24 de fevereiro de 2020, 17h55

🎥 Um "não" à discriminação

Clube

Estádio da Luz recebeu mais de 400 crianças no âmbito do projeto da Fundação Benfica "Cartão Vermelho ao Racismo".

FESTIVAL "CARTÃO VERMELHO AO RACISMO"

O Estádio da Luz recebeu, nesta segunda-feira, a 1.ª edição do Festival "Cartão Vermelho ao Racismo". Um "trabalho com vários anos", da Fundação Benfica, presidida por Carlos Moia, de "combate à discriminação".

Inserido no projeto "Show Racism the Red Card", o evento – cofinanciado pela Comissão Europeia – desenvolvido com o intuito de combater o racismo e outras formas de discriminação é o culminar de cinco sessões lúdico-pedagógicas.

"Isto é um trabalho com vários anos, da Fundação Benfica, de combate ao racismo e de outras formas de discriminação através de várias iniciativas. Tem vários clubes junto de nós, como o Chelsea ou o Inter de Milão, por exemplo. É um projeto, que vem sendo feito há vários anos, com mais de 400 jovens. Pensamos no final do ano ter atingido mais de três mil crianças", explicou o presidente executivo da Fundação Benfica, Carlos Moia, em declarações à Comunicação Social.

Cartão Vermelho ao Racismo

Sob a alçada da Fundação Benfica, este é, segundo o diretor da Fundação, Jorge Miranda, "um projeto que dura um ano e que vai a meio" e que desafia crianças e jovens a "experimentar a diferença".  

"Este é um problema muito sério e antigo na sociedade portuguesa, embora não queiramos admitir. É esse o conteúdo deste projeto. Estes jovens experimentam a diferença, várias situações em que estão numa posição de fraqueza, em que experimentam o desporto para compreenderem como é que essa fraqueza é injusta e como é que os outros devem incluir aqueles que são diferentes. No caso do racismo não é uma questão de fraqueza, é de estigma", disse à BTV o diretor da Fundação.

Um projeto reconhecido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) e que, tais como outros, mereceu a Bandeira da Ética, uma bandeira que certifica iniciativas, projetos ou entidades que se destaquem na promoção dos valores éticos por via da prática desportiva.

Carlos Pereira, , membro da direção do IPDJ

"A Fundação Benfica tem feito um trabalho muito intenso, relacionado com a inclusão pelo desporto e vários projetos inseridos nessa intervenção que constam da própria estratégia da Fundação. O projeto ‘Kid Fun’ foi reconhecido pelo IPDJ com a Bandeira da Ética e, agora, mais uma vez, também este projeto ligado ao racismo mereceu a distinção", referiu Carlos Pereira, membro da direção do IPDJ.

Fotos: Cátia Luís e Isabel Cutileiro

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar