24 de fevereiro de 2020, 22h41

🎥 Bruno Lage: “Adeptos estiveram connosco do primeiro ao último minuto”

Futebol

O treinador do Benfica realçou o apoio recebido em Barcelos e considerou o triunfo justo.

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

No final do Gil Vicente-Benfica (0-1), Bruno Lage analisou o jogo. Apontou à justiça do resultado e agradeceu o apoio recebido dos Benfiquistas no Estádio Cidade de Barcelos.

O treinador dos encarnados explicou as substituições e a aposta em Weigl e Samaris no meio-campo; vaticinou uma luta “ombro a ombro” com o FC Porto até ao fim da Liga NOS e garantiu que a equipa está motivada para o embate da Liga Europa, com os ucranianos do Shakhtar.

Gil Vicente-Benfica

Fantástico apoio

“Não podia começar sem falar nos adeptos. Senti-me a ganhar por aquele menino junto ao banco de suplentes ter-me pedido um abraço. Depois, um apoio fantástico dos nossos adeptos do primeiro ao último minuto. Sentimos que os adeptos estão connosco. Viu-se no jogo e viu-se na receção que tivemos na chegada ao hotel e na partida do hotel para o jogo. Os adeptos que estão no topo de cada uma das balizas têm de sentir que estamos a correr e a jogar por eles. Por isso, no fim fomos agradecer, porque eles são muito importantes para nós e ajudaram-nos neste momento em que vínhamos de resultados menos bons. Nunca deixaram de nos apoiar.”

Gil Vicente-Benfica

Grande jogo e vitória justa

“Fizemos o que tínhamos de fazer, que era vencer. Fizemos uma boa primeira parte, criámos várias oportunidades e foi com justiça que chegámos à vantagem. Tivemos uma entrada forte na segunda parte, com uma ou duas jogadas de envolvimento que nos poderiam ter dado o golo, nomeadamente aquela [remate à barra] do Adel [Taarabt]. Em consequência do momento, e pelo desgaste, tivemos de ajustar. Foi um bom jogo perante uma grande equipa, com uma excelente equipa técnica, liderada por um grande treinador e grande homem.”

“Sabíamos que era um campo muito difícil em função dos resultados que o Gil Vicente tem feito em casa, mas o mais importante nesta fase foi conseguido: conquistar os três pontos, vencer! Com o jogo com 60 minutos, com a equipa a ganhar 0-1, o jogo ficou mais dividido. Podíamos ter tido mais calma e controlar o jogo com bola. Não o fizemos, controlámos de outra maneira! Fomos fazendo as substituições que tínhamos de fazer.”

Gil Vicente-Benfica

As substituições e o 4x2x3x1

“Dois dos jogadores que saíram – Samaris e Vinícius – foi por fadiga. Por prevenção, saíram. A nossa dinâmica foi saber que tínhamos de ter uma pressão alta para o Gil Vicente não construir e, simultaneamente, perceber que ia haver muito ataque à profundidade pelo lado direito deles. Como tal, em função do que tínhamos visto do adversário e para termos mais capacidade na construção, optámos por colocar Weigl e Samaris, com Taarabt entre linhas, Rafa e Pizzi por dentro e os laterais à largura. Com isto, manter muitos jogadores a atacar por dentro e a equipa equilibrada.”

“O Gil Vicente, com uma boa organização e com um ataque em profundidade tremendo, podia colocar sempre em xeque as nossas costas, o espaço entre as defesas, sentir e aproveitar um ou outro jogador que não está a atravessar um bom momento… e eles tentaram fazer isso! Foram à direita, foram à esquerda, e nesse momento podíamos ter mais bola. É um bocadinho de tudo, mas sinto que o mais importante foi que a equipa teve um critério muito bom na primeira parte, a construir de várias maneiras, chegámos ao terço ofensivo de várias formas, aí podíamos ter sido mais agressivos para criar ainda mais situações de finalização.”

Gil Vicente-Benfica

Opção por Samaris e Weigl no meio

“Durante dois meses jogámos com esta dupla – Taarabt e Gabriel – e senti sempre a equipa sólida e consistente. Não sinto que tenha sido por aí que tenhamos perdido. Estar a olhar para trás… o que conta é agora. Neste momento, em função das nossas opções, escolhemos por aqui e estamos felizes por ter escolhido certo.”

Gil Vicente-Benfica

Regularidade e exigência

“Esta vitória é muito importante. Entramos em cada jogo, e representando este clube, com a ambição de vencer. Esta vitória permite-nos conquistar três pontos e manter o lugar de 1.º classificado. É curioso que, ao longo deste campeonato, já tivemos jogos em que não jogámos tão bem – lembro-me de Tondela – e outros em que jogámos muito bem – no jogo com o Boavista –, mas são sempre três pontos. Quando estávamos na Liga dos Campeões, tivemos um ou outro jogo em que não estivemos tão bem. O que é mais importante nesta caminhada? Sermos regulares, exigentes, manter um nível exibicional dentro do que defendemos e vencer. Tivemos um momento menos bom que coincidiu com a perda de seis pontos. Era importante ganhar e manter a liderança. Foi o que fizemos.”

Gil Vicente-Benfica

Sem medo de errar

“Qualquer tipo de resultados que tive, os recordes de que falaram… eu não falo dos recordes, não interessa. O que interessa é o próximo jogo. Este acabou, fecha-se e não levo nada deste jogo para o próximo. Isto é o que quero que os jogadores sintam. Errar e perder faz parte, é futebol. Vamos analisar e no jogo seguinte não podemos ter medo de perder ou de errar. Temos de ter o à-vontade suficiente para jogar bem, sermos felizes e dinâmicos. Vamo-nos atirar ao jogo e ser ofensivos. Foi nessa filosofia que fizemos um ano fantástico, a vencer jogos em casa e fora.”

Gil Vicente-Benfica

Luta pelo título com o FC Porto

“É jogo a jogo. Mas é mesmo! Não vi o jogo do FC Porto [com o Portimonense] por estar a viajar [de avião]. As equipas estão a jogar de três em três dias e com uma exigência… vamos ter dois/três meses ao ritmo que tivemos na época passada. É entrar num jogo, fechar e entrar logo noutro, com dinâmica e mentalidade de querer vencer. São duas equipas grandes [Benfica e FC Porto], com grandes jogadores. Vai ser assim: jogo a jogo, ombro a ombro até ao fim. Temos de ter a mentalidade de vencer os jogos.”

Gil Vicente-Benfica

Motivados para a Liga Europa

“Sim, claro! O grupo está sempre unido. Isso é visível cá dentro e nos jogos. O plantel quer dar tudo e boas respostas. Os grandes clubes e os grandes jogadores vivem de vitórias. Mantemos a nossa posição e agora vamos olhar para o jogo de quinta-feira [com Shakhtar Donetsk] com ambição e para ganhar.”

Texto: Marco Rebelo e Sónia Antunes

Fotos: David Martins / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar