27 de fevereiro de 2020, 23h25

Apuramento europeu esteve duas vezes na mão

Futebol

O Benfica marcou três golos na receção ao Shakhtar, mas o segundo jogo dos 16 avos de final da Liga Europa acabou empatado, com o agregado a ser favorável aos ucranianos.

RESUMO

Apostado em dar a volta à derrota por 2-1 trazida de Kharkiv, o Benfica fez o 1-0 (na primeira parte) e o 3-1 (no começo do segundo tempo) no Estádio da Luz, mas o duelo com o Shakhtar na 2.ª mão dos 16 avos de final da Liga Europa acabou empatado 3-3. O agregado da eliminatória pendeu para o campeão ucraniano (4-5).

O Benfica tinha de ser equilibrado. Racional com e sem bola, mas também fogoso e incisivo nos últimos 20 metros do terreno de jogo. Atacando pela certa, a equipa benfiquista marcou o primeiro golo da noite ao minuto 9: Pizzi, na meia-esquerda, recebeu um passe curto de Grimaldo, correu em frente, entrou na área e rematou com classe, enviando a bola para junto do poste mais distante.

Benfica-Shakhtar

Este golo, somado ao que fora marcado uma semana antes na derrota em Kharkiv (2-1), dava vantagem aos encarnados no agregado. Porém, o conjunto ucraniano conseguiu ter espaço para elaborar aos 12' e projetar Dodô na direita. O lateral cruzou, Rúben Dias e Ferro foram ao duelo com Júnior Moraes e a bola acabou por espirrar no corpo do camisola seis das águias e ressaltar para dentro da baliza (1-1). A UEFA considerou autogolo de Rúben.

Dyego Sousa (estreia a titular!) tentou dar sequência a um bom lance ligado por Taarabt e Pizzi (18'), mas, na área, o ponta de lança não acertou na bola como queria. Ismaily, na resposta, desenhou uma ameaça, mas Odysseas estava lá.

Benfica-Shakhtar

O Benfica reassumiu o comando do encontro e rondou a grande área do Shakhtar. E o 2-1 foi alcançado aos 36'! Pizzi, na direita, cobrou um canto e, na área, Rúben saltou mais alto e cabeceou com precisão, anotando o segundo golo do Campeão. A eliminatória ficava então empatada.

Antes de a equipa fechar uma ótima primeira parte, Dyego Sousa teve uma ocasião para atacar o terceiro tento, mas, sobre a direita, a opção pelo remate à baliza puxou pela qualidade do experiente guardião Pyatov.

No regresso dos balneários viu-se (de novo) um Benfica a pressionar à frente, a querer marcar o terceiro golo. E ele aconteceu aos 47'! Um mau passe de um defensor do Shakhtar criou problemas a Pyatov, que capitulou perante a pressão forte de Dyego Sousa. O avançado, na área, nada egoísta, descobriu a melhor solução, fazendo um passe atrasado para Rafa, que, bem enquadrado com o alvo, atirou colocado, por alto, assinando o 3-1. O Benfica voltava a ficar na frente da eliminatória!

Rafa Benfica-Shakhtar

Volvidos apenas dois minutos (49'), o Shakhtar criou um desequilíbrio na esquerda e ganhou um canto. Na sequência do mesmo, Stepanenko cabeceou para o 3-2. Foi um rude golpe para as águias, mas tudo era (ainda) possível, um golo seria suficiente para reposicionar o Benfica na rota dos oitavos de final da Liga Europa.

A partida derivou para um registo mais dividido, e o Shakhtar, com a inclusão de Tetê, foi a primeira equipa a criar uma boa oportunidade para que o marcador tornasse a mexer (66').

Entrado no xadrez benfiquista aos 67', Seferovic teve espaço para cabecear, depois de servido por Pizzi num livre, mas a bola passou ao lado da baliza (68'). O Benfica continuava vivo...

Rápido no desenvolvimento de (contra-)ataques, o Shakhtar alongou uma jogada no lado esquerdo, com Taison a solicitar a entrada e o cruzamento de Ismaily ao minuto 71. Grimaldo intercetou na área, mas Alan Patrick, na segunda vaga, chutou de pé direito e anotou o 3-3.

Antes de se atingir o quarto de hora final, o cenário de apuramento complicou-se drasticamente para o Benfica. Jota e Vinícius foram a jogo aos 79', substituindo Dyego Sousa e Pizzi...

Vinícius Benfica-Shakhtar

O golo que poderia ter devolvido as esperanças de qualificação não se materializou, mas houve uma boa oportunidade para que o mesmo fosse uma realidade. Aos 85', em mais uma subida no terreno de jogo para auxiliar o ataque, Rúben, pela direita, cruzou com qualidade para a conclusão de Vinícius, mas a bola, cabeceada pelo brasileiro, foi à figura de Pyatov.

O Shakhtar defendeu-se com bola, mostrando competência na circulação, e ainda teve uma bola perigosa aos 89', mas Odysseas foi superior no frente a frente com Júnior Moraes e manteve o 3-3.

Fechada a campanha europeia, o Benfica concentra-se de corpo e alma na luta pela conquista do título nacional. Líder do Campeonato com um ponto de avanço, a equipa de Bruno Lage tem 12 finais para atacar e vencer. A primeira destas é já na segunda-feira (2 de março) com a receção ao Moreirense (23.ª jornada da Liga NOS). Os bilhetes estão à venda.

Texto: João Sanches

Fotos: Cátia Luís e João Paulo Trindade / SL Benfica

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar