24 de fevereiro de 2020, 14h16

Ivo Casas: rei das receções na Liga dos Campeões

Voleibol

Líbero do Benfica lidera dado estatístico na fase de grupos da prova europeia de voleibol.

A chegada do SL Benfica à fase de grupos da Liga dos Campeões celebrou um marco na secção de voleibol e da própria modalidade em Portugal. Força do coletivo foi elemento diferenciador, mas também houve espaço para destaques individuais, como são os casos de Ivo Casas, Rapha e Honoré.

Nos seis jogos disputados pelos encarnados, o líbero Ivo Casas somou um total de 150 receções, sendo que, dessas, 40,67% foram consideradas pelo organismo como "perfeitas", valendo-lhe a liderança deste ranking. A segunda posição é ocupada por Jénia Grebennikov, do Trentino, com 36,69% de eficácia na receção.

Ao puxar a fita atrás e contabilizando também as partidas das pré-eliminatórias, Ivo Casas só é ultrapassado por Stanislau Zabarouski (43,55%), do Shakthior Soligorsk. O bielorrusso, porém, realizou apenas 62 receções, face às 287 do português ao longo de toda a sua participação na prova (39,72%).

Marc Honoré Benfica Liga dos Campeões Voleibol

Ainda nos dados estatísticos contabilizados ao longo de toda a competição (pré-eliminatórias e fase de grupos), nota também para o desempenho de Rapha no capítulo dos pontuadores. O brasileiro é o segundo melhor, com um total de 141 pontos, cerca de 3,92 por set. Hugo Gaspar surge em 6.º e Japa em 8.º.

No eixo, Marc-Anthony Honoré é o segundo voleibolista com mais blocos eficazes registados na prova (21), mais sete do que Peter Wohlfi, em 6.º, com 14.

Fotos: SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar