6 de março de 2020, 23h43

Benfica SAD apresenta históricos 104,2 milhões de euros de lucro

Futebol

Relatório e Contas do primeiro semestre do exercício de 2019/20 comunicado à CMVM.

A Sport Lisboa e Benfica Futebol, SAD comunicou nesta sexta-feira (6 de março) à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) o Relatório e Contas do primeiro semestre do exercício de 2019/20. O resultado líquido ascende a históricos 104,2 milhões de euros de lucro.

Este resultado da Sociedade no período de gestão em análise representa "uma melhoria de 639,8% face aos 14,1 milhões de euros apresentados no período homólogo", correspondendo ao "sexto ano consecutivo em que a Benfica SAD apresenta lucro nos primeiros seis meses de atividade". 

Alguns destaques

  • O resultado líquido do 1.º semestre de 2019/20 ascende a 104,2 milhões de euros, o que representa uma melhoria de 639,8% face aos 14,1 milhões de euros apresentados no período homólogo, correspondendo ao sexto ano consecutivo em que a Benfica SAD apresenta lucro nos primeiros seis meses de atividade;
  • O resultado operacional ascende a 116,7 milhões de euros, o que corresponde a uma melhoria de 494,2% face ao período homólogo, no qual atingiu os 19,6 milhões de euros, sendo também o sexto ano consecutivo em que o resultado operacional é positivo nos primeiros seis meses de atividade;
  • Estes resultados representam o melhor desempenho de sempre da Sociedade;
  • Os rendimentos operacionais sem transações de direitos de atleta ascendem a 101,9 milhões de euros, o que representa um crescimento de 8,8% face ao período homólogo, no qual atingiram os 93,7 milhões de euros, sendo esta variação principalmente justificada pela inclusão nos rendimentos da Benfica SAD das receitas de camarotes, executive seats, Red Pass premium, rendas de espaço e visitas ao Museu e Estádio;
  • Os rendimentos com transações de direitos de atletas superam os 137 milhões de euros e o resultado com transações de direitos de atletas ascende a 124 milhões de euros, o que corresponde a crescimentos de 362,4% e 484,1%, respetivamente, estando ambos significativamente influenciados pela transferência do jogador João Félix para o Atlético de Madrid;
  • Os rendimentos totais no semestre ascendem a 244,3milhões de euros, o que representa um crescimento de 94,3% face ao período homólogo, superando de forma considerável qualquer valor que, no passado, a Benfica SAD tenha obtido num semestre;
  • O ativo ultrapassa a barreira histórica dos 600 milhões de euros, atingindo em 31 de dezembro de 2019 um valor de 608,7 milhões de euros, o que representa a um crescimento de 25,8% face ao final do exercício anterior, no qual ascendia a 483,8 milhões de euros, sendo esta variação essencialmente explicada pelo aumento da rubrica de caixa e equivalentes de caixa, pelo registo do direito de uso do estádio nos ativos tangíveis e pelos investimentos realizados na equipa principal com impacto na rubrica de ativos intangíveis – plantel de futebol;
  • A dívida líquida a 31 de dezembro de 2019 ascende a 45,8 milhões de euros, o que corresponde ao valor mais reduzido dos últimos anos, sendo de realçar que num período de três anos e meio ocorreu uma diminuição de 189,5 milhões de euros, ou seja, o valor da dívida líquida no final deste semestre corresponde a 19,5% do montante que representava a 30 de junho de 2016;
  • O capital próprio ultrapassou a barreira histórica dos 200 milhões de euros, ascendendo em 31 de dezembro de 2019 a um valor de 223,4 milhões de euros, o que corresponde a uma melhoria de 87,4% face ao final do exercício anterior, sendo a mesma exclusivamente justificada pelo resultado líquido do semestre de 104,2 milhões de euros.

Relatório e Contas do 1.º semestre 2019/20 AQUI (PDF).

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar