobre a área famalicense gerou um canto à esquerda ainda no quarto de cinco minutos de compensação. Grimaldo executou a bola parada (sétima assistência na época, primeira na Taça de Portugal), Gabriel movimentou-se na área, furou a vigilância dos defensores e cabeceou imparável sobre a zona do primeiro poste, rubricando o 3-2 final aos 90'+5' (primeiro golo do médio na prova-rainha, segundo na temporada).

A segunda mão das meias-finais joga-se na próxima terça-feira (11 de fevereiro), às 20h45, em Vila Nova de Famalicão.

DRESSCODE DESCONTO RÉPLICAS

Texto: João Sanches

Fotos: David Martins e João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar